Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Foto

"A fotografia actual já não é o que era"


  • Por favor inicie sessão para responder
59 respostas a este tópico

Partilhar Post #41 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 03 Agosto 2013 - 17:56

Vamos lá baralhar e rebaralhar a questão lol!

Latticed_window_at_lacock_abbey_1835.jpg

 

É fotografia, mas....É arte fotográfica?


Editado por vlbphoto, 03 Agosto 2013 - 17:57 .



Anúncios

Partilhar Post #42 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 03 Agosto 2013 - 18:16

Então e das seguintes imagens?

 

art-photography.jpg

fineart.jpg

 

psychedelic-body-art-8-1.jpg

 

tumblr_mpdet1YF3s1qf1m5po1_500.jpg

 

looking-for-nest-print-limited-edition-d

Black-and-white-portraits-15.jpg

 

fine-art-photography_antelope-canyon.jpg

 

Sandy-Skoglund-Fish-Room-Photography-Art

 

memorial_to_empty_hearts_by_dreamspeak.j

 

Destas fotos o que é arte fotográfica e o que é arte plástica com apoio da fotografia?


Editado por vlbphoto, 03 Agosto 2013 - 18:18 .



Partilhar Post #43 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 03 Agosto 2013 - 18:22

Não, tu é que convocas o David Lynch para falar numa "mensagem perfeita", para justificar que se pode agradar a "massas" e "intelectuais" e que essa é que é a tal mensagem ou comunicação perfeita. Isso não existe, é um exemplo pífio...
Conheço alguns museus, não só de fotografia, e sei o que lá está, e já agora lembrar, que os curadores sempre foram "eruditos" e ainda bem que o são, é o que se espera.
Eu sinceramente só me espanta é que ainda não tenhas percebido uma coisa tão simples, que é que o conceito de fotografia se foi modificando ao longo dos tempos e continuará a assim ser, é a evolução, dizem alguns...
Quanto às fotografias que apresentaste, dizem muito do que tu pensas sobre o assunto, mas se é certo que todas estão em museus, convém lembrar que são imagens que se historicizaram, tiverem o seu tempo, no seu tempo, são um testemunho do tempo, mas não cabe na cabeça de ninguém produzir hoje este tipo de imagens , porque já não são actuais, para museus, como um pintor agora não vai pintar ao estilo de Rubens, não obstante ele ter uma magnífica obra exposta no Museu do Prado.
E como penso que se está a falar de fotografia e não de história da fotografia...
Por fim, falar em belo e juntar estética, ou há aqui um lapsus linguae, ou então há aqui uma grande redundância...


Partilhar Post #44 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 03 Agosto 2013 - 18:30

O conceito de fotografia em si não muda como o da arte fotográfica não muda! O que podes é criar novos estilos com o apoio da fotografia!

 

Não não há redundância! Poderá ser um lapsus linguae conforme o sentido que tomares da coisa! ;)




Partilhar Post #45 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 03 Agosto 2013 - 18:32

O conceito de fotografia em si não muda como o da arte fotográfica não muda! O que podes é criar novos estilos com o apoio da fotografia!
 
Não não há redundância! Poderá ser um lapsus linguae conforme o sentido que tomares da coisa! ;)


Ok! Estou esclarecido... :)


Partilhar Post #46 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 03 Agosto 2013 - 18:49

PS: Estas ultimas tirando a primeira desta pagina,  não sei se estão em museus! Falava das primeiras que apresentei! E de fotógrafos como:

 

Ansel Adams, David LaChapelle, Annie Leibovitz, Henri Cartier Bresson, Philippe Halsman, Robert Mapplethorpe, Herb Ritts, James Nachtwey, Richard Avedon, Sally Mann, Ethan Russell. só para citar alguns!

 

Agora não me lixes com o tipo estilo e idade de cada uns deles! lol

 

 




Partilhar Post #47 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 03 Agosto 2013 - 19:02

PS: Estas ultimas tirando a primeira desta pagina,  não sei se estão em museus! Falava das primeiras que apresentei! E de fotógrafos como:
 
Ansel Adams, David LaChapelle, Annie Leibovitz, Henri Cartier Bresson, Philippe Halsman, Robert Mapplethorpe, Herb Ritts, James Nachtwey, Richard Avedon, Sally Mann, Ethan Russell. só para citar alguns!
 
Agora não me lixes com o tipo estilo e idade de cada uns deles! lol


Era para ter encerrado, mas não me lixes, eu sei de quem eram as fotografias e referi-me precisamente a essas, mas todas tiverem o seu tempo.
Quem olha assim para o passado, nem presente nem pouco menos futuro tem, ainda bem que estes nomes que agora enunciaste, não olharam para trás, mas quiserem ir para a frente, senão, não estávamos aqui agora a falar deles...


Partilhar Post #48 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 03 Agosto 2013 - 19:14

Tenho dezenas de imagens feitas por mim que não as considero fotografia! Foram feitas com a maquina fotográfica? Foram! Mas não são fotografia, Se as considero arte plástica com apoio da fotografia? Sim! Arte digital? Algumas! Composições? Algumas, O processo passou pela passagem de luz por uma objectiva? Todas! São por isso, todas fotografias? Não!




Partilhar Post #49 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 03 Agosto 2013 - 19:24

Cada vez percebo menos o que dizes, em vez de vires rebater ou argumentar o que se está a falar, vens com frases e ideias feitas, mas só chavões, sem desenvolvimento, e para isso, basta-te o púlpito que aqui tens, pelo que não te quero estragar o discurso.


Partilhar Post #50 fapcp

fapcp

  • Membro
  • Registo: 22/12/2010
  • Posts: 431

Publicado 03 Agosto 2013 - 19:25

Mas isso pode ser dito para toda a fotografia. Mas será que não tem nada a ganhar se tiver um texto de apoio que explique a formação daquela catarata? O que a torna distinta, a altura da queda de água, etc? Será que essa informação extra não nos deixa ainda mais maravilhados ao olhar para a mesma? Não nos dá uma visão ainda mais magnífica da natureza?

E o escaravelho? A importância da textura, da cor, da forma como é magnificamente construido. Será que isso não nos faz olhar para a foto ainda com mais interesse?

Será que alguma dessas fotos perde por ter um texto de apoio? Será que não há nada mais a dizer para além do "olhem porque é giro"?
Qual é a validade de uma foto dessas? Se eu não achar essas fotos bonitas, são táo válidas como uma foto tirada a um caixote do lixo.

 

Se incluis textos sobre o aparecimento de acidentes geográficos, sobre cor (queres explicar o quê, exactamente? a absorção diferencial de diferentes comprimentos de onda?) e sobre biologia deixas de ter uma fotografia, mais vale afixares uma enciclopédia numa parede e abri-la numa página com uma fotografia. Já deixaste de ter uma fotografia que se afirma por si e passaste a ter uma fotografia como parte integrante de algo.

 

A questão central acho que é mesmo: a fotografia como sendo "a" obra de arte ou "fazendo parte" de uma obra de arte ou apenas como registo documental.

Uma fotografia é uma imagem capturada por uma câmara fotográfica, não conheço outra definição. Quando elevada à condição de arte é uma forma de arte visual, tem que se impor pelos seus méritos visuais.

 

Uma fotografia não precisa de textos; precisa de luz, enquadramento, relação espacial entre os objectos, linhas, formas, padrões, texturas, contraste, gama tonal, cor, movimento. O que faz uma boa fotografia são estes elementos de composição e de design visual, não são os enquadramentos psico-socio-metafisico-culturais.

 

Não, nenhuma fotografia perde nada com um texto de apoio, isso é óbvio.

 

Ao contrário do que pareces pensar, não há nada de intrinsecamente mau numa foto "gira" ou "bonita". E tem que haver mais alguma coisa a dizer além do "é giro"? Apreciar uma fotografia tem de ser um processo de meditação e raciocínio? Não pode ser apenas um meio de procurar o belo e o sublime? Uma forma de obter emoções? 

 

Mas isto não implica que as fotos tenham de ser bonitinhas ou convencionais. Tenho aqui ao meu lado o livro "Far Cry" do Paulo Nozolino; penso que ninguém dirá que são fotos convencionais e poucos as classificarão como "bonitinhas", mas são boas fotos (e estou a falar das fotos isoladamente, não do conjunto da obra), porque não precisam de textos explicativos - a não ser que consideres "Desolation, Porto, 2002" como um texto explicativo - sozinhas têm força visual, não se afasta facilmente o olhar, provocam sensações, "mexem" com quem as vê. 

 

Não percebo a relação entre a falta de beleza e os caixotes do lixo. É óbvio que a beleza é subjectiva, e até podes achar o sujeito/motivo da fotografia feio, mesmo que seja a Adriana Lima ou a catarata de Skogafoss, mas não é o sujeito/motivo que faz uma fotografia, os elementos de composição e design que referi são muito mais importantes.

Tenho no disco rígido do meu computador muitas fotografias de alguns dos lugares mais bonitos do mundo, mas muito poucas são boas fotografias... talvez até nenhuma o seja. Pessoalmente detesto fotografias macro de insectos, aranhas, etc, mas reconheço uma boa fotografia macro quando a vejo, mesmo que ache o bicho asqueroso. Não tem nada a ver com beleza do sujeito...




Partilhar Post #51 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 03 Agosto 2013 - 19:30


 

Se incluis textos sobre o aparecimento de acidentes geográficos, sobre cor (queres explicar o quê, exactamente? a absorção diferencial de diferentes comprimentos de onda?) e sobre biologia deixas de ter uma fotografia, mais vale afixares uma enciclopédia numa parede e abri-la numa página com uma fotografia. Já deixaste de ter uma fotografia que se afirma por si e passaste a ter uma fotografia como parte integrante de algo.

 

A questão central acho que é mesmo: a fotografia como sendo "a" obra de arte ou "fazendo parte" de uma obra de arte ou apenas como registo documental.

Uma fotografia é uma imagem capturada por uma câmara fotográfica, não conheço outra definição. Quando elevada à condição de arte é uma forma de arte visual, tem que se impor pelos seus méritos visuais.

 

Uma fotografia não precisa de textos; precisa de luz, enquadramento, relação espacial entre os objectos, linhas, formas, padrões, texturas, contraste, gama tonal, cor, movimento. O que faz uma boa fotografia são estes elementos de composição e de design visual, não são os enquadramentos psico-socio-metafisico-culturais.

 

Não, nenhuma fotografia perde nada com um texto de apoio, isso é óbvio.

 

Ao contrário do que pareces pensar, não há nada de intrinsecamente mau numa foto "gira" ou "bonita". E tem que haver mais alguma coisa a dizer além do "é giro"? Apreciar uma fotografia tem de ser um processo de meditação e raciocínio? Não pode ser apenas um meio de procurar o belo e o sublime? Uma forma de obter emoções? 

 

Mas isto não implica que as fotos tenham de ser bonitinhas ou convencionais. Tenho aqui ao meu lado o livro "Far Cry" do Paulo Nozolino; penso que ninguém dirá que são fotos convencionais e poucos as classificarão como "bonitinhas", mas são boas fotos (e estou a falar das fotos isoladamente, não do conjunto da obra), porque não precisam de textos explicativos - a não ser que consideres "Desolation, Porto, 2002" como um texto explicativo - sozinhas têm força visual, não se afasta facilmente o olhar, provocam sensações, "mexem" com quem as vê. 

 

Não percebo a relação entre a falta de beleza e os caixotes do lixo. É óbvio que a beleza é subjectiva, e até podes achar o sujeito/motivo da fotografia feio, mesmo que seja a Adriana Lima ou a catarata de Skogafoss, mas não é o sujeito/motivo que faz uma fotografia, os elementos de composição e design que referi são muito mais importantes.

Tenho no disco rígido do meu computador muitas fotografias de alguns dos lugares mais bonitos do mundo, mas muito poucas são boas fotografias... talvez até nenhuma o seja. Pessoalmente detesto fotografias macro de insectos, aranhas, etc, mas reconheço uma boa fotografia macro quando a vejo, mesmo que ache o bicho asqueroso. Não tem nada a ver com beleza do sujeito...

GOSTEI! :)




Partilhar Post #52 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 03 Agosto 2013 - 19:47

 
Mas isto não implica que as fotos tenham de ser bonitinhas ou convencionais. Tenho aqui ao meu lado o livro "Far Cry" do Paulo Nozolino; penso que ninguém dirá que são fotos convencionais e poucos as classificarão como "bonitinhas", mas são boas fotos (e estou a falar das fotos isoladamente, não do conjunto da obra), porque não precisam de textos explicativos - a não ser que consideres "Desolation, Porto, 2002" como um texto explicativo - sozinhas têm força visual, não se afasta facilmente o olhar, provocam sensações, "mexem" com quem as .


Também tenho o Fr Cry, desde a sua edição há coisa de 7 anos, se as fotos falam por si, sem dúvida, se o texto do Rui Nunes lhes dá outra riqueza, sem dúvida, até porque houve tal empatia entre o Rui Nunes e o próprio Nozolino que este último o citou numa ou outra ideia. Mais, na última exposição do Nozolino no Bes Arte & Finança, Usura, baseado num poema homónimo e que o próprio disse, pasme-se e nem de propósito, disse que achava o poema essencial para dar dar algum tipo de referência a quem iria ver a exposição... :)


Partilhar Post #53 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 03 Agosto 2013 - 19:56

 
Ao contrário do que pareces pensar, não há nada de intrinsecamente mau numa foto "gira" ou "bonita". E tem que haver mais alguma coisa a dizer além do "é giro"? Apreciar uma fotografia tem de ser um processo de meditação e raciocínio? Não pode ser apenas um meio de procurar o belo e o sublime? Uma forma de obter emoções? 
 
.


O que é o belo e o sublime? Não precisas de responder é estudado há milénios...


Partilhar Post #54 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 8304
  • Idade: 37
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 04 Agosto 2013 - 00:39

Fala-se de pseudo intelectuais....
Todos os que conseguem ver na fotografia algo mais do que o bonito instantâne são apelidados de tal...

E os intelectuais "de verdade"? Quem são?....
Quando vemos este tipo de imagens nos maiores museus do mundo, quem escolhe tais peças? São os pseudo intelectuais?....

Então quem são os intelectuais de verdade? Aqueles que param e pensam na nossa sociedade, na nossa forma de viver? São os que escolhem fotos de flores bonitas?
 




Partilhar Post #55 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 04 Agosto 2013 - 00:51

O Helmut Newton, foi chamado por eles de Pornografo! Como não sei, o tempo fez o seu serviço!

 

O Jock Sturges foi chamado de pedófilo.

 

A Sally Mann também....

 

Mas no caso deles vemos fotografia com consciência valor e emoção, sentimento .etc! Sim podes dizer que são retratistas e fotógrafos de moda!

 

Será só por isso?

 

O que os diverge dos outros todos? Fica a pergunta!


Editado por vlbphoto, 04 Agosto 2013 - 00:52 .



Partilhar Post #56 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 8304
  • Idade: 37
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 04 Agosto 2013 - 01:43

Pelos que pensam a fotografia, ou por aqueles que apenas olham rapidamente para o que está nela?
 

É que isso encaixa-se perfeitamente naqueles que olham sem ver. Que não quere entender novas formas de expressão. "tem mamas? é porn.. Não é bonito, não presta"  ;)




Partilhar Post #57 agomes

agomes

  • Membro
  • Registo: 21/08/2007
  • Posts: 3582

Publicado 04 Agosto 2013 - 01:46

Olá, boas

 

Estamos aqui a debater fotografia, e pela primeira vez em muitos anos de fórum, de uma forma construtiva! Bate palmas Jorge Folha! :)

 

Estive quase a intervir nesta discussão por mais de uma vez mas esta afirmação fez-me cair na real e ver a inutilidade da "coisa", pois não a posso desligar do facto de já ter participado por aqui em vários debates sobre temas quase idênticos e/ou correlacionados e, por isso, duvidar da minha capacidade para o fazer de forma "construtiva".  :blush:  :blush:

 

Se bem que do que possa ter por aqui escrito com o à vontade e inconsciência de quem não é Fotógrafo nem nunca teve uma educação formal sobre Fotografia, Arte Fotográfica, História da Arte ou da Fotografia pouco ou nada reste em virtude do efeito "sanitário" da limpeza de ficheiros do Fórum, ocorrida há algum tempo, tenho de concordar que nunca aqui se chegou a consensos sobre o que, entre outros tópicos, será a Arte, incluindo a Arte Fotográfica, ou mesmo sobre o que é uma "boa fotografia" e, por isso, esperemos que desta vez se colmatem essas falhas e que os desacordos ainda prevalecentes sejam sanados.

 

No entanto, não resisto a arriscar umas quantas palavras e desde já as minhas desculpas se saírem disparates.  :blush:

 

Um dos pontos basilares da posição do vlbphoto tem sido o do requisito da "autosuficiência" da imagem fotográfica enquanto significante que comporta em si mesmo o significado, que me perdoem os puristas da semiótica por este grau de liberdade no uso dos seus conceitos.

 


A meu ver fotografia que é verdadeiramente fotografia só é valida se conseguir exprimir-se sem ter textos acessórios! Tem de ser explicita o quanto baste para ser compreendida!

(...)

 

 


(...)

Mas em fotografia se não o conseguires fazer só com a imagem deixa de ser fotografia! É chato mas é assim!

(...)

No entanto nada alterará a máxima! A fotografia deve valer por ela própria sem apoios! Se não se valer deixa de ser só fotografia!

(...)

 

Mas, ao mesmo tempo e curiosamente, não deixa de avançar:

 

 

(...)

O processo de criação de uma exposição de fotografia deve passar pela correcta publicidade da mesma!

Meses antes da exposição, tem de se chamar à atenção dela!

 

Se o conceito a apresentar for muito complexo o tempo de publicidade deve ainda ser maior! Dar tempo ao publico alvo de absorver e digerir o conceito antes de ir ver a exposição!

 

Fotógrafo X apresenta a beleza da morte! Veja aqui tudo sobre esta exposição!

Se isto for feito como deve de ser, educaste o publico para o que vai ver, deste-lhe tempo para pensar sobre o que vais apresentar, e se bem feito consegues ainda captar mais gente verdadeiramente interessada a juntar ás beatas de museus e exposições, ou turistas ocasionais!

(...)

 

Ou seja, toma-se como legítimo explicar à anteriori, tantas vezes e com a intensidade necessária, o que à posteriori transforma uma candidata a Fotografia numa não fotografia, por incapacidade de se fazer valer por si própria, sejam títulos mais elaborados ou textos de contextualização, ressalvadas as raras excepções que o autor dos posts acabou por aceitar.

 

E, a questão ainda se complica um pouco mais quando um outro participante, que até aceita e considera como uma eventual vantagem o uso de legendas e textos, sobe a parada dos requisitos para o observador conseguir decifrar o significado da imagem e, simultaneamente, esta responder aos requisitos para ser catalogada como Arte Fotográfica:

 

 

Mas dificilmente conseguirás fazer boa fotografia para massas.  :)

Pega numa boa fotografia para massas e vais ver que para quem estiver realmente interessado em fotografia, vai ser no mínimo, uma foto discutível.
(...)

 

 

E, a seguir o assunto vira-se para os que podem ter "legitimidade" para perceber do que é será "Arte Fotográfica":

 

Fala-se de pseudo intelectuais....
Todos os que conseguem ver na fotografia algo mais do que o bonito instantâne são apelidados de tal...

E os intelectuais "de verdade"? Quem são?....
Quando vemos este tipo de imagens nos maiores museus do mundo, quem escolhe tais peças? São os pseudo intelectuais?....

Então quem são os intelectuais de verdade? Aqueles que param e pensam na nossa sociedade, na nossa forma de viver? São os que escolhem fotos de flores bonitas?
 

 

Depois de referências anteriores a curadores, este post acentua a forma veneradora como aqui são referidos os Museus (nomeadamente os Maiores Museus) e a aceitação acrítica dos seus espólios como garantia de Arte e intemporalidade da Grande Arte, como se tal fosse um tema perfeitamente pacífico nos dias de hoje. E o mesmo se poderia colocar em relação ao que se passa no Mercado da Arte e a forma como nele são "criados" e promovidos  alguns artistas que se sabe não irão passar no teste do Tempo.

 

Sobre os Museus, deixo um link para uma entrada de um blog, mantido por um professor de História da Arte (de acordo com o perfil), com uma entrevista sobre os Museus, que alguém já considerou como Mausoléus (mas isso seria outro assunto, sobre o que é Arte e o seu papel na sociedade):

http://jardel-dias.b...e-um-museu.html

 

Boas  :foto:  :foto:




Partilhar Post #58 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 8304
  • Idade: 37
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 04 Agosto 2013 - 02:11

agomes, o teste do tempo não o poderemos fazer já, como é óbvio...
Mas onde são exibidas as grandes obras de épocas passadas? Não estão em museus e galerias de arte?

Podemos dizer que é tudo uma questão de influências, e que ninguém merece estar nos museus, e que são todos pseudo isto e aquilo.... Mas sinceramente acho que isso não leva a lado nenhum.... E olhando com olhos de ver para o que se encontra em muitos museus, se pode dizer com alguma segurança que não é apenas lixo que lá está...
Se é, então onde andam os "artistas" a sério?




Partilhar Post #59 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 04 Agosto 2013 - 03:19

Agomes! A ideia foi mesmo, como escrevi, baralhar e rebaralhar as coisas, tomar pontos, defende-los, ataca-los e baralhar mais um pouco!

 

Já andamos nesta discussão faz anos por este fórum nunca se chegou a um consenso! Com a frase que escrevi era mesmo para chamar ao comentário aos da velha guarda, já mais a fiz como ofensa aos longos debates que aqui foram feitos!

 

O Daim que contribuiu e muito para a discussão, enterrou fotógrafos vivos, na defensa dos novos, mas nunca arranjou uma defesa valida para a "nova" fotografia, muito provavelmente, as defesas que fiz da "velha" não foram suficientes/convincentes, e novamente vieste contribuir.

 

E deixaste uns pontos que ainda não tinham sido debatidos desta vez! Mas todos eles ajudam a retratar o problema desta fotografia actual!

 

Por varias vezes me perguntei, Se a minha fotografia, boa ou má, fosse enterrada sozinha sem identificação ou textos acessórios,numa cápsula do tempo, só reaberta dentro de 300 anos, como seria vista pelos que a abrissem?

 

A ideia de museu/negócio assusta-me! A parte do negócio na arte sempre me assustou, porque, como nos negócios se vende lixo a preço de ouro, na arte acontece o mesmo, e acabamos a ver valorizados e conotados uns em detrimento de outros! Quem tem visibilidade tem negócio, logo dinheiro para promover mais visibilidade! Qualquer dia, os negócios viram arte como os negociantes viram artistas!

 

Mas para terminar vou voltar a baralhar e rebaralhar voltando ao inicio, dizendo que a minha fotografia não se tem de justificar pela palavra, para ser apreciada! Tem de valer por ela própria!

 

Grande Texto! ROBERT SMITHSON - O QUE É UM MUSEU?


Editado por vlbphoto, 04 Agosto 2013 - 03:22 .



Partilhar Post #60 vlbphoto

vlbphoto

  • Membro
  • Registo: 30/01/2008
  • Posts: 1203
  • Idade: 46
    • Local: Lisboa
    • http://www.vlbphoto.com/

Publicado 04 Agosto 2013 - 04:28

Depois do que escrevi, voltei para o filme que estava a ver, mm que um dos actores pergunta ao outro onde é que vai buscar a inspiração! Em nada isto se poderia comparar com a fotografia! Ou pode!? http://youtu.be/4b3563BJREo?t=48m36s

Do marasmo e convulsões sociais do inicio de século veio a primeira guerra, e de seguida a explosão criativa dos anos 20.

 

Viveremos o mesmo marasmo que se viveu em 1910? Estaremos à beira de uma nova guerra? Que isso importa para a fotografia?

 

Bom, acabei de passar por algumas paginas de fotografia de um lugar bem distante como este! http://www.tahitiphotoblog.com/

 

A globalização Uniformizou o mundo de tal forma que nem no outro lado do mundo se vêm diferenças significativas na fotografia que se faz por lá!

 

Deveria haver diferenças? Porque copiamos o bom e o mau e o mediano sem discernirmos? Será que copiamos? Será que partilhamos todos ao mesmo caminho evolutivo, mesmo com 30.000km de distância?

 

Isto leva-me à pergunta dos 10 milhões! O que levou à fotografia actual? Viveremos mesmo o marasmo do inicio de século?

 

São só perguntas sem respostas? Algo para baralhar e rebaralhar?