Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Foto

Formação certificada em reparação e manutenção de equipamentos fotograficos, existe por cá?


  • Por favor inicie sessão para responder
1 resposta a este tópico

IT Partilhar Post #1 nodirectionhome

nodirectionhome

  • Novo Membro
  • Registo: 02/04/2014
  • Posts: 9
    • não percebo nada disto

Publicado 06 Fevereiro 2020 - 19:02

Desculpem desde já se este não for o sub-fórum mais apropriado mas o outro de formação parece-me ser só para divulgação/ofertas.

 

O que eu gostaria de perguntar é se existe, em Portugal, algum tipo de formação certificada em reparação e manutenção de equipamentos de fotografia, em específico corpos e lentes. Lembrei-me que há a fábrica em Famalicão, da Leica. E deduzo que se fizerem assistência, a formação será interna e não contratem no exterior, por assim dizer. No caso das outras marcas, deduzo o mesmo, mas pergunto-me se haverá algum pré-requisito para ser-se técnico certificado da marca (a Apple vende formações em assistência e não exige nenhuma formação base, por exemplo). Fico curioso também sobre o tipo de formação dos assistentes que as diferentes lojas de fotografia, e que oferecem serviços de reparação, terão. Serão todos certificados ou no essencial são pessoas com alguma habilidade e experiência? Sem querer entrar em discussões de que pouco importa se o trabalho final for bom...

 

Uma formação certificada seria importante pois serviria um objectivo principal quanto à minha actual situação face ao (des)emprego. Para coisas pessoais, presumo que poderia aprender "na net" como fiz com alguns hobbies e interesses, mas não me sinto confiante ao ponto de os oferecer como serviços profissionais.

 

Cumprimentos,




Anúncios

Partilhar Post #2 FotoKhan

FotoKhan

  • Membro
  • Registo: 30/01/2013
  • Posts: 1567

Publicado 07 Fevereiro 2020 - 09:42

(...Prepare-se que isto vai ser longo... :) )

 

Estes fóruns são uma plataforma muito limitada para obter a informação que procura.

 

A melhor abordagem será a de fazer algum trabalho exploratório de investigação no sentido de obter contactos nas marcas, acima do mero nível de "apoio a cliente", de forma a perguntar, para essa marca específica, quais as estratégias e procedimentos que têm implantadas.

 

No entanto, não querendo ser negativo quanto aos seus objectivos (...ter um ideia, seguida de um rumo e um objectivo é o melhor que podemos fazer para tomar conta da nossa vida. Se não tivermos sucesso à primeira, só há que perseverar...), gostaria de enquadrar aquilo que em que pensou nalguma dose de realismo.

 

A maioria das marcas de eletrónica de consumo, Fotografia incluída, estão, desde há muito tempo, em ciclo de racionalização de recursos, face a um mercado que não expande ao ritmo do século passado e que é cada vez mais competitivo.

 

Por causa dessa racionalização contínua, os centros de assistência, principalmente aqueles em mercados tão periféricos como o nosso, têm sido "stremlined", remetidos para entidades terceiras ou, simplesmente, eliminados.

 

Mesmo mercados muito significativos têm sido vítimas de tais racionalizações. A Nikon, por exemplo, ainda recentemente terminou a tradição bem antiga de apoiar assistência independente nos USA - aquilo que julgo ser a sua ideia - informando que passaria a fornecer serviços de manutenção apenas através da sua rede oficial.

 

Por causa da referida competição e do vertiginoso progresso tecnológico, os técnicos independentes ficaram, também, sem grande opção de oferecer serviços por iniciativa própria, porque, pura e simplesmente, não é economicamente viável adquirir os equipamentos de diagnóstico ou as ferramentas proprietárias de cada marca a que se proponham prestar assistência, numa perspectiva multimarcas.

 

(…Esta última questão, a das ferramentas proprietárias, afecta também o sector automóvel e juntamente com a tal incapacidade financeira para adquirir equipamento de diagnóstico são as principais razões para o constante declínio das "oficinas do Sr. José". A Comunidade Europeia, através dos órgãos apropriados têm-se debruçado sobre este problema numa perspectiva de se este "garden walling" na assistência não remeterá para questões de livre concorrência. Como resultado das usas ações, já tivemos, por exemplo, o publicar de legislação que obriga as marcas a manterem garantias, mesmo em viaturas assistidas por terceiros – algo sobre o que, concordando que é globalmente positivo, tenho algumas reservas).

 

Esta retração e apropriação da assistência como um vector exclusivo das marcas é uma tendência geral, transversal à esmagadora maioria dos produtos de consumo eletrónicos e algo que lhe será muito difícil de superar, à luz das intenções que expôs.

 

Numa perspectiva mais positiva, gostaria de lhe dizer que, às vezes, ideias melhores podem surgir de abordagens iniciais que se revelam inexequíveis.

 

Pensando no que expôs (…e não sabendo se será, também, viável…) porque não evoluir para um negócio em que seria o mero intermediário na reparação dos equipamentos, uma espécie de UberTech?

 

Hoje em dia, as pessoas não têm muito tempo para irem em horário laboral a centros de assistência técnica, tirar uma senha e ficar longos minutos à espera de serem chamados (…2 vezes…na entrega e na recolha…).

 

Acresce ao tempo perdido a despesa da deslocação e talvez haja oportunidade para montar um negócio de recolha e entrega de material para reparação (…fotográfico e eletrónico, em geral...) nos locais de trabalho, em horário laboral e nos domicílios, em horário diferenciado.

 

É uma ideia que estaria apenas dependente do respectivo estudo de viabilidade e, principalmente do estabelecimento de canais privilegiados de acesso aos respectivos centros de assistência.

 

Espero ter ajudado. :)

 

FK


Editado por FotoKhan, 07 Fevereiro 2020 - 10:09 .