Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Foto

Fotógrafo Purista - Existe?


  • Por favor inicie sessão para responder
69 respostas a este tópico

Partilhar Post #21 dmarquizz

dmarquizz

  • Membro
  • Registo: 10/03/2010
  • Posts: 261

Publicado 18 Dezembro 2012 - 13:47

Claro que não há fotógrafos puristas.

Aqueles que dizem que a foto saiu assim da máquina e nem lhe mexeram, esquecem-se que o "assim" são as definições que um engenheiro japonês qualquer achou que seriam boas.

Outros são aqueles que não sabem editar.


Anúncios

Partilhar Post #22 aliusvetus

aliusvetus

  • Novo Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 24

Publicado 05 Janeiro 2013 - 19:19


(...)Os únicos problemas das alterações (edição electrónica) é que, por um lado, não conseguem transformar uma má imagem inicial numa excelente fotografia mas, por outro, podem estragar uma boa imagem pelo seu uso exagerado ou inadequado.(...)


Totalmente de acordo. Sei que li (já não me lembro quando e onde) há muito tempo um texto belissimamente documentado no qual o seu autor afirmava que fotografar é manipular (a luz, a perspectiva, a maneira como se vê o que nos rodeia). Sou da mesma opinião - embora haja quem se arrogue ser "purista", ninguém o consegue verdadeiramente ser, pelas razões que já foram aqui brilhantemente apontadas. Na minha modesta opinião, só poderá ou deverá ser legitimada ou contestada a edição em termos de "quantidade" numa base exclusiva de concepção estética. Há quem diga que a melhor edição é aquela que se não consegue ver a "olho nu". Eu não sou tão radical, mas compreendo e concordo com o fundamento desta afirmação. Direi que todos temos criadas as nossas fronteiras e estabelecidos os limites do razoável. Mas, lá está: gostos são gostos; claro que se podem e devem discutir, mas continuam gostos. E cada um tem os seus...


Partilhar Post #23 El Cavera

El Cavera

  • Membro
  • Registo: 29/06/2011
  • Posts: 1086
    • Local: Oliveira de Azemeis

Publicado 06 Janeiro 2013 - 13:45

Para mim a fotografia deve começar e acabar na cabeça de cada um... a camera fotográfica e o computador são apenas ferramentas que a permitem fazer :)
O pós-processamento é uma mais valia para uma foto, permite corrigir pequenos erros que tenham sido cometidos (de exposição,enquadramento...), e permite salientar virtudes da foto (nitidez, contraste, cores...)
Limitarmos a nossa fotografia por causa dessa treta toda do "purismo", é limitar a nossa propria criatividade.
Tenho um colega meu que nunca editava foto nenhuma, fotografava sempre em jpeg e colocava sempre com orgulho, um comentário nas fotos que publicava em que dizia, está como saiu da máquina. Quando olhava para as minhas fotos dizia:
-"está fixe, mas tem muito tratamento" e desvalorizava o meu trabalho, mesmo sem saber como era a original...
À pouco tempo comecei a ensinar-lhe umas tecnicas de PP e ele começou a gostar, treinar e estragar fotos com exageros...
Afinal o purismo que ele orgulhosamente mostrava assim como a condenação e desmérito do PP, eram na realidade uma forma de esconder a falta de conhecimento em edição :P

Às vezes quando publico fotos mais "invulgares" tenho de dizer que não teve Photoshop, porque se tiveres uma foto boa que tenha ido ao PS, está automáticamente desvalorizada, (por isso digo que tem Lightroom :D). E faço isto porque já me perguntaram se uma foto tinha Photoshop, por causa de ter startrails (lá tive de explicar que a terra rodava e não ficava parada lol) hehe



Partilhar Post #24 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 8304
  • Idade: 37
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 06 Janeiro 2013 - 15:17

há pessoas que se orgulham das técnicas que usam, ou não usam... Há outros que se orgulham das fotografias que conseguem....

Só pode ser purista quem ainda usa uma pinhole para fotografar. Assim não há a diabólica distorção da lente... Ou a demoníaca utilização de várias aberturas....


Partilhar Post #25 Vasco Silva

Vasco Silva

  • Membro
  • Registo: 30/12/2009
  • Posts: 474
  • Idade: 36
    • Local: Viana do Castelo
    • aka cosamala

Publicado 06 Janeiro 2013 - 22:46

(...)
As fotos "mal tiradas", com horizontes tortos, e não sei me lembra mais o quê, acontecem por uma coisa, e uma só coisa: a falta de interesse do fotógrafo.
(...)

As fotos com horizontes tortos não acontecem só por isso, posso garantir :P


IT Partilhar Post #26 . H .

. H .

  • Membro
  • Registo: 30/08/2012
  • Posts: 1315
  • Idade: 33
    • Local: Natal - Brasil

Publicado 07 Janeiro 2013 - 03:23

As fotos com horizontes tortos não acontecem só por isso, posso garantir :P


:lol: :lol: :lol:


Partilhar Post #27 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 23 Janeiro 2013 - 16:49

x2 e até diria mais, tenta justificar a sua falta de jeito com uma necessidade obsessiva de "purismo" para justificar as suas deficiências....


Por falar nessa "onda", há muito a moda (ou já houve mais), de fotógrafos que trabalham mal e porcamente (porcamente é mesmo o termo) em analógico, de forma a deixarem nas imagens todas as suas impressões digitais e cabelos, isso só para depois as poderem exibir com a legenda: "digital free". E depois vai-se a ver, e as fotos em si não têm nada de especial, são tão ou mais banais que as que uma criança de dois anos faria. No outro extremo, há os que se dão ao trabalho de construir (ou sacar da net) actions com "lixo", para usar nas suas edições digitais. Enfim, o mundo anda doido e não é de agora.  :lol:

Puristas ou não, a mim a única coisa que me importa é se os meios estão relacionados com os fins. Se assim é, nada tenho contra, nem relativamente aos fotógrafos "sujos". :D

Já quanto ao assunto mais concreto do tópico, ou seja, se será válido ou não, falar-se de purismo na era da fotografia digital, eu penso que a fotografia, em si, nunca foi purista. Ao contrário, tanto ao nível técnico como das suas diversas linguagens, a fotografia sempre foi transversal a diversas artes e ciências. No início assemelhava-se, (tanto técnicamente como em linguagem) à pintura (e à química, enquanto ciência), e agora assemelha-se (em técnica) à informática. Portanto, talvez o purismo da fotografia seja mesmo esse, o de ser eternamente tranversal e impura. :D


Picacuca


Partilhar Post #28 El Cavera

El Cavera

  • Membro
  • Registo: 29/06/2011
  • Posts: 1086
    • Local: Oliveira de Azemeis

Publicado 24 Janeiro 2013 - 17:16

Portanto, talvez o purismo da fotografia seja mesmo esse, o de ser eternamente tranversal e impura. :D

Picacuca


Como é que ponho um like a esta parte e compartilho no facebook? :D :D :D :th_up:


Partilhar Post #29 Vasco Silva

Vasco Silva

  • Membro
  • Registo: 30/12/2009
  • Posts: 474
  • Idade: 36
    • Local: Viana do Castelo
    • aka cosamala

Publicado 24 Janeiro 2013 - 19:15

Por falar nessa "onda", há muito a moda (ou já houve mais), de fotógrafos que trabalham mal e porcamente (porcamente é mesmo o termo) em analógico, de forma a deixarem nas imagens todas as suas impressões digitais e cabelos, isso só para depois as poderem exibir com a legenda: "digital free". E depois vai-se a ver, e as fotos em si não têm nada de especial, são tão ou mais banais que as que uma criança de dois anos faria. No outro extremo, há os que se dão ao trabalho de construir (ou sacar da net) actions com "lixo", para usar nas suas edições digitais. Enfim, o mundo anda doido e não é de agora.  :lol:

Puristas ou não, a mim a única coisa que me importa é se os meios estão relacionados com os fins. Se assim é, nada tenho contra, nem relativamente aos fotógrafos "sujos". :D

Já quanto ao assunto mais concreto do tópico, ou seja, se será válido ou não, falar-se de purismo na era da fotografia digital, eu penso que a fotografia, em si, nunca foi purista. Ao contrário, tanto ao nível técnico como das suas diversas linguagens, a fotografia sempre foi transversal a diversas artes e ciências. No início assemelhava-se, (tanto técnicamente como em linguagem) à pintura (e à química, enquanto ciência), e agora assemelha-se (em técnica) à informática. Portanto, talvez o purismo da fotografia seja mesmo esse, o de ser eternamente tranversal e impura. :D


Picacuca


Concordo em absoluta, aliás, agradeço as palavras tão bem colocadas no que toca a este assunto ;)
Essa descrição fez-me lembrar isto: www.ideastap.com/photography/magnum-showcase



Partilhar Post #30 Garcia.J

Garcia.J

  • Membro
  • Registo: 08/05/2009
  • Posts: 606

Publicado 24 Janeiro 2013 - 19:52

Na minha opinião existe um conceito errado generalizado sobre este aspeto da fotografia (este e não só), mas fiquemos ontopic...
Penso que, quando se fala em "fotografo purista", regra geral as pessoas associam isso a "fotografo que JAMAIS edita as suas fotos em PP". E isso não tem nada a haver (pelo menos na minha opinião).



Partilhar Post #31 Vasco Silva

Vasco Silva

  • Membro
  • Registo: 30/12/2009
  • Posts: 474
  • Idade: 36
    • Local: Viana do Castelo
    • aka cosamala

Publicado 24 Janeiro 2013 - 23:17

Seria interessante saber mais do que "na minha opinião não tem nada a ver"...
Claro que não é obrigado a fazê-lo, mas fica aqui a garantia do meu interesse sincero que gostaria de ver o assunto mais "explicado", por assim dizer  ;)


Partilhar Post #32 Garcia.J

Garcia.J

  • Membro
  • Registo: 08/05/2009
  • Posts: 606

Publicado 25 Janeiro 2013 - 11:35

A minha última resposta, vem complementar a outra intervenção que tive neste mesmo tópico. Então, o que eu quero dizer é que um fotógrafo que se diz "purista", também deve usar PP...simplesmente ele não depende dos seus conhecimentos de edição de imagem para "fazer" a foto.
Quanto a correção gramatical...agradeço a boa intenção, embora já tenha visto as duas versões dadas como corretas. Talvez haja por aí algum prof. de Português que nos possa elucidar.


Partilhar Post #33 Vasco Silva

Vasco Silva

  • Membro
  • Registo: 30/12/2009
  • Posts: 474
  • Idade: 36
    • Local: Viana do Castelo
    • aka cosamala

Publicado 25 Janeiro 2013 - 12:35

Ok, já compreendi ;) Concordo com o ponto de vista, mas eu vejo esse tipo de "fotógrafo purista" apenas como um fotógrafo, claro que estas ideias estão verdes na minha cabeça, posso vir a mudar...
A correcção gramatical deveu-se a eu estar mesmo convencido de estar correcto, mas se diz que já viu as duas versões dadas como correctas já não ponho a mão no fogo... Eu gosto de ser corrigido e tenho a mania de fazer o mesmo, espero que não leve a mal...  ;)

PS: ainda escrevo à moda antiga, ainda não tive tempo de estudar o novo acordo  :blush:


Partilhar Post #34 al-Farrob

al-Farrob

  • Membro
  • Registo: 11/04/2008
  • Posts: 7457
  • Idade: 66

Publicado 25 Janeiro 2013 - 14:28

(...)
Quanto a correção gramatical...agradeço a boa intenção, embora já tenha visto as duas versões dadas como corretas. Talvez haja por aí algum prof. de Português que nos possa elucidar.


A versão "nada a haver" existe, sim senhor, não significa é o mesmo. Nem tem mesmo nada a ver o significado de "nada a haver" com o de "nada a ver".





Partilhar Post #35 dpalos

dpalos

  • Membro
  • Registo: 31/08/2007
  • Posts: 1010
    • Local: Coimbra/Guarda

Publicado 25 Janeiro 2013 - 15:38

Nada a haver - não tem nada a receber; ninguém está em dívida para

nada a ver  - não está relacionado com; 


Partilhar Post #36 pavas

pavas

  • Membro
  • Registo: 13/07/2012
  • Posts: 6614
  • Idade: 46
    • Local: Vila Nova de Gaia
    • Viva la Galeria Decay mas guapa del universo e entorno!

Publicado 25 Janeiro 2013 - 18:05

Claro que não há fotógrafos puristas.

Aqueles que dizem que a foto saiu assim da máquina e nem lhe mexeram, esquecem-se que o "assim" são as definições que um engenheiro japonês qualquer achou que seriam boas.

Outros são aqueles que não sabem editar.


Fantástica síntese. Posso citá-la?


Partilhar Post #37 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 25 Janeiro 2013 - 18:17

A minha última resposta, vem complementar a outra intervenção que tive neste mesmo tópico. Então, o que eu quero dizer é que um fotógrafo que se diz "purista", também deve usar PP...simplesmente ele não depende dos seus conhecimentos de edição de imagem para "fazer" a foto.


Pessoalmente eu iria um pouco mais longe nessa definição de "purista", e para isso, pegaria na ideia que lancei anteriormente sobre os meios estarem relacionados com os fins...

Tomemos o exemplo recente da fotografia falsa do "Hugo Chavez" no hospital, aquela que o El País chegou a publicar, mas que depois retirou com um pedido de desculpas (as edições que sairam devem valer um balúrdio). :D

Nessa imagem houve manipulação digital de modo a recriar a imagem? Ela já não existia?

Ao que parece (e a acreditar nos jornalistas), a imagem foi retirada de um vídeo que circula no youtube desde 2008 e exemplificava um procedimento operatório. Aparentemente, a pessoa que está retratada nem é o Hugo Chavez, mas alguém parecido. (Mesmo parecido, deve ser o irmão gémeo!) :D
Perante esta situação, então porque será que a fotografia é falsa, se não foi nem recomposta digitalmente de modo a criar outra imagem, nem sequer para embelezá-la, ou corrigir erros do fotógrafo?
Ou será falsa porque foi retirada de um vídeo? Penso que não será por aí. Embora alguns puristas da fotografia possam não considerar um frame de um vídeo como uma fotografia válida, o facto é que esse frame não deixa de ser fotografia, e quem executa essa acção, não deixa de ser fotógrafo.

Penso que em situações destas, se pode aplicar a ideia de que os procedimentos não estarão de acordo com os fins que a fotografia pretendia ter, que eram os de retratar Hugo chavez. Pois se nem era ele... Neste caso, a manipulação não foi feita directamente na imagem, mas no seu contexto, tirando-lhe a veracidade que seria suposto ter naquele caso. E como tal, não é uma fotografia, já que a fotografia implica também um grau aceitável de veracidade, seja isso o que for. A imagem fotográfica tem, por defenição, uma ligação ao mundo real (seja lá o que isso for). Mesmo que se manipule uma imagem de modo a alterá-la, para que essa imagem continue a ser considerada de fotografia, terá que se manter a ligação à realidade que a fez surgir. Se assim não for, poderemos estar a falar de ilustração, de ilusão, de embuste, fraude, do que quisermos, mas não de fotografia.

Pois para mim, é esse o único purismo da fotografia: a imagem tem que estar ligada a situação, objecto, pessoa, situação, (ou memso ideia), que levou àquela impressão numa superfície sensível. Essa ligação terá que ser, se não 100% fidedigna (isso seria impossível), então será, ao menos, fortemente relacionada com o motivo fotografado (essencialmente ao nível do contexto), porque esse é o fim da fotografia. Mas, se para chegar a essa relação, o fotógrafo tiver que manipular, não vejo nada de grave nisso. Ao fim e ao cabo, tal como já afirmei, para mim basta que os meios estejam relacionados com os fins.


PS: acerca da polémica "a haver versus "a ver", o dpalos já explicou de modo suficientemente claro as diferenças entre as duas formas. Apenas acrescento que, no lugar do uso da expressão "a ver", também se pode usar "que ver". Exemplo: essa questão nada tem "que ver" com isso. E assim se avia de falar bom Português. :lol:


Picacuca



Partilhar Post #38 agomes

agomes

  • Membro
  • Registo: 21/08/2007
  • Posts: 3582

Publicado 25 Janeiro 2013 - 20:19

(...)
Perante esta situação, então porque será que a fotografia é falsa, se não foi nem recomposta digitalmente de modo a criar outra imagem, nem sequer para embelezá-la, ou corrigir erros do fotógrafo?
(...)


Olá, boas

Tenho estado para voltar a intervir nesta discussão mas tenho resistido até agora mesmo que já passe das sete e a conversa sobre as questões léxico-gramaticais me tenha lembrado a estória do "orário de travalho" de certa loja que dizia que "depois das sete não há aviação seja para quem for" e que, neste caso, até talvez fosse a atitude mais sensata  :D mas a carne é fraca para tanta tentação e cá vai.

Meu caro Picacuca, desde que deste a conhecer o teu anterior texto que essa da "relação entre os meios e os fins" me ficou cá a trabalhar pois, não se sabendo de que tipo ela possa ser tida como admissível e envolvendo "puristas" e "sujos", receava que, no limite, pudesse dar azo às mais variadas confusões, e até poucas-vergonhas.  :P

Ora bem, neste segundo texto, e sem que haja propriamente questões incestuosas na relação entre os tais meios e fins, pois não me parecem irmãos nem parentes em primeiro grau, acabas por, mesmo que indirectamente, demostrar que a fotografia do El Comandante afinal é "verdadeira", embora argumentando sempre acerca da sua "falsidade".

E, porquê?

Bem, primeiro porque existe uma relação directa entre os meios empregues e os fins perseguidos por quem queria que a imagem fosse publicada de modo a tirar proveito da confusão à volta da situação clínica do pretenso modelo e, depois, porque a imagem, apesar de ser um fotograma de um vídeo antigo, foi registada e tem relação com um doente real (ao tempo, coitado!), muito embora não fosse aquele a que a notícia aludia. Por isso, o que temos aqui é uma notícia falsa ao estabelecer uma relação inexistente entre uma imagem e um doente verdadeiros, e a tal ponto que, tirando proveito do facto de o doente (actual) verdadeiro a que a notícia se refere ter muitos dos traços gerais do índio venezuelano, até tu próprio, e não obstante a retracção do jornal, aventaste que não seria totalmente descabido se fosse ele o fotografado - (Mesmo parecido, deve ser o irmão gémeo!) .  :sim:

Por isso, off-side e golo nulo!  :lol: :lol: E, tens a sorte de não apanhar um amarelo por simulação e tentativa de enganar o árbitro.  :D

Mas, chegados a este ponto e perante a pergunta que titula o tópico, creio estar em condições de afirmar que, após aturada investigação, consegui encontrar o fotógrafo purista e, portanto, dizer que ele não só existe como preenche as condições exigidas pelas mais rigorosas normas, incluindo as do Picacuca.

No entanto, devo dizer desde já que se trata de um sujeito deveras singular e exigente consigo próprio, como se poderá ver pela demonstração a que se prestou para me retirar as dúvidas e a sua reacção à minha apreciação final.

Pois bem, o nosso homem teve um trabalho dos diabos até conseguir que a sua máquina correspondesse às exigências, submetendo-a a rigorosos testes e colocando-a a funcionar de acordo com uma curvas de contraste que considerou responder às mesmas, razão porque não se tornava mais necessário ajustes através dos menus e, por isso, ficou tudo com os valores por defeito.

Claro que fez o mesmo em relação ao fotómetro e, não obstante, utilizava também um externo, perfeitamente calibrado, com que fazia leituras de luz incidente, por não confiar na reflectida.
Além disso, recorria a um termo-coloritmo para medir a temperatura de cor em graus Kelvin, tal como utilizava um ponteiro de laser com medidor de distâncias para verificação final da focagem (não fosse o diabo tecê-las...).

Posto isto, colocou a máquina num tripé absolutamente estável, cuja cabeça permitiu o alinhamento perfeito da máquina em relação ao plano do motivo a fotografar, fez todas as medições e, como é óbvio, introduziu os valores respectivos no aparelho em modo manual, tendo o cuidado de também verificar a distância ao plano do sensor com o ponteiro de laser, após o que efectuou a exposição com recurso a um disparador electrónico, a fim de não introduzir quaisquer vibrações no processo em que tivera também a preocupação de subir o espelho.

Resta acrescentar que a imagem apenas registou uma parte do modelo.

Feita a exposição, o fotógrafo purista passou o ficheiro para o computador e, usando uma impressora, papeis e tintas suficientemente testadas e com recurso a um perfil de impressão adaptado aos seus requisitos, procedeu à impressão da Fotografia que eu deveria apreciar em toda a sua pureza, uma vez que não tinha sofrido qualquer tratamento posterior (nem nehum eventual e sacrílego crop).

E, quando lhe disse que a impressora não tinha funcionado devidamente e nos tinha dado uma folha virgem, o nosso homem passou-se por completo, chamando-me ignorante e incapaz de apreciar uma obra que era absolutamente fiel ao motivo fotografado, vociferando e acusando-me de ingratidão pois, após tanto trabalho, eu não conseguia enxergar, quanto mais apreciar, a beleza daquele balanço dos brancos e equilíbrio de luz, a retratar uma superfície branca e sem rugosidade que influenciasse a perfeição do seu trabalho.  :blush: :blush:

Ao fim e ao cabo, até talvez devesse esconder esta minha amarga experiência mas, apesar de ainda hoje me fazer confusão porque não consegui ver nada naquela fotografia, apesar do rigor com que foi planeada e a forma tecnicamente perfeita como foi executada, não resisti à tentação de vos dizer que "o fotógrafo purista" existe, porque eu tive oportunidade de o ver em acção...o pior é o resto... mas isso já devem ser as minhas limitações.

Boas  :photo: :photo:




Partilhar Post #39 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 26 Janeiro 2013 - 13:19



Meu caro Picacuca, desde que deste a conhecer o teu anterior texto que essa da "relação entre os meios e os fins" me ficou cá a trabalhar pois, não se sabendo de que tipo ela possa ser tida como admissível e envolvendo "puristas" e "sujos", receava que, no limite, pudesse dar azo às mais variadas confusões, e até poucas-vergonhas.  :P

Ora bem, neste segundo texto, e sem que haja propriamente questões incestuosas na relação entre os tais meios e fins, pois não me parecem irmãos nem parentes em primeiro grau, acabas por, mesmo que indirectamente, demostrar que a fotografia do El Comandante afinal é "verdadeira", embora argumentando sempre acerca da sua "falsidade".


Olha que não, olha que não!... :lol:

Eu não estou a demontrar que a foto é verdadeira, apenas a fazer realçar que toda a imagem tem um fim, e se o fim "real" da imagem é diferente do fim que pretensamente deveria ter, então a imagem torna-se falsa por ter sido descontextualizada e não por ter sido alterada. É isso que eu tento demonstrar. Aliás, o mesmo se poderá passar com a linguagem, quando se retira de um determinado contexto uma afirmação de alguém, e com essa acção e se tenta provar que esse alguém, afinal, disse precisamente o contrário do que pretendia dizer. :D A mesma frase assim descontextualizada, passa a ser falsa, mesmo que seja uma citação ipsis verbis daquilo que fora anteriormente afirmado. Está-se portanto, numa área da falsificação através do contexto, ou da mensagem, e não da forma.

E, porquê?

Bem, primeiro porque existe uma relação directa entre os meios empregues e os fins perseguidos por quem queria que a imagem fosse publicada de modo a tirar proveito da confusão à volta da situação clínica do pretenso modelo e, depois, porque a imagem, apesar de ser um fotograma de um vídeo antigo, foi registada e tem relação com um doente real (ao tempo, coitado!), muito embora não fosse aquele a que a notícia aludia.


E mais: falas nas intenções de quem "queria que a imagem fosse publicada de modo a tirar proveito da confusão à volta da situação clínica do pretenso modelo", como estando em "relação directa" com "os meios empregues", talvez sugerindo que, aquando da realização do referido vídeo imagem realizada em 2008, o autor do memso vídeo, tivesse já a intenção de a fazer publicar no El País, identificando o modelo como sendo o Hugo Chavez, precisamente para lançar a confusão que se veio a verificar. Se assim foi, só a capacidade de antecipação (de adivinhação, ou bruxaria) de quem assim foi capaz de proceder, mete medo!  :shock:

Bem sei que não foi isto que quiseste dizer, mas não resisti a uma pequena falsidade ao estilo do que referi acima. Não o fiz pelo gosto da falsidade, mas apenas para demonstrar como é fácil manipular-se o contexto da mensagem. :D
No entanto, há na tua afirmação um erro lógico, ao pretenderes que a finalidade da imagem seria a de lançar a confusão. Não, a finalidade oficial da imagem (e é essa a que conta), seria a de informar que Hugo Chevez estaria em estado crítico no hospital. Foi com essa finalidade que ela foi publicada, e essa finalidade é falsa, porque, tal como diz a canção, afinal havia outra (finalidade, leia-se), essa sim, verdadeira. 

Por isso, o que temos aqui é uma notícia falsa ao estabelecer uma relação inexistente entre uma imagem e um doente verdadeiros, e a tal ponto que, tirando proveito do facto de o doente (actual) verdadeiro a que a notícia se refere ter muitos dos traços gerais do índio venezuelano (...)


E mais ainda: a notícia á a imagem, uma e outra não são dissociáveis, portanto, se uma é falsa, a outra também o é. :sim: 

(...) até tu próprio, e não obstante a retracção do jornal, aventaste que não seria totalmente descabido se fosse ele o fotografado - (Mesmo parecido, deve ser o irmão gémeo!) .  :sim:


Bom, aqui cais num erro de interpretação, porque eu não aventei nada disso que afirmas. Apenas reconheci, em jeito de piada, que o modelo retratado é extremamente parecido com o Hugo Chavez. Apenas isso e nada mais! E se quiseres tirar das minhas palavras alguma conculusão, então seria mais acertado que inferisses que eu pretendia desculpar o alegado engano do El País, porque, de facto, as fisionomias do Hugo Chavez e desse senhor, são extremamente semelhantes.

Por isso, off-side e golo nulo!  :lol: :lol: E, tens a sorte de não apanhar um amarelo por simulação e tentativa de enganar o árbitro.  :D


Bom, de futebol já não discuto, não percebo nada disso e além do mais, ainda me restam 15 minutos de descanso, não vá ser desclassificado. :lol:

Quanto ao teu "retrato" de um fotógrafo purista, também é pena ele ter vindo em "branco", porque, por acaso, gostava de saber o nome dele, e (quem sabe?) ver a sua obra. :lol:

Mas brincadeiras à parte, por acaso existe mesmo um foógrafo, que não sei se é purista ou não, mas cuja obra se pode encaixar com alguma precisão, na descrição que fazes. Ele é Português e chama-se José Luís Neto. Além dos experimentalismos com emulsões fotográficas que podemos ver no seu site, esse autor é ainda conhecido por processar, com procedimentos extremamente rigososos, inúmeras folhas de papel fotográfico em branco. Não é de estranhar, portanto, que a primeira página do seu site seja (quase) apenas branca. No entanto, este autor tem uma finalidade ao assim proceder, e tal como afirmo acima, os meios que usa estão absolutamente concordantes com os seus fins, embora, nesse caso, o complicado seja falar dos fins... Mas esse seria outro debate.


Picacuca


IT Partilhar Post #40 . H .

. H .

  • Membro
  • Registo: 30/08/2012
  • Posts: 1315
  • Idade: 33
    • Local: Natal - Brasil

Publicado 26 Janeiro 2013 - 21:49

Estava eu pensando aqui em entrar na discussão "português" "fotografia falsa", ai percebi que o português no Brasil já é muito castigado, e que eu, não sou o melhor para eleva-lo. Em relação a "foto falsa" acredito que devemos ter em mente que sempre existe a possibilidade de conceitos e efeitos ocultos na publicação da mesma. a foto é um frame, a notícia é notícia seja verdadeira ou não. A pouco tempo uma enfermeira morreu devido a um trote telefônico. Qual era o efeito do trote?, Qual era o efeito pretendido ao se publicar a notícia sobre Chavez?. Há muita gente diferente no mundo, ninguém recebe a mesma notícia da mesma forma, isso acontece com a fotografia também.

Nosso amigo agomes, descreveu um trabalho complicado de ser fazer, que demanda tempo, observação e um bom domínio da situação. mas que nem todo mundo irá receber o resultado final da mesma forma. há quem derramará lágrimas assim como há quem lhe apontará a debulhar "exposição disso ou daquilo", "contraste aqui, saturação ali"...

Por fim creio eu que, o fotógrafo purista obtém seu conceito final ao atingir com sua fotografia todo um publico de maneira homogênea. Pois afinal não fazemos fotos pra si, fazemos fotos para pessoas, fazemos fotos para gente viva, gente que observa, sente e opina, gente que se emociona...

[quote author=Picacuca link=topic=134475.msg724894#msg724894 date=1359206396]

Quanto ao teu "retrato" de um fotógrafo purista, também é pena ele ter vindo em "branco", porque, por acaso, gostava de saber o nome dele, e (quem sabe?) ver a sua obra. :lol:

Picacuca
[/quote

::) Alguém se arrisca a nos mostrar uma foto pura?