Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Foto

Indústria da fotografia - que futuro?


  • Por favor inicie sessão para responder
22 respostas a este tópico

IT Partilhar Post #1 miguelbarroso

miguelbarroso

  • Membro
  • Registo: 02/09/2008
  • Posts: 819
  • Idade: 47
    • Local: Lx
    • A pedalar se vai ao longe

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 10:46

Todos temos a noção que a indústria da fotografia tem sofrido perdas ano após ano (esta tendência já se sentia muito antes da pandemia, e esta só veio agravar a situação).

 

Mas esta infografia muito bem montada, ajuda a visualizar melhor do que se trata:

 

AwDWl8B.png

 

Para quem quiser saber mais, vejam o video:

 

 

A questão que se coloca: para onde vamos daqui em diante?

 

Temo que se seguirá uma tendência que já se começa a verificar que é o aumento de preços dos produtos premium. O mesmo se verificou noutros equipamentos (home audio, por exemplo), onde os valores pornográficos de certos produtos são cada vez mais comuns. Isto não invalida que a oferta de produtos budget (com qualidade aceitável) continue a surgir. Apenas haverá cada vez mais um fosso maior entre os dois: para as carteiras recheadas, para aqueles que estão sempre disponíveis para investir em produtos de luxo, terão a indústria e os vendedores cada vez mais interessados neles, pois as margens de lucro serão cada vez maiores. Já para o comum dos mortais, continuará a haver muita oferta, simplesmente num modelo de mercado muito diferente, baseado em vendas on-line e com fraco suporte (embora com algumas excepções)

 

O que acham?


Editado por miguelbarroso, 09 Março 2021 - 02:23 .



Anúncios

Partilhar Post #2 Manuel_Araujo

Manuel_Araujo

  • Membro
  • Registo: 16/03/2008
  • Posts: 333

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 19:02

À entrada do século a imagem digital estava massificada. Com as pequenas camaras compactas da época, produzir uma imagem era prático, era rápido e era barato, mas havia um senão: a qualidade era horrível. Obviamente a industria da fotografia analógica aproveitou esse furo, e aplicando todo o seu  know how (em lentes e corpos) rapidamente se converteu para o digital.

Com uma qualidade de imagem incomparavelmente melhor as DSLR/Mirrorless facilmente atraíram os consumidores das compactas (que eram muitos). Desde então passou a ser possível produzir imagens com boa qualidade mas com um novo senão: Não é prático, devido ao tamanho e peso do equipamento.
Como os produtores de telemóveis não andam a nanar, toca a fazer telemóveis capazes de produzir imagens com boa qualidade. Não tão boas como as das DSLR e Mirrorless, mas como é muito prático atraíram uma grande fatia desses consumidores.
Concluindo, toda esta gente, que eu chamo de fazedores de imagens (não são fotógrafos) quer é fazer imagens rapidamente, em todo o lado, com alguma qualidade e com poucos custos.
 A industria da fotografia evoluiu muito graças a este mercado mas não volta a lá entrar.
Eu estou na fotografia apenas como amador, com equipamento de gama média-baixa que chega perfeitamente para os "trabalhos" que faço. Se relação qualidade / preço desta gama não descer, eu não fico muito preocupado com os problemas da industria. Ela arranja sempre maneiras de ganhar dinheiro.
 
A minha curiosidade é, em que medida o passo seguinte vai influenciar a fotografia como modo de expressão?
Eu entrei na fotografia já na era digital, por isso deixo esta questão a quem veio do analógico: Notaram alguma mudança na fotografia como forma de expressão?




IT Partilhar Post #3 miguelbarroso

miguelbarroso

  • Membro
  • Registo: 02/09/2008
  • Posts: 819
  • Idade: 47
    • Local: Lx
    • A pedalar se vai ao longe

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 19:35

Acho que tem havido muitas mudanças nesse campo. Mesmo a fotografia com telemóvel tem sido revolucionária, não do ponto de vista da tecnologia em si, mas na estética, no facto que muitos fotógrafos passaram a ser sem o saber. Sim, considero que muita gente que usa o telemóvel em exclusivo pode ser um fotógrafo, mesmo que não se considere um... há gente que tem essa capacidade, chamemos-lhe um "dom". Assim como há gente com equipamento brutal (sempre houve) que de fotógrafos não têm nada.

 

Os telemóveis batem tudo em conveniência, não há volta a dar.

 

Por enquanto há coisas em que não conseguem bater uma máquina dedicada com um sensor de qualidade. Mas já faltou mais:

 

 




Partilhar Post #4 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 8304
  • Idade: 36
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 20:10

Eu acho que o passo seguinte vai ser bom para a fotografia. E que os anteriores foram excelentes... 

A minha percepção é que assim que as DSLR entraram num patamar dos 500/750€ muita gente começou a olhar mais para essas máquinas. Isso foi excelente porque abriu o espaço a pessoas que anteriormente não teriam possibilidades de explorar o meio, mas também trouxe muita gente que veio ao engano... 

Muitos dos que vieram ao engano acabaram por entender que a máquina é só uma parte da equação, e que sem o resto, não serve de muito. E assim, muitas DSLR voltaram para o armário ao fim de 3 fins de semana. Muitos desses usam hoje o telemóvel para registar os momentos que querem, e deixaram a parte "artística" para outros.

Felizmente esse influxo de pessoas trouxe bastante lucro, que permitiu um desenvolvimento acelerado da tecnologia. É surreal ver o que a fuji fez com médio formato. Máquinas que há 10 anos custariam 20.000€ hoje custam 5.000€, são mais compactas e são muito melhores...

E estamos agora a entrar na fotografia digital V2. 

Ter uma DSLR já não causa aquele impacto que causava no início. Já não há aquela admiração pela "máquina profissional". Hoje temos máquinas extremamente poderosas que cada vez mais são atraentes para cada vez menos. Quem decide entrar na fotografia, como o miguelbarroso referiu, começa cada vez mais com um telemóvel. 

E isso é positivo porque teremos mais "trigo". 

 

A máquina passa a ser cada vez mais uma ferramenta e não um objectivo, o que devolve a atenção às imagens. Ser tecnicamente bom já não chega. É preciso ser mais. É preciso criar melhor. E é possível criar melhor por um preço nunca antes tão baixo. 




Partilhar Post #5 Wendell Fernandes

Wendell Fernandes

  • Administrador
  • Registo: 17/02/2021
  • Posts: 28
  • Idade: 37
    • Local: USA

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 20:29

Hoje o mercado da fotografia se encontra em um momento bem peculiar porém não temo.

 

Os eventos não vão parar.

 

Casamentos continuarão acontecer.

 

Pessoas ainda precisarão de registros fotográficos.

 

MAS

 

Acredito que cada dia que passa, a tecnologia cresce, e assim deve crescer nosso conhecimento estratégico para aplicar a tecnologia correta no momento correto.

 

Infelizmente no mercado atual, temos MUITO CONTEÚDO para aprender, porém tudo é fragmentado, desorganizado.

 

Acredito muito que mesmo entrando mirrorless, ou outros equipamentos bem fortes, o mercado ainda continuará.

 

PORÉM

 

Somente sobrevive quem é resiliente e adaptável ao mercado.

 

A fotógrafos online consegue ser a única plataforma que conectar o fotógrafo com o conhecimento e com meios para expôr seu trabalho lhe dando sempre inovação e novas oportunidades de negócio!

 

Muito vindo por ai!




Partilhar Post #6 _jn_

_jn_

  • Membro
  • Registo: 12/02/2010
  • Posts: 2966
    • Local: Estoril

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 21:51

Casamentos e batizados? 20% dos convidados têm conhecimentos e máquinas que fazem o trabalho de forma satisfatória.

Fotografia de imóveis? Os consultores imobiliários têm formação e máquinas suficientes para fazerem fotografias dos seus imóveis de forma satisfatória.

Fotografia de produto, alimentos, etc? São dois dias com material adequado e qualquer um faz de forma satisfatória.

Em outras atividades não falo porque não conheço.

Para os fotógrafos profissionais sobra a pequena percentagem de trabalho (10 ou 20%?) que precisa de ser acima do satisfatório.

A fotografia banalizou-se.

Hoje em dia aprende-se a fotografar em meia dúzia de dias.

As máquinas e o conhecimento tornaram-se acessíveis a todos.

Isto acontece em muitas outras atividades.

A fotografia será no futuro apenas uma forma de arte e reduzida a um nicho de carolas.

A fotografia e muitas outras atividades.

As máquinas vão substituindo o homem em todas as atividades, até na própria arte.




Partilhar Post #7 MJsilva

MJsilva

  • Membro
  • Registo: 24/11/2018
  • Posts: 491

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 22:01

A culpa da queda de vendas nos fabricantes de cameras foi dos telemóveis,eles levaram uma grande fatia de consumidores, qualquer um tem qualidade aceitável, os de topo tem muita qualidade(dentro dos possíveis), cabem no bolso,já se pode publicar no Facebook e instagram na hora, aos entusiastas /amadores que percebem e gostam de fotografia dificilmente conseguem "viver" apenas com um telemovel para fotografar,para os profissionais é impossível trabalhar apenas com o telemóvel , os fabricantes percebem isto,sabem quem é o seu consumidor , mas os outros? A maior fatia que resulta na queda de vendas, como fazer com que comprem uma dslr/mirroless?, que até fica mais barato que muitos telemóveis,acho difícil, já estão mais pequenas mas ainda não cabem no bolso, já teem Wi-Fi para passar na hora para o telemóvel e poder publicar, será preciso terem Facebook e instagram? Não sei, mas a mim não me faz diferença que eles vendam mais ou menos,para o que eu preciso penso que deverá sempre existir.


Partilhar Post #8 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 8304
  • Idade: 36
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 22:12

_jn_, é exactamente o que estava a dizer. 

Ser tecnicamente bom já não basta. 




Partilhar Post #9 _jn_

_jn_

  • Membro
  • Registo: 12/02/2010
  • Posts: 2966
    • Local: Estoril

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 23:00

Também é preciso colocar outras questões:

 

O que mudou na espectativa do consumidor de fotografia?

 

O que fizeram os nossos pais e avós com a fotografia?

 

O que fizemos nós?

 

O que fazem os nossos filhos?

 

Há grandes e rápidas diferenças?

 

Pensemos também nisto:

 

Porque é que não se faziam selfies com as máquinas SLR? Nem com as DSLR e só muito recentemente com algumas mirrorless?

 

Afinal o que é que mudou?




Partilhar Post #10 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 8304
  • Idade: 36
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 23 Fevereiro 2021 - 23:07

maier_vivian_1.jpg

Vivian Maier 1926-2009




IT Partilhar Post #11 miguelbarroso

miguelbarroso

  • Membro
  • Registo: 02/09/2008
  • Posts: 819
  • Idade: 47
    • Local: Lx
    • A pedalar se vai ao longe

Publicado 24 Fevereiro 2021 - 00:06

92cQabH.png

Miguel Barroso, 1992 B)




Partilhar Post #12 Wendell Fernandes

Wendell Fernandes

  • Administrador
  • Registo: 17/02/2021
  • Posts: 28
  • Idade: 37
    • Local: USA

Publicado 24 Fevereiro 2021 - 01:04

Eu falo que o imediatismo hoje é muito diferente.

Antigamente o desejo era o mesmo, porem a tecnologia era muito devagar.

 

No entanto as pessoas faziam fotos e consumiam momentos.

 

Hoje os recursos estão de fácil acesso.

 

MAS

 

Sobre Selfies... acredito que SEMPRE existiu :P 

 

YxeviYv7oq.jpeg

 

Fotografo Desconhecido, Dezembro 1920

 

 

Também é preciso colocar outras questões:

 

O que mudou na espectativa do consumidor de fotografia?

 

O que fizeram os nossos pais e avós com a fotografia?

 

O que fizemos nós?

 

O que fazem os nossos filhos?

 

Há grandes e rápidas diferenças?

 

Pensemos também nisto:

 

Porque é que não se faziam selfies com as máquinas SLR? Nem com as DSLR e só muito recentemente com algumas mirrorless?

 

Afinal o que é que mudou?




Partilhar Post #13 Manuel_Araujo

Manuel_Araujo

  • Membro
  • Registo: 16/03/2008
  • Posts: 333

Publicado 25 Fevereiro 2021 - 12:16

O que mudou na espectativa do consumidor de fotografia?

 

O que fizeram os nossos pais e avós com a fotografia?

 

O que fizemos nós?

 

O que fazem os nossos filhos?

 

Há grandes e rápidas diferenças?

São tantas questões...  Mas sob o ponto de vista do fotografo?  ou dos fotografados?

 

 


Porque é que não se faziam selfies com as máquinas SLR? Nem com as DSLR e só muito recentemente com algumas mirrorless?

 

Afinal o que é que mudou?

- Porque não haviam redes sociais.

- Agora há redes sociais

 

 

Sobre Selfies... acredito que SEMPRE existiu 

 Não concordo. O que sempre existiu é o auto-retrato,  e o propósito com que é feito nada tem a ver com as selfies.
 

 

Edit: Em que é que isto influencia o futuro da industria da fotografia?   NADA.


Editado por Manuel_Araujo, 25 Fevereiro 2021 - 12:18 .



IT Partilhar Post #14 miguelbarroso

miguelbarroso

  • Membro
  • Registo: 02/09/2008
  • Posts: 819
  • Idade: 47
    • Local: Lx
    • A pedalar se vai ao longe

Publicado 25 Fevereiro 2021 - 12:42

selfie = autoretrato https://www.infopedi...ortugues/selfie

 

E parece-me óbvio que o uso que as pessoas fazem das máquinas (e a intensidade desse uso) tem uma relação direta no que a indútria produz para dar resposta a esses usos.




Partilhar Post #15 MJsilva

MJsilva

  • Membro
  • Registo: 24/11/2018
  • Posts: 491

Publicado 25 Fevereiro 2021 - 12:56

"E parece-me óbvio que o uso que as pessoas fazem das máquinas (e a intensidade desse uso) tem uma relação direta no que a indútria produz para dar resposta a esses usos."

De acordo, a introdução do Wi-Fi, Bluetooth etc nas cameras para passar fotos na hora para o telemóvel, para mim é fazer 'concorrência' aos telemóveis e tentar atrair o consumidor do telemóvel, um profissional não precisa disso, a não ser para fazer (mais) um backup, este em tempo real.


Partilhar Post #16 Manuel_Araujo

Manuel_Araujo

  • Membro
  • Registo: 16/03/2008
  • Posts: 333

Publicado 25 Fevereiro 2021 - 16:32

Vamos separar as coisas.

Então temos:
1 - Industria do equipamento fotográfico ( lentes, corpos, filtros, flashs, etc.)
2 - Industria do equipamento de telecomunicações (redes, centrais, telefones, telemóveis, etc.)
3 - Serviços de telecomunicações (Voz, texto, imagem, dados, etc.)
4 - Selfies  (na minha opinião é um comportamento social)

O que está na génese da "selfie" enquanto comportamento social eu não sei, e deixo essa explicação para os sociólogos. Mas estou plenamente convicto que  só existe porque existem os smarphones.
Se por um motivo qualquer a partir de hoje as pessoas deixassem de fazer "selfies" quem é que amanhã estava a deitar as mãos à cabeça?  - Era a industria dos equipamentos de telecomunicações e os serviços de telecomunicações.

Sem querer entrar na teoria da conspiração,  Será que a industria e os serviços de telecomunicações andam a alimentar este fenómeno? :)




IT Partilhar Post #17 miguelbarroso

miguelbarroso

  • Membro
  • Registo: 02/09/2008
  • Posts: 819
  • Idade: 47
    • Local: Lx
    • A pedalar se vai ao longe

Publicado 26 Fevereiro 2021 - 00:39

Sim, as selfies são um fenómeno exclusivo das redes socias... :unsure:

 

https://www.boredpan...past-celebrity/




Partilhar Post #18 Kehr

Kehr

  • Membro
  • Registo: 04/08/2015
  • Posts: 133

Publicado 08 Março 2021 - 21:56

Como um "turista" da fotografia. A fotografia para mim é como jogar ténis, gosto muito de o fazer, faço muito menos do que gostaria e sou um bocado nabo a fazê-lo e não sinto um grande impulso para ver os profissionais jogarem. Esta descrição faz de mim alguém que não é "digno" de fotografar.

 

Na era das primeiras máquinas digitais, que como foi referido aqui tinham uma qualidade miserável, elas em poucos anos invadiram todos os lares pela competitividade dos preços e pela forma descomplicada como permitia a toda a gente tirar 10 fotos em vez de uma e apagar as 9 que estavam mais horriveis. Como não existiam redes sociais ou plataformas de publicação de fotos on-line, não havia a critica que hoje vejo a quem fotografa com um telemóvel e publica as suas fotos. Num lar com 2 adultos e 2 adolescentes hoje existem 4 máquinas fotográficas (telemóveis) em vez de uma, por isso é normal que se produza muito mais fotos (também pela elevada capacidade de armazenamento e pelos excelentes sistemas de IA). Eu até acho que as pessoas em média hoje têm uma maior sensibilidade para tirar uma "boa" fotografia do que tinham na "fase das compactas baratas". No entanto acho que a critica negativa por parte dos fotografos e entusiastas aumentou exponencialmente. Eu no geral vejo a qualidade média das fotografias de uma forma geral a melhorar, até porque as pessoas são bombardeadas diariamente por imagens. Eu considero que os telemóveis fazem e vão fazer parte do ecossistema.

 

O que eu acho que foi uma bolha e causou um crescimento desmedido do mercado foram as DSLR de entrada de gama, que como já aqui foi referido foram usadas uma duzia de fins-de-semana e ficaram no fundo de um armário a apodrecer (eu conheço tantos casos). Quando se começaram a comprar máquinas aparentemente "profissionais" por 300 e 400 €, toda a gente passou a poder ter uma, mesmo que nunca tivessem intenção de comprar uma unica lente, editar as fotos ou usar a máquina sem ser em modo Auto. Isso é que foi absurdo e irreal e permitiu ao mercado crescer de forma irrealista, o que vejo agora parece-me mais o mercado de fotografia mais avançada ficar apenas para quem realmente o procura, porque quem comprava as DSLR para usar em Auto, fica sem dúvida hoje mais bem servido com um telemóvel de topo, que está sempre no bolso, tb faz chamadas, tem Chat, aplicações dos mais variados tipos e em boas condições de luz permite tirar fotos com qualidade.

 

Eu acho que há demasiadas marcas e demasiadas linhas de máquinas (a Fuji por exemplo) e que as marcas têm de se focar em linhas de produto bem definidas e voltarem a construir um ecossistema como exisitia com a Nikon e Canon DSLR, com muitas lentes, que mesmo que caras, a pessoa confia que as vai poder usar nos próximos 10 a 20 anos, enquanto troca de corpo umas 3 ou 4 vezes. Tiros no pé como a Canon fez com aquele sistema Mirrorless super compacto que quase que tem mais corpos lançados do que lentes são uma evidência que ainda estamos a atravessar muita turbulencia desta transição DSLR, telemóveis, Mirrorless. Eu acho que o mercado de máquinas fotográficas sub 500€ como havia nas DSLR de entrada de gama já não faz sentido, porque estão num patamar que não agrada nem aos fotografos de instagram, nem aos aficionados que querem mais desempenho em variados campos.

 

No meio disto tudo quem ficou a ganhar foram os profissionais que viram equipamentos de alto desempenho a serem vendidos abaixo dos 2 k€. Hoje há montes de profissionais (dependendo das áreas) a fotografar com Fujis X-T3 que se compram a menos de 1 k€ hoje ou Sony A7 III abaixo de 1,5 k€, em vez de corpos de 5 k€. Isto também desvirtua o mercado todo em termos de gamas, mas quem amortiza os equipamentos com trabalho, passou a conseguir fazê-lo muito mais rapidamente. Acho que a chave do negócio é meter corpos baratos para depois obrigar as pessoas a comprar lentes caras, mesmo que o seu desenvolvimento já esteja mais que pago há anos e acho que é isso que já está a acontecer, com a excepção de a maioria das lentes não estarem no mercado há tantos anos assim.

 

Eu acho que o mercado tem naturalmente que contrair em número de vendas e entrar numa nova estabilidade, o mercado da fotografia já não vai ter o destaque de outros tempos em termos de vendas e acredito que marcas como "Olympus" e Nikon venham a seguir os passos das Pentax por exemplo e vão gradualmente desaparecer.


Editado por Kehr, 08 Março 2021 - 22:01 .



IT Partilhar Post #19 miguelbarroso

miguelbarroso

  • Membro
  • Registo: 02/09/2008
  • Posts: 819
  • Idade: 47
    • Local: Lx
    • A pedalar se vai ao longe

Publicado 09 Março 2021 - 02:22

Boa análise Kehr, concordo na generalidade!  :th_up:




Partilhar Post #20 masteramu

masteramu

  • Membro
  • Registo: 17/08/2009
  • Posts: 996
  • Idade: 42
    • Local: Lisboa

Publicado 13 Março 2021 - 09:25

A industria da fotografia é como qualquer outra industria em evolução.

 

A evolução e a facilidade de adquirir melhores equipamentos é meramente a possibilidade de ter a vida mais facilitada e ter mais tempo para a criatividade.

 

Eu revejo fotos que tirei á muitos anos com uma canon 1000D com lentes manuais M42 (que na altura comprava-se uma 58mm F2 por 20€ e ainda vinha a máquina incluída) que ainda me orgulho delas e seriam a primeira escolha para impressão.

Ao paço que já tirei milhares e milhares de fotos com telemóveis. e apesar de serem boas e com desfoque simulado, hdr e blá blá.. acabam por ser um momento capturado na altura.

 

A fotografia tem valor não é só devido á qualidade, o maior peso está na história por trás da foto, a interação, preparativos, cuidados, criatividade, a experiencia das pessoas naquele dia.. 

 

Isso é uma coisa que a tecnologia não substitui.

 

Acredito que muitos de nós já fizemos muitas "bricolages" que não é bem a nossa área, temos todas as ferramentas necessárias a preços acessíveis mas no fim não fica a mesma coisa do que se fosse um profissional na área a fazer.