Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Foto

Apresentação de fotos a cores e a P&B


  • Por favor inicie sessão para responder
91 respostas a este tópico

Partilhar Post #81 Dre

Dre

  • Membro
  • Registo: 26/02/2009
  • Posts: 1069

Publicado 10 Fevereiro 2011 - 12:40

Independentemente dos aspectos técnicos que tento evitar, chamou-me à atenção uma frase do agomes... passo a citar "embora o sonho do "sensor monocromático" seja ainda algo como o Santo Graal de certos adeptos do P&B"... não percebi exactamente o porque desta afirmação. Mas há quem queira um sensor que fotografe só a PB? Qual seria a vantagem disso?


Tanto há quem queira um sensor acromático (sem cor, e não monocromático) que a Phase One até já tem um.
http://www.achromati...chromatic .html
Nem vale a pena comentar o preço, mas passa dos 30 e não são 30€ ;)

É realmente um sonho ver sensores como este chegar a um nível de ser adquirível pelo comum entusiasta de fotografia.

Apesar de considerar perfeitamente possível fotografar a p&b usando uma câmara digital, este processo torna-se normalmente uma dor de cabeça, pelo menos para quem fotografa realmente a p&b, e não para quem converte para p&b.
Como disse o Ivan no seu texto:
"A fotografia em PB lida com contrastes tonais e fotografia em cores lida com contrastes de matiz."
Quem se habitua a fotografar a p&b tem tendência para "ver" os contrastes tonais no mundo real e a cores. Ao ver uma imagem adquirida pela máquina digital, vai ter que re-imaginar o que viu, pois esta imagem digital já não é a real. Está mais ou menos saturada, contrastada, com variações de cor do WB, etc.
Recriar a imagem a p&b que se viu no momento do click passa a requerer recriar a imagem a cores que se viu e fazer a sua "conversão". Não é a mesma coisa...


Anúncios

Partilhar Post #82 Ivan de Almeida

Ivan de Almeida

  • Membro
  • Registo: 18/11/2008
  • Posts: 199

Publicado 10 Fevereiro 2011 - 12:51

Tanto há quem queira um sensor acromático (sem cor, e não monocromático) que a Phase One até já tem um.
http://www.achromati...chromatic .html
Nem vale a pena comentar o preço, mas passa dos 30 e não são 30€ ;)

É realmente um sonho ver sensores como este chegar a um nível de ser adquirível pelo comum entusiasta de fotografia.

Apesar de considerar perfeitamente possível fotografar a p&b usando uma câmara digital, este processo torna-se normalmente uma dor de cabeça, pelo menos para quem fotografa realmente a p&b, e não para quem converte para p&b.
Como disse o Ivan no seu texto:
"A fotografia em PB lida com contrastes tonais e fotografia em cores lida com contrastes de matiz."
Quem se habitua a fotografar a p&b tem tendência para "ver" os contrastes tonais no mundo real e a cores. Ao ver uma imagem adquirida pela máquina digital, vai ter que re-imaginar o que viu, pois esta imagem digital já não é a real. Está mais ou menos saturada, contrastada, com variações de cor do WB, etc.
Recriar a imagem a p&b que se viu no momento do click passa a requerer recriar a imagem a cores que se viu e fazer a sua "conversão". Não é a mesma coisa...


É exatamente isso. Uma alternativa é fotografar em RAW+JPEG, setando o JPEG para PB de forma a se ter, depois, uma memória visual das tonalidades para converter o RAW (colorido).

Por isso que digo ser o PB digital uma "citação" da tradição. Perfeitamente válido, porque uma das características da digital é ter um enorme leque de possibilidades válidas, mas nem por isso menos artificialismo.


Partilhar Post #83 agomes

agomes

  • Membro
  • Registo: 21/08/2007
  • Posts: 3582

Publicado 10 Fevereiro 2011 - 13:29

Olá, boas tardes

Estava a responder, mas receio que a resposta já possa ter perdido parte da oportunidade. Por isso, e em complemento do que foi dito, deixo um outro link em que se indicam alguns dos campos de aplicação específico do sensor acromático da Phase One, alguns devido à possibilidade de alterar a filtragem e, assim, captarem diferentes áreas do espectro luminoso, como o IR e UV:

http://www.phaseone....chnologies.aspx

Ivan, já tinha esse tipo de uso e regulação da gravação de dados precisamente porque é uma forma de fotografar a P&B em digital sem a "interferência" da cor no momento da captura, embora a obtenção da imagem se vá fazer depois a partir do RAW (que tem toda a informação recolhida) e o JPEG seja muito baseado numa simples anulação da saturação de cor, embora com a possibilidade de influenciar o resultado através da aplicação de filtros na sua geração (vermelho, amarelo, verde, laranja) o que, dado a forma como estes actual sobre os tons, já implica uma forma de pensar "a preto e branco".

Na verdade, mais do que "paradoxo" o P&B digital pode ser visto como o resultado de uma "conjugação", resultante dos dados e informação recolhidos na captura, que permitem uma exploração "bilingue" desse repositório e, em certa medida, favorecem o convívio entre as duas "tradições".

Abraço


Partilhar Post #84 Rockas

Rockas

  • Membro
  • Registo: 28/09/2009
  • Posts: 4400
  • Idade: 48
    • Local: Paços de Ferreira

Publicado 10 Fevereiro 2011 - 14:09

Tanto há quem queira um sensor acromático (sem cor, e não monocromático) que a Phase One até já tem um.
http://www.achromati...chromatic .html
Nem vale a pena comentar o preço, mas passa dos 30 e não são 30€ ;)

É realmente um sonho ver sensores como este chegar a um nível de ser adquirível pelo comum entusiasta de fotografia.

Apesar de considerar perfeitamente possível fotografar a p&b usando uma câmara digital, este processo torna-se normalmente uma dor de cabeça, pelo menos para quem fotografa realmente a p&b, e não para quem converte para p&b.
Como disse o Ivan no seu texto:
"A fotografia em PB lida com contrastes tonais e fotografia em cores lida com contrastes de matiz."
Quem se habitua a fotografar a p&b tem tendência para "ver" os contrastes tonais no mundo real e a cores. Ao ver uma imagem adquirida pela máquina digital, vai ter que re-imaginar o que viu, pois esta imagem digital já não é a real. Está mais ou menos saturada, contrastada, com variações de cor do WB, etc.
Recriar a imagem a p&b que se viu no momento do click passa a requerer recriar a imagem a cores que se viu e fazer a sua "conversão". Não é a mesma coisa...


Por isso mesmo tive o cuidado de referir lá atrás a forma como faço as minhas fotos a PB... mas repito... embora use apenas RAW, o perfil que uso é a PB e faço a conversão de RAW para tiff usando o software da marca exactamente para manter os parâmetros da máquina... ou seja... as minhas configurações e a forma o mais aproximada possível do que "quis fotografar"... o resto vem na pós-produção, da mesma forma que o poderia fazer em laboratório se usasse analógico.

É um paradoxo...

Perguntam-me sobre o porque de algo, eu respondo e aí me dizem que aquela explicação não serve -risos. Como se houvesse outra.

Ser humano é muito complicado.

Não meu caro... eu disse o que disse porque não respondeste à principal questão que coloquei e por isso insisti e acrescentei outra... qual a sensibilidade máxima nos rolos PB acessíveis ao público?
O que me parece é que "o pessoal" anda a inventar "desculpas" e a exigir ao digital o que nunca exigiu ao analógico, nomeadamente no PB e é apenas nisto que incidem as minhas questões.... o resto, são realmente falsas questões que poderão ter pertinência num tópico relativo ao assunto que não este.

A fotografia a PB é um mundo que merece outro tipo de abordagens, outras formas de de ser "lida" e é essa a "beleza" da área e foi isso que deu origem ao tópico... mas o melhor é mesmo ficar por aqui ou o tema extravaza totalmente para aspectos completamente subjectivos e aí é que a "malta" nunca se entende  :D


Partilhar Post #85 Ivan de Almeida

Ivan de Almeida

  • Membro
  • Registo: 18/11/2008
  • Posts: 199

Publicado 10 Fevereiro 2011 - 15:33

Olá, boas tardes

Estava a responder, mas receio que a resposta já possa ter perdido parte da oportunidade. Por isso, e em complemento do que foi dito, deixo um outro link em que se indicam alguns dos campos de aplicação específico do sensor acromático da Phase One, alguns devido à possibilidade de alterar a filtragem e, assim, captarem diferentes áreas do espectro luminoso, como o IR e UV:

http://www.phaseone....chnologies.aspx

Ivan, já tinha esse tipo de uso e regulação da gravação de dados precisamente porque é uma forma de fotografar a P&B em digital sem a "interferência" da cor no momento da captura, embora a obtenção da imagem se vá fazer depois a partir do RAW (que tem toda a informação recolhida) e o JPEG seja muito baseado numa simples anulação da saturação de cor, embora com a possibilidade de influenciar o resultado através da aplicação de filtros na sua geração (vermelho, amarelo, verde, laranja) o que, dado a forma como estes actual sobre os tons, já implica uma forma de pensar "a preto e branco".


No caso do RAW cada pixel também só tem informação de um canal de cor, a não de luminância completa. Aliás, expliquei isso acima detalhadamente.

RAW não é mágico.


Partilhar Post #86 agomes

agomes

  • Membro
  • Registo: 21/08/2007
  • Posts: 3582

Publicado 10 Fevereiro 2011 - 22:01

(...)
Aliás, a interpolação não prejudica assim tanto... um sensor 100% a P&B, pouca diferença fazia mesmo num placar...

Prejudica muito mais uma pessoa ter que andar com m_rdices de filtros de cores... e não sei quê... do que pentelhices dessas...
*
Se as fotos não estão sharp, é pro vossa (nossa) causa...


* Sublinhado meu

Olá, boas

Just in case  - se estas considerações sobre filtros de cores se referem ao que disse antes, não percebo bem o ponto.  :humm:

As quatro cores de filtros que indiquei correspondem ao conjunto mais usual no caso do filme a preto e branco e estão localizados nas possibilidades de parametrização das máquinas, quando se faz a conversão para P&B dos ficheiros Jpeg, no momento da captura.

Partindo do princípio de que o filtro "corta" a luz na zona do espectro correspondente à sua cor e servem, por exemplo, para aumentar contraste, clarear ou sombrear vegetação, céus, nuvens e edifícios brancos. Daí que sejam usados por muita boa gente que sabe o que faz para, quando olham para o LCD, tenham uma ideia mais aproximada daquilo que pretende na sua imagem a P&B (claro que é preciso saber antecipadamente o que se procura influenciar).

Agora, se é "m_rdices", "pentelhices", ou lá o que seja, já é outra estória, pois cada um é como cada qual e, como pergunta o ditado, "se todos gostassem da mesma cor, o que seria do amarelo?"

Boas  :photo: :photo:





Partilhar Post #87 AlexandreW

AlexandreW

  • Membro
  • Registo: 29/01/2008
  • Posts: 1534
    • Local: L.A.

Publicado 11 Fevereiro 2011 - 00:28


Partindo do princípio de que o filtro "corta" a luz na zona do espectro correspondente à sua cor e servem, por exemplo, para aumentar contraste, clarear ou sombrear vegetação, céus, nuvens e edifícios brancos. Daí que sejam usados por muita boa gente que sabe o que faz para, quando olham para o LCD, tenham uma ideia mais aproximada daquilo que pretende na sua imagem a P&B (claro que é preciso saber antecipadamente o que se procura influenciar).


Ansel Adams costumava olhar através de filtros coloridos para o ajudar a "ver" a preto e branco, e até recomendava vivamente a fazer o mesmo num dos seus livros, O Negativo, que apesar de bastante técnico aconselho vivamente


Partilhar Post #88 agomes

agomes

  • Membro
  • Registo: 21/08/2007
  • Posts: 3582

Publicado 11 Fevereiro 2011 - 02:19

para quê se o "filme", já por si, tem lá os filtros?

(...)


Olá, boas

Ora, aqui está uma novidade para mim...um filme com "auto-filtros"!

Desculpa a franqueza, mas só podes estar a brincar... :sim: :sim:

(...)
Mas o ansel adams, muito bem que usava os filtros para imaginar a paisagem a p&b, mas porque não fotografa a cores...
(...)


Agora parece que és tu "que não estás a ver bem o "filme", mas não tenhas problemas porque há muito boa gente a pensar o mesmo.

Ansel Adams ficou realmente conhecido pelo sistema de zonas e por paisagens a preto e branco, mas trabalhou com filme desde os anos 30 do século XX, tendo até sido um dos fotógrafos contratado pela Kodak para a publicidade do Kodachrome e, para além dos trabalhos comerciais também usou filme a cores para fins criativos pessoais, tendo deixado à volta de 3 500 imagens (slides) a cores (é bom lembrar que ele fotografava em formatos grandes, e isso é muito diferente de 3 500 "clicks digitais").

Se estiveres interessado, tens um livro intitulado "Ansel Adams in color", Editado por Little, Brown and Company (New York) em 1993, com uma edição revista e aumentada em 2009.

Para além das fotos reproduzidas, este livro tem o interesse acrescido de dados biográficos e, o melhor, textos de Ansel Adams sobre fotografia a cores, incluindo alguns pontos em que foca muito bem as diferenças para e P&B no momento da "visualização" das cenas a fotografar.

(...)
Nos (pelo menos eu), ou todos no digital, fotografamos a cores, e depois, fazemos a coversão para p&b, e aí, fazemos o "filtro" que quisermos... á posteriori...

Também o filme a p&b tem os seus defeitos e não responde a todas as cores de igual modo...


Deve ter sido falha de expressão minha, na medida em que estava crente que tinha sido claro ao dizer que, quando fotografas em RAW+JPEG, com o JPEG parametrizado para monocromático, podes usar os filtros (R/G/Y/O) para que a máquina te mostre um efeito parecido com o que terias ao usar os mesmos filtros físicos com um filme a P&B.

Como é óbvio, irás fazer a conversão para P&B a partir do RAW e aí tens uma imagem a cores que tens de passar para P&B podendo, então obter os resultados que terias com filtros físicos e filme monocromático, inclusivamente através da mistura de canais (já que há outras maneiras de cozinhar o mesmo peixe),

(...)
Também o filme a p&b tem os seus defeitos e não responde a todas as cores de igual modo...


Estás absolutamente certo - o filme a p&b, como todas as coisas, não é perfeito.

Mas o não responder a todas as cores do mesmo modo não é um dos seus defeitos e, diria mesmo, acaba por ser uma qualidade que nos permite obter as imagens que queremos. Defeito seria o contrário, e nem consigo imaginar o que seriam as imagens a P&B se o filme respondesse de igual modo a todas as cores... :humm:

Mas a diferença de resposta é não só em relação a cores como a outras áreas do espectro luminoso, o que permite teres filmes pancromáticos, IR e outros.

Por outro lado, é essa diferença que levava ao uso de filtros que, ao bloquear parcialmente uma cor, influenciavam o resultado final e eram do agrado de pessoas que não pensavam que isso eram apenas "m_rdices" e "pentelhices".

Boas  :photo: :photo:




Partilhar Post #89 Dre

Dre

  • Membro
  • Registo: 26/02/2009
  • Posts: 1069

Publicado 11 Fevereiro 2011 - 10:50

Tangashima, ninguém te está a obrigar a usar filtros ou filme a p&b. Nem a impedir de fazer conversões às tuas imagens.

Mas por algum motivo tu vens para aqui carregado de ignorância despejar falácias e dizer (implicitamente) que quem se interessa por fotografia p&b e prefere fotografar directamente a p&b é idiota porque fazia o mesmo no digital. E que digital é que é bom, e tem os filtros que se quiser e etc...

Queres usar Silver Effex e afins para tirares as cores às tuas fotos, força. Como tu disseste há muitas boas fotos por aí em p&b convertido digital.

Mas por favor tenta perceber que se não conheces a alternativa de p&b (e chamo ao p&b directo alternativa por usares digital) então não faças comparações dessas.


Partilhar Post #90 agomes

agomes

  • Membro
  • Registo: 21/08/2007
  • Posts: 3582

Publicado 11 Fevereiro 2011 - 11:17

(...)
Eu não uso esse método, eu fotografo a cores, e se quiser, uso o Silver Effex para converter para P&B, gosto desse programa, porque me permite níveis progressivos de precisão, e o resultado é bom... não gosto do P&B directo da máquina, mas, contudo, é bom para vermos um snapshot do que o que a cena parece a P&B, em por acaso, não acho isso muito dificil, é só estarmos habituados a vermos formas, texturas, etc...

Já se o sensor só fotografasse a p&b, fogo, tinha de voltar aos tempos antigos, e adquirir esses filtros todos, e andar a trocá-los... tanta boa obra que anda por aí feita a partir de conversões de cores, digital, para p&b! Não sei mesmo, qual é o problema de alguns... cheira-me a birra despropositada, desculpem-me a frontalidade.

Ou isso, ou não sabem ir ao conversor para p&b mais básico, e fazer o controlo...
(...)


Olá, bom dia

Estou a ver que continuo sem passar a mensagem: eu não advoguei nenhum método de conversão directa na máquina, embora esse seja um modo como qualquer outro de fotografar em digital e a P&B, se quem o utiliza gostar dos resultados, e os filtros de software usados em muitas máquinas podem ajudar a obter efeitos que melhoram(modificam) o resultado directo.

O que disse era que usando RAW+JPEG, o Jpeg permite ver o resultado a P&B e os filtros ajudam a pré-visualizar o resultado final com o uso dos tais filtros. Mas a conversão do ficheiro será feita a partir do RAW, e sei que o programa que usas é muito bom, mas eu vou-me "governando" com o ACR5 e o DXO Film Pack...e os controlos que, mais ou menos, vou procurando acertar.  :D

(...)
Pois é, mas a menos que estejas a fotografar com um sistema modular, e estejas a utilizar, p.ex. uma SLR 35mm, não podes mudar de filme a meio, pois não? (ao menos sem grandes complicações e sem perder filme...)

E mesmo que possas, o momento, se for caso disso, pode já ter escapado, não?
(...)


Os momentos podem escapar por muitas razões, desde a "distracção" do fotógrafo à máquina não estar ligada ou ter os acertos errados.
Mas, nem todas as imagens dependem do imediatismo e capacidade/velocidade de reacção e, diria mesmo, as imagens até devem ser pensadas e imaginadas antes do click e, deste modo, a escolha do material depende do que se pretende fazer. Neste caso, não vejo porque não se poderá trocar de filme...no 35mm não é o mais fácil mas não é impossível de todo, além de que, se a imagem o justificar, sempre podes mandar uma "ponta" às urtigas e, lembra-te que não é forçoso estares limitado às embalagens e número de exposições vendidas no comércio...mas, há outras máquinas em que a "coisa" é fácil e rápida, bastando ter os magazines carregados com filmes diferentes, a P&B ou a cores (o problema maior é teres e carregares as "caixinhas" que, junto à outra tralha, ocupam espaço e pesam).  :sim:


(...)
E se fosse uma máquina digital, onde o sensor está preso e não sai mais, também não podes mudar a curva de resposta do sensor, pois não? (aliás, nem podes mudar a curva de resposta ás cores, contudo...)

(...)


Bem, eu uso uma "maquineta" que me permite utilizar uma função chamada "Custom Tone Curve", a qual me permite gravar e usar até 3 comportamentos diferentes, para além da "residente oficial"...  :sim:

Boas  :photo: :photo:


Partilhar Post #91 motta

motta

  • Membro
  • Registo: 05/04/2006
  • Posts: 1697
  • Idade: 31
    • Local: Estoril, LX

Publicado 13 Fevereiro 2011 - 15:05

Eu tenho de concordar com o Tanegashima. Não é por ser um sensor a cores ou um sensor próprio para PB que se vai fazer melhores fotografias.



qualquer dia tiramos um retrato e alguem diz - isto aqui ficava bem era uma paisagem!


:lol:



Partilhar Post #92 Ming@s

Ming@s

  • Membro
  • Registo: 06/04/2010
  • Posts: 503
  • Idade: 41
    • Local: Carnaxide - Lx

Publicado 27 Fevereiro 2011 - 13:51

Grande tópico, mas estas "guerras" vão sempre existir, entre pessoais que são diferentes..lol

Vamos mas é fotografar.

Cumps.