Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Foto

Direito à privacidade


  • Por favor inicie sessão para responder
95 respostas a este tópico

Partilhar Post #21 peter42y

peter42y

  • Novo Membro
  • Registo: 14/02/2010
  • Posts: 19

Publicado 11 Outubro 2010 - 04:51

Mas isto do direito à imagem não é pra todos.
Veja-se esta foto de criança peruana.

http://www.1000image...o=970&t=&g=&p=5

É como se dizia num blog : Tirar fotografia a criança portuguesa..., ai Jesus que  pode ser pedófilo.
Mas tirar fotos a crianças estrangeiras no país delas.., isso já é aceitável.
De um ponto de vista legal não sei qual a lei do Peru em relação aos direitos de imagem.
Do ponto de vista moral..,é questionável  tirarem-se fotos  a crianças peruanas..,cubanas..., brasileiras.., mas quando toca às portuguesas..,ai jesus que pode vir aí um pedófilo.

Eu ,como referi , acho que ser fotografo e pedofilo são coisas diferentes.
O facto de se tirar foto a criança não a põe em risco.
Quantos raptos  de crianças ocorreram em portugal em 2010 ? Zero  que eu saiba.
E em 2009 ? Zero.
E em 2008 ? Zero.
Em 2007 desapareceu Madeleine..,mas muitos referem que os pais foram os responsáveis..,e não um pedófilo raptor.

Os pedofilos não andam de camera na mão a escolher criancinhas para raptar.




Anúncios

Partilhar Post #22 raulcosta

raulcosta

  • Membro
  • Registo: 22/04/2008
  • Posts: 1562
  • Idade: 47
    • Local: Lisboa

Publicado 11 Outubro 2010 - 12:10

Mas isto do direito à imagem não é pra todos.
Veja-se esta foto de criança peruana.

http://www.1000image...o=970&t=&g=&p=5

É como se dizia num blog : Tirar fotografia a criança portuguesa..., ai Jesus que  pode ser pedófilo.
Mas tirar fotos a crianças estrangeiras no país delas.., isso já é aceitável.
De um ponto de vista legal não sei qual a lei do Peru em relação aos direitos de imagem.
Do ponto de vista moral..,é questionável  tirarem-se fotos  a crianças peruanas..,cubanas..., brasileiras.., mas quando toca às portuguesas..,ai jesus que pode vir aí um pedófilo.

Eu ,como referi , acho que ser fotografo e pedofilo são coisas diferentes.
O facto de se tirar foto a criança não a põe em risco.
Quantos raptos  de crianças ocorreram em portugal em 2010 ? Zero  que eu saiba.
E em 2009 ? Zero.
E em 2008 ? Zero.
Em 2007 desapareceu Madeleine..,mas muitos referem que os pais foram os responsáveis..,e não um pedófilo raptor.
Os pedofilos não andam de camera na mão a escolher criancinhas para raptar.

Infelizmente esses números não são os reais.
Eu sei que muitas são por causa de "guerras" entre pai e mãe, mas ...
http://www.soscrianc...e&id=8&Itemid=9
Só em 2008 foram 76 (segundo a estatística).


Partilhar Post #23 gonun13

gonun13

  • Membro
  • Registo: 10/09/2010
  • Posts: 48
    • Local: Porto

Publicado 17 Outubro 2010 - 22:01

Eu por acaso tive a sorte de nunca ser incomodado por fotografar pessoas e crianças. Aliás, em desfiles (carnaval, natal) já tive pais especificamente a pedir para lhes fotografar as crianças. Até numa praia qualquer já me pediram!

Mas perto de parques infantis ou globalmente na rua sinto um grande desconforto das pessoas. É o tal medo primário e irracional. Se os pais fossem racionais acerca disso, perceberiam que o verdadeiro "pervertido" arranja um sítio escuro qq, distância focal de 400mm pra cima, e os pais nunca lhe põe a vista em cima. E tendo em conta que a maioria dos parques infantis são junto de agrupamentos de prédios...

Pessoalmente prefiro fotografar as pessoas sem elas saberem, só assim é que se captura a verdadeira realidade. Mas de vez em quando também início contacto com as pessoas, conhecer histórias e capturá-las em imagem. Agora, se queremos preservar a liberdade de expressão, nada em público deve ficar fora do alcance das nossas objectivas. Se isso significa que às vezes vão olhar para nós com ar duvidoso, sermos interpelados ou até ameaçados, que seja.

Como amador, diverte-me imenso ter que arranjar maneira de explicar o que estou a fazer sempre que alguém pergunta, "é para que revista/jornal?" :D


Partilhar Post #24 Bruno E. Santos

Bruno E. Santos

  • Membro
  • Registo: 07/12/2009
  • Posts: 293

Publicado 18 Outubro 2010 - 08:44

Em Portugal, passou-se do 8 para o 80, após o escândalo Casa Pia!

Uma história que me contaram! Algum pessoal conhecido costuma praticar desporto! Aqui há uns 6 ou 7 anos atrás, depois de rebentar o escândalo Casa Pia; um deles terá subido ao palco numa terra qualquer, para receber um troféu ganho numa competição desportiva! No palco estava uma menina de 8 ou 9 anos (vestida com os trajes típicos do rancho folclórico da terra), a entregar os prémios juntamente com os dignitários e senhores importantes da zona!

Só porque terá dito algo do género "-Olha uma menina tão bonita, como te chamas?", ouve logo pessoal da assistência a fazer ameaças e a querer subir ao palco para lhe dar porrada!  :ph34r:  :ph34r:  :ph34r:


Partilhar Post #25 peter42y

peter42y

  • Novo Membro
  • Registo: 14/02/2010
  • Posts: 19

Publicado 27 Outubro 2010 - 20:02

Infelizmente esses números não são os reais.
Eu sei que muitas são por causa de "guerras" entre pai e mãe, mas ...
http://www.soscrianc...e&id=8&Itemid=9
Só em 2008 foram 76 (segundo a estatística).


Veja a noticia que encontrei :


Desapareceram 193 crianças durante o ano passado em Portugal. Mas a taxa de recuperação revelou-se surpreendente porque todas foram resgatadas e entregues às famílias.


http://tv1.rtp.pt/no...cle=347307&tm=8


Penso que muitas dessas " crianças"  já não são crianças.
São pré adolescentes ou adolescentes de 14..,15 anos..,que fogem às familias  mas depois regressam , são encontrados.

Na estatistica são incluidas pré adolescentes e adolescentes  de 14..,e talvez 15 anos.
Criancinhas de 4 anos raptadas por desconhecidos ..,não são assim tantas..,são pouquissimas.




Partilhar Post #26 Pineze

Pineze

  • Novo Membro
  • Registo: 05/12/2010
  • Posts: 1

Publicado 05 Dezembro 2010 - 23:53

Olá a todos!

Aqui no Brasil é só um pouquinho diferente. Quando vou fotografar crianças em um parque (sem fins comerciais, somente artísticos) é preciso organiza-las, fazer uma fila e pedir a elas que se coloquem ao lado, pois entram todos de uma vez na frente da câmera. Mas isso acontece por aqui também, só que não é relacionado somente às crianças, mas de um modo geral, se alguém não gostar de ser fotografado, logo vem o transtorno.

De qualquer forma tem algumas dicas que talvez, eu disse "talvez", possam ajudar:

- Não seja um fotógrafo marrento, sério, mal vestido e nem se comporte como alguém que esteja fazendo algo de errado.
- Divirta-se ao fotografar de deixe transparecer esta imagem de felicidade e tranquilidade às pessoas. Ao passar esse tal "medo primário" elas acabam se acostumando, permitindo e até solicitando as imagens como recordação.
- E uma das mais importantes quando alguém quer mudar um conceito, mudar o clima cultural de um ambiente: vá em grupo! Sozinho a impressão que se tem é que você está caçando. Em grupo você se torna parte do meio e pode mobilizá-lo, transforma-lo.

Fácil? Não! Mas é mais fácil assim.


Aconteceu comigo:

Fazendo a cobertura do Rally dos Sertões eu estava a conversar com um policial que também gostava de fotografia. Conversa vai, conversa vem e eu fui demonstrar para ele sobre a interferência da velocidade do obturador no congelamento de imagens. Fotografei um carro que passava com uma velocidade baixa. Quando fui fotografar o outro para congelar o movimento o motorista parou o carro e chamou o guarda.
- Você viu! Eu não autorizei ele a me fotografar! Ele não pode fazer isso!
- ( o policial ficou mudo, pois não sabia o que fazer )
- (Eu, sem acreditar direito naquilo, me aproximei do veículo e pergungtei:)
- Como é?
- O Motorista se alterou mais um pouco e começou a vomitar injurias. É isso mesmo! Você não pode sair me fotografando assim não! Como é seu nome? Você trabalha pra quem? Espero que este policial tome alguma providência em relação a isso!
- (quando ele acabou de falar eu comecei)
- Olha só... veja bem. Em primeiro lugar eu posso te fotografar a hora que eu quiser, do jeito que eu quiser e fazer quantas fotos eu quiser do senhor. Em segundo lugar eu posso fazer o que eu quiser com essas fotos também... só que aí o senhor também poderá me processar e eu poderei ir para a prisão. Se eu não fizer nada com as fotos o senhor não tem o direito nem de falar assim comigo. Pense bem no que vai dizer daqui pra frente porque o policial está aqui do lado e calúnia, difamação, ofença e humilhação é crime também. Siga seu caminho e me deixe em paz!

Acho que o policial ficou com medo de mim... rsrsrs. Eu fiquei bravo nesse hora. Mas tem um detalhe que me deixou tranquilo para falar assim com ele na frente do policial. Era um policial do trânsito e não civil. kkkkkkk...

O senhor se retirou esbravejando e xingando Deus e o mundo por aquilo. Mas teve o que merecia. Se está devendo alguma coisa então não dê bobeira. Fique atento para não ser fotografado! rsrsrsrs... Quem não deve, não teme!


Partilhar Post #27 Felizes

Felizes

  • Membro
  • Registo: 10/08/2008
  • Posts: 214
  • Idade: 43
    • Local: Lisboa / Vila Nova de Foz Côa / Guarda

Publicado 28 Dezembro 2010 - 16:27

Eu penso assim:

E não quero com isto dizer que estou certo ou errado.

1 - um fotógrafo se quer que a coisa corra bem nunca deve pedir autorização para fotografar. Todos sabemos que isso condiciona as pessoas e estraga os momentos. ~

2 - Um fotógrafo deve ser sensato e ter noções éticas e morais que lhe permitam distinguir entre um retrato que valorize uma pessoa e outro que a humilhe. Com base nisto, um fotógrafo deverá publicar sempre fotos que valorizem o retratado.

3 - se a autoridade vier, ou se o visado manifestar essa intenção, pois sim, apagar as fotos da máquina.

Mas atenção:

Um polícia jamais poderá ver as imagens de um cartão sem o consentimento do fotógrafo. Isso é um atentado à reserva e á intimidade também do fotógrafo, que, sendo cidadão português tem esse direito consagrado na CRP. Aquilo que a polícia pode fazer é confiscar o cartão e apresentá-lo a um juiz e só este poderá nos termos da lei aceder às imagens e decidir nos termos da lei. Toda a gente se reserva o direito de fotografar na sua intimidade aquilo que quiser e bem lhe apetecer e visto que o cartão é PROPRIEDADE do fotógrafo, o mesmo não pode sob circunstancia alguma ser devassado da sua privacidade por nada e ninguém que não seja um juiz e no exercício das suas funções.


Partilhar Post #28 Felizes

Felizes

  • Membro
  • Registo: 10/08/2008
  • Posts: 214
  • Idade: 43
    • Local: Lisboa / Vila Nova de Foz Côa / Guarda

Publicado 28 Dezembro 2010 - 16:42

Mas é calro que se pode fotografar as tais bolas de berlim que estão expostas na montra, isto porque se trata de um expositor de acesso publico. Outra coisa será fotografar as bolinhas, com o nome da firma comercial e depois publicitar ou comercializar essas fotos !


Não me parece que estejas correcto e vou explicar porquê.

Um centro comercial é um espaço privado, de utilização pública e as regras no
seu interior são definidas pelo seu proprietário ou administração. Ao utente cabe o direito de não concordar com as regras estabelecidas, e por isso mesmo de não aceder ao lugar. Muita atenção, um centro comercial não é uma repartição de finanças. É privado e os seus donos, nos termos da lei têm toda a legitimidade de definir as regras de funcionamento no seu interior, inclusivamente a proibição de fotografar. Ou achas que os dísticos que estão afixados nas portas estão fora da lei? Se não concordas com as regras, tens o direito de não utilizar. Ninguém é obrigado.

A Lei é isto que diz. Cada um é dono do que é seu, e de estabelecer lá as regras que entender, desde que estejam nos termos da lei. E a lei não diz em lado nenhum que um espaço privado de utilização pública não pode proibir a captação de imagem. Observa-se exactamente o mesmo principio no caso dos CCTV. A lei obriga os proprietários a informar as pessoas precisamente para evitar que haja devassas à sua intimidade. Se um cidadão não quer ser filmado, muito em, antes de aceder ao espaço deve ser informado e depois decidir se vai ou não fazer usufruto do mesmo.



Partilhar Post #29 Capa Negra

Capa Negra

  • Membro
  • Registo: 11/08/2010
  • Posts: 41
    • Local: Agualva-Cacém

Publicado 31 Dezembro 2010 - 12:07

Não me parece que estejas correcto e vou explicar porquê.

Um centro comercial é um espaço privado, de utilização pública e as regras no
seu interior são definidas pelo seu proprietário ou administração. Ao utente cabe o direito de não concordar com as regras estabelecidas, e por isso mesmo de não aceder ao lugar. Muita atenção, um centro comercial não é uma repartição de finanças. É privado e os seus donos, nos termos da lei têm toda a legitimidade de definir as regras de funcionamento no seu interior, inclusivamente a proibição de fotografar. Ou achas que os dísticos que estão afixados nas portas estão fora da lei? Se não concordas com as regras, tens o direito de não utilizar. Ninguém é obrigado.
...


Aconselho uma melhor atenção na leitura e interpretação do que é postado !
Sou levado a crer que o seu ímpeto de escrever qualquer coisa foi maior que o descernimento e, desta forma, esteve mal !
Se reparar no post de salprata em 1710/2010, a ocorrência do quiosque já nada tem a ver com o centro comercial. Por outro lado, se verificar novamente, no meu post ficou claro que num centro comercial pode não ser permitido captar imagens. Logo é totalmente descabidas as suas conclusões e aconselhamento.


Partilhar Post #30 Capa Negra

Capa Negra

  • Membro
  • Registo: 11/08/2010
  • Posts: 41
    • Local: Agualva-Cacém

Publicado 31 Dezembro 2010 - 12:22

Eu penso assim: ...
...Um polícia jamais poderá ver as imagens de um cartão sem o consentimento do fotógrafo. Isso é um atentado à reserva e á intimidade também do fotógrafo, que, sendo cidadão português tem esse direito consagrado na CRP. Aquilo que a polícia pode fazer é confiscar o cartão e apresentá-lo a um juiz e só este poderá nos termos da lei aceder às imagens e decidir nos termos da lei. ...


Lamento, mas estou em desacordo com a sua interpretação, e aconselho a todos a não tomarem este tipo de atitude radical de confronto com a autoridade.
É de elementar entendimento que o agente da autoridade só deverá ter acesso aos registos se o proprietário da câmara o permitir, mas...caso não o permita, as coisas podem complicar !
O comportamento do fotógrafo quando interpelado pela autoridade, definirá a diferença entre resolver uma questão a bem (apagar as imagens, mesmo que o policia seja um calhau com olhos) ou o ser constituido arguido em processo crime e suportar todos os inconvenientes que daí advirão !!!

Conselhos destes, não obrigado !



Partilhar Post #31 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 8005
  • Idade: 35
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 31 Dezembro 2010 - 15:36

Capa Negra isso significa que o teu conselho é abdicar dos teus direitos para não ter chatices? isso também não me parece muito boa política....


Partilhar Post #32 carlosAF

carlosAF

  • Membro
  • Registo: 26/11/2010
  • Posts: 345
  • Idade: 36
    • Local: Lisboa

Publicado 31 Dezembro 2010 - 17:56

havia de ser bonito o caso ir para tribunal e ver a cara do policia com um cartao de memoria de 128megas vazio que se havia trocado sem ninguem ver ...

era rir ao fartote.




Partilhar Post #33 Felizes

Felizes

  • Membro
  • Registo: 10/08/2008
  • Posts: 214
  • Idade: 43
    • Local: Lisboa / Vila Nova de Foz Côa / Guarda

Publicado 01 Janeiro 2011 - 23:10

Lamento, mas estou em desacordo com a sua interpretação, e aconselho a todos a não tomarem este tipo de atitude radical de confronto com a autoridade.
É de elementar entendimento que o agente da autoridade só deverá ter acesso aos registos se o proprietário da câmara o permitir, mas...caso não o permita, as coisas podem complicar !
O comportamento do fotógrafo quando interpelado pela autoridade, definirá a diferença entre resolver uma questão a bem (apagar as imagens, mesmo que o policia seja um calhau com olhos) ou o ser constituido arguido em processo crime e suportar todos os inconvenientes que daí advirão !!!

Conselhos destes, não obrigado !


Aconselho a ler o que diz o ponto 3 do post em que faz a citação.


Partilhar Post #34 Felizes

Felizes

  • Membro
  • Registo: 10/08/2008
  • Posts: 214
  • Idade: 43
    • Local: Lisboa / Vila Nova de Foz Côa / Guarda

Publicado 01 Janeiro 2011 - 23:15

Aconselho uma melhor atenção na leitura e interpretação do que é postado !
Sou levado a crer que o seu ímpeto de escrever qualquer coisa foi maior que o descernimento e, desta forma, esteve mal !
Se reparar no post de salprata em 1710/2010, a ocorrência do quiosque já nada tem a ver com o centro comercial. Por outro lado, se verificar novamente, no meu post ficou claro que num centro comercial pode não ser permitido captar imagens. Logo é totalmente descabidas as suas conclusões e aconselhamento.


Eu não disse que é ou não, apenas disse que cabe ao seu proprietário ou à sua administração definir essas regras em função dos trmos estabelecidos na Lei e esta permite essa proibição.
O que quero dizer é que as regras não são as mesmas para todas as circunstancias ou, no caso, Centros Comerciais. Poderá haver Centros que não liguem a isso, mas poderá haver outros que façam desta proibição uma regra rígida.

Em todo o caso, o utente tem o direi to de ser informado antes de fazer usufruto do local e assim decidir em concordar ou discordar das regras, na segunda hipótese é livre de não querer aceder ao local.


Partilhar Post #35 Capa Negra

Capa Negra

  • Membro
  • Registo: 11/08/2010
  • Posts: 41
    • Local: Agualva-Cacém

Publicado 03 Janeiro 2011 - 09:06

Capa Negra isso significa que o teu conselho é abdicar dos teus direitos para não ter chatices? isso também não me parece muito boa política....


Quantas vezes os vossos nossos direitos, como cidadãos, são prejudicados por opção ?
Claro que existem limites e, na minha opinião, tudo terá a ver com a importância real desses alegados direitos.
Travar-se de razões com um agente da autoridade por uma simples fotografia (por ventura poderá ser novamente tirada noutra ocasião), recusar-se a apagar na sua presença, só se estivermos muito certo da legitimidade que temos em fazer aquele registo e avaliar as implicações da nossa decisão. É muito simples dizer "vamos para tribunal com a questão", mas, fazendo uma análise no final, mesmo que nos tenha sido dada razão em juízo, os custos são demasiados pesados para um registo. Mas, claro está, tudo depende do proveito que teríamos desse registo, da nossa motivação, e da indiferença de sermos constituídos arguidos e responder em tribunal, com todos os custos que daí advirão. É uma questão de parcimónia, e não de abdicar de direitos para não ter chatices...se tiver que ter chatices, então que estes valham a pena !


Partilhar Post #36 Felizes

Felizes

  • Membro
  • Registo: 10/08/2008
  • Posts: 214
  • Idade: 43
    • Local: Lisboa / Vila Nova de Foz Côa / Guarda

Publicado 03 Janeiro 2011 - 10:53

Quantas vezes os vossos nossos direitos, como cidadãos, são prejudicados por opção ?
Claro que existem limites e, na minha opinião, tudo terá a ver com a importância real desses alegados direitos.
Travar-se de razões com um agente da autoridade por uma simples fotografia (por ventura poderá ser novamente tirada noutra ocasião), recusar-se a apagar na sua presença, só se estivermos muito certo da legitimidade que temos em fazer aquele registo e avaliar as implicações da nossa decisão. É muito simples dizer "vamos para tribunal com a questão", mas, fazendo uma análise no final, mesmo que nos tenha sido dada razão em juízo, os custos são demasiados pesados para um registo. Mas, claro está, tudo depende do proveito que teríamos desse registo, da nossa motivação, e da indiferença de sermos constituídos arguidos e responder em tribunal, com todos os custos que daí advirão. É uma questão de parcimónia, e não de abdicar de direitos para não ter chatices...se tiver que ter chatices, então que estes valham a pena !



Por caso foi isso, que com o meu ímpeto de escrever quis dizer, e que tu, no teu ímpeto de ler não quiseste interpretar devidamente. Eu referi explicitamente que A MEU VER, deve-se apagar as fotos, mas chamei a atenção de que não é legal fazê-lo e se um agente de autoridade o quiser obrigar a fazer está a ir contra o que está estabelecido na Lei.

A única diferença é que eu me limitei a deixar claro o que é que está na lei e aquela que tem sido a minha maneira de proceder e com a qual nunca me dei mal. E tu limitaste-te a não querer conselhos destes para depois vires a dizer exactamente a mesma coisa.

Bom ano para ti.


Partilhar Post #37 Felizes

Felizes

  • Membro
  • Registo: 10/08/2008
  • Posts: 214
  • Idade: 43
    • Local: Lisboa / Vila Nova de Foz Côa / Guarda

Publicado 03 Janeiro 2011 - 11:05

Aconselho uma melhor atenção na leitura e interpretação do que é postado !
Sou levado a crer que o seu ímpeto de escrever qualquer coisa foi maior que o descernimento e, desta forma, esteve mal !
Se reparar no post de salprata em 1710/2010, a ocorrência do quiosque já nada tem a ver com o centro comercial. Por outro lado, se verificar novamente, no meu post ficou claro que num centro comercial pode não ser permitido captar imagens. Logo é totalmente descabidas as suas conclusões e aconselhamento.


Obrigado MESTRE.
Mas acho que li e interpretei bem o que li. Ainda assim, fui ler de novo e mantenho tudo o que escrevi.


Partilhar Post #38 salprata

salprata

  • Membro
  • Registo: 18/07/2010
  • Posts: 364
    • Local: Lisboa

Publicado 03 Janeiro 2011 - 15:21


Recentemente fui a um espectaculo onde não podia filmar, mas podia tirar fotografias. às tantas comecei a pensar, mas qual é a diferença ?

Depois no inicio de espectaculo ainda frisaram, "por razões obvias, (que eu não percebi quais) não era premitido filmar com telemoveis, maquinas fotográficas e maquinas de filmar, mas podiamos tirar fotografias... "


Mas no meio de centenas de expectadores, estás com uma maquina fotografica que também filma, um telemovel que tira fotografias e filma, como é que sabem se estás a filmar ou a fotografiar.

se  levasse uma maquina de filmar, com a forma maquina de filmar, mesmo que quisesse tirar fotografias com ela não conseguia faze-lo,mas como levei uma maquina fotográfica que também filma.... tirei meia duzia de fotografias e tenho 100 e tal ficheios de video para rever (eu não vou fazer nada com os videos, para mim são apenas testes de luz e cor que o espectaculo proposionou, não vou publicar em lado nenhum)
Acho que aqui o que pode estar em causa é o uso das imagens sejam fotograficas ou de video... acho que devia de haver alguma abertura, podem filmar, fotográfar para uso proprio, não podem é publicar sem a devida autorização. Se tiver que dizer mal ou bem, tanto digo com a fotografia como com o video, não percebo a paranoia
:s :(



Partilhar Post #39 Felizes

Felizes

  • Membro
  • Registo: 10/08/2008
  • Posts: 214
  • Idade: 43
    • Local: Lisboa / Vila Nova de Foz Côa / Guarda

Publicado 03 Janeiro 2011 - 16:50

Olá Salprata:

Vamos supor que esse espectáculo teve um contrato de transmissão exclusivo com um canal de TV.

Agora vamos supor que esse contrato tem uma clausula que diz que o promotor do espectáculo está obrigado a impedir por todos os meios a captação de imagem durante o mesmo sendo que se alguma outra entidade o faz e o divulga num outro canal de TV, o canal que detém e pagou pela exclusividade dos direitos fica lesado por isso.

Sendo um canal de TV nao está interessado em imagem fotográfica, mas sim em vídeo.

Agora vamos por-nos do lado do promotor. Sabendo ele que não pode evitar que haja filmagens, só lhe resta garantir que usou de todos os meios ao seu alcance para que isso não acontecesse. Ou seja, alertou. Não podia fazer mais nada.

Não estou a dizer que foi o caso, mas é muito bem possível que tal tivesse acontecido. Quem está de fora não entende, mas para quem tem contratos e tem de os cumprir, parece óbvio.

Bom ano.


Partilhar Post #40 salprata

salprata

  • Membro
  • Registo: 18/07/2010
  • Posts: 364
    • Local: Lisboa

Publicado 03 Janeiro 2011 - 17:47

Olá Salprata:

Vamos supor que esse espectáculo teve um contrato de transmissão exclusivo com um canal de TV.

Agora vamos supor que esse contrato tem uma clausula que diz que o promotor do espectáculo está obrigado a impedir por todos os meios a captação de imagem durante o mesmo sendo que se alguma outra entidade o faz e o divulga num outro canal de TV, o canal que detém e pagou pela exclusividade dos direitos fica lesado por isso.

Sendo um canal de TV nao está interessado em imagem fotográfica, mas sim em vídeo.

Agora vamos por-nos do lado do promotor. Sabendo ele que não pode evitar que haja filmagens, só lhe resta garantir que usou de todos os meios ao seu alcance para que isso não acontecesse. Ou seja, alertou. Não podia fazer mais nada.

Não estou a dizer que foi o caso, mas é muito bem possível que tal tivesse acontecido. Quem está de fora não entende, mas para quem tem contratos e tem de os cumprir, parece óbvio.

Bom ano.


Eu reparei que houve muita gente que levou camarazinhas para filmar, que só sairam do saco no intervalo. As pessoas gostam de registar todo, para mostrar ao resto do pessoal que não esteve presente, quando chegam a casa. e desta forma estão a divulgar o produto, acho que o espectaculo perde clientela  ao não deixar captar imagens, o povo que coloca imagens no youtube é mais um a promover o espectaculo.

A qualidade do trabalho de uma pessoa que filma/fotografa da bancada, dificilmente consegue competir com imagens recolhidas profissionalmente, que o operador se colocam e que se movem livremente e que existe uma aceitação plena do outro lado.