Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Foto

Que ferramenta vos fez avançar mais ?


  • Por favor inicie sessão para responder
100 respostas a este tópico

Partilhar Post #41 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 05 Junho 2012 - 13:17

A inspiração que o planeta me oferece  :)


No meu caso é mais a lua. Ou Marte. :lol:

Pois é, a tua resposta de facto foi inspirada. Mas ao inspirares tanto, acabas por não dizer nada do outro mundo. ;) :lol:

Picacuca


Anúncios

Partilhar Post #42 jagc

jagc

  • Membro
  • Registo: 12/11/2008
  • Posts: 1343
  • Idade: 32
    • Local: Margem Sul
    • memoriar.org - Criar, fazer memórias.

Publicado 05 Junho 2012 - 13:30

Para mim há dois aspectos muito importantes que me fizeram avançar na fotografia. O primeiro foi a compra de uma 50mm (tenho saudades de a usar) para entender e poder jogar com toda a eficácia a historia da abertura/velocidade. Acho que numa zoom essa aprendizagem é bastante difícil e monotoma.
O segundo aspecto foi ter passado a usar filme em vez do digital. O simples facto de estarmos limitados a um certo numero de disparos muda por completo a percepção de qualquer assunto que queiramos fotografar. Há mais calma, pensa-se (e bem) na abertura a utilizar e no momento mais oportuno para efectuar o disparo.
Sem dúvida que para mim vai ser dificil voltar ao digital nos próximos tempos, como não faço disto vida e apenas tento passar ao espectador aquilo que me agrada não fico comprometido com nenhuma das desvantagens do analógico :)


Partilhar Post #43 hdborges

hdborges

  • Membro
  • Registo: 29/08/2010
  • Posts: 4166

Publicado 05 Junho 2012 - 13:43

Realmente tenho de concordar com o Picacusa quando afirma - O problema não está no digital, está na cabeça de quem o usa. - Aliás nem percebo muito bem a questão do analógico vs digital nem a questão da aprendizagem ser mais cuidada/consolidada numa vs outra, só a posso entender como sendo o analógico um processo "mais caro", logo obrigar a uma maior ponderação para atingir o objectivo que se pretende, isto para além do prazer óbvio da revelação ... Mas também vejo essa mesma ponderação acontecer no digital e talvez de forma mais complementar e extenuante, recorrendo a processos de maior complexidade e experimentalismo na captura além das infinitas possibilidades de exploração da câmara escura digital...
 
     


Partilhar Post #44 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 05 Junho 2012 - 13:58

(...) Mas também vejo essa mesma ponderação acontecer no digital e talvez de forma mais complementar e extenuante, recorrendo a processos de maior complexidade e experimentalismo na captura além das infinitas possibilidades de exploração da câmara escura digital...


Fotografar bem em digital, é tão ou mais difícil que fotografar bem em analógico. Quem pense o contrário, que experimente levar a sério gestão de cor em digital. ;) :D

A diferença pode estar na atitude que se tem perante os dois processos, daí eu ter falado num problema que está na cabeça de quem usa o digital, mas ele também existe na cabeça de quem usa o analógico. O que pode muito bem acontecer no analógico, é que, por se tratar de um processo mais caro, tenhamos mais tendência para aceitar pequenos erros ou limitações dos materiais, quando essas limitações podem ser minimizadas com o uso das técnicas correctas, no que diz respeito à fotometria, iluminação do assunto, correcções de dominantes com filtros e revelação.
Já no digital, a facilidade com que se fotografa e vê a imagem, pode levar a uma maior libertação da técnica, o que nem sempre é aconselhável já que pode levar a um descurar de rigor que poderia ser necessário a determinadas imagens.

 

Picacuca


Partilhar Post #45 kk13

kk13

  • Membro
  • Registo: 04/02/2011
  • Posts: 2508
    • Local: Portalegre / Lisboa

Publicado 05 Junho 2012 - 17:13

No meu caso é mais a lua. Ou Marte. :lol:

Pois é, a tua resposta de facto foi inspirada. Mas ao inspirares tanto, acabas por não dizer nada do outro mundo. ;) :lol:

Picacuca


Obrigado  ::)  :D :D :D


Partilhar Post #46 recycle bin

recycle bin

  • Membro
  • Registo: 20/09/2011
  • Posts: 1045

Publicado 05 Junho 2012 - 21:53

confesso que não percebo como é que voltar (ou ir pela primeira vez) para o filme, ou usar primes, nos podem fazer avançar mais!

eu fui o contrário, quando dei o maior avanço foi mesmo quando comprei a minha primeira DSLR e uma 18-125mm, apenas com este material experimentei (quase) todos os tipos de fotografia, desde paisagens, desporto, retratos... etc... e tudo sem o custo (bastante elevado) adicional  do filme, e/ou as limitações de uma prime, sem a possibilidade de mudar ISO, e a possibilidade de ver in loco o que estamos a fazer, se não tivesse sido o digital teria demorado anos o que consegui em meses.

já agora, se querem ficar limitados pelo nº de frames para "pensarem melhor" podem sempre comprar um cartão de 512Mb ;)


Partilhar Post #47 jagc

jagc

  • Membro
  • Registo: 12/11/2008
  • Posts: 1343
  • Idade: 32
    • Local: Margem Sul
    • memoriar.org - Criar, fazer memórias.

Publicado 05 Junho 2012 - 23:08

confesso que não percebo como é que voltar (ou ir pela primeira vez) para o filme, ou usar primes, nos podem fazer avançar mais!

eu fui o contrário, quando dei o maior avanço foi mesmo quando comprei a minha primeira DSLR e uma 18-125mm, apenas com este material experimentei (quase) todos os tipos de fotografia, desde paisagens, desporto, retratos... etc... e tudo sem o custo (bastante elevado) adicional  do filme, e/ou as limitações de uma prime, sem a possibilidade de mudar ISO, e a possibilidade de ver in loco o que estamos a fazer, se não tivesse sido o digital teria demorado anos o que consegui em meses.

já agora, se querem ficar limitados pelo nº de frames para "pensarem melhor" podem sempre comprar um cartão de 512Mb ;)


Isto varia de pessoa para pessoa estou a ver  ;)

Film ftw! Aquele cheiro a quimico nos dedos é optimo lol


Partilhar Post #48 Bruno Candeias

Bruno Candeias

  • Membro
  • Registo: 17/05/2010
  • Posts: 2365
  • Idade: 27
    • Local: Lisboa

Publicado 05 Junho 2012 - 23:59

@bin, eu também sinto que progredi bem mais com digital.. a vantagem de ver o que estamos a fazer logo e a facilidade e o aparente "não custo" das fotografias dão jeito para começar, para aprender os básicos.. mas estou com o jagc, isto em filme é outra coisa, outro "feeling".. e eu tenho uma X100, que supostamente até seria muito boa.. ela é, mas a Leica analógica é outra gozo de usar, e se não sinto que evoluí mais, pelo menos sinto que fotografo de forma mais intuitiva, depreocupada, fluida :)


Partilhar Post #49 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 06 Junho 2012 - 00:00

Isto varia de pessoa para pessoa estou a ver  ;)

Film ftw! Aquele cheiro a quimico nos dedos é optimo lol


Presumo que não tens namorada, certo? :lol:

Ou então, ela também é fotógrafa, e tão ou mais "agarrada" a químicos que tu. :sim:
Essa é sempre uma boa opção e um bom partido para quem gosta de fotografia de base físico-química (devia ser este o nome). Pelo menos, eu estou a investir numa situação dessas... ;) :D


Picacuca




Partilhar Post #50 Jaydee

Jaydee

  • Novo Membro
  • Registo: 04/08/2011
  • Posts: 22

Publicado 06 Junho 2012 - 07:55

O youtube foi o meu maior impulsionador!  Aprendi técnicas, ajudou-me a escolher equipamento e ainda a desmontar lentes.


Partilhar Post #51 jagc

jagc

  • Membro
  • Registo: 12/11/2008
  • Posts: 1343
  • Idade: 32
    • Local: Margem Sul
    • memoriar.org - Criar, fazer memórias.

Publicado 06 Junho 2012 - 09:39

Presumo que não tens namorada, certo? :lol:

Ou então, ela também é fotógrafa, e tão ou mais "agarrada" a químicos que tu. :sim:
Essa é sempre uma boa opção e um bom partido para quem gosta de fotografia de base físico-química (devia ser este o nome). Pelo menos, eu estou a investir numa situação dessas... ;) :D


Picacuca




LOL ia pá granda boca!  :D Mas não infelizmente ela não gosta lá muito dos rolos e dos quimicos...estou sozinho nessa guerra.  ;)

Como o Bruno disse, aquilo é outro feeling e o processo até ao resultado final dá-me muito mais gozo que o digital a meu ver. Faz ter mais atenção a cada frame, procurar os erros e se for preciso voltar a repetir a fotografia. Ah e além disso é médio formato lol  8)


Partilhar Post #52 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 06 Junho 2012 - 10:19


LOL ia pá granda boca!  :D Mas não infelizmente ela não gosta lá muito dos rolos e dos quimicos...estou sozinho nessa guerra.  ;)


Então aconselho-te a investires também em perfumes. :lol:

(...) Ah e além disso é médio formato lol  8)


Isso é que vale a pena! Quanto a mim, pôr maus cheiros nas mãos e nódoas na roupa pelo 35mm, já não compensa relativamente ao digital. Mas se falamos em médio ou grande formato, isso já é outra conversa! :sim:

Mas fixe mesmo, são os processos históricos, tipo cianotipia, papel salgado, Van Dyke, etc etc... Ou então comprar frasquinhos de emulsão líquida e experimentar em várias superfícies. E se queremos a cores, também há: o processo do carvão (difícil), ou a goma bicromatada (mais fácil, mas demorada). Já que é para ser analógico, que seja mesmo analógico a sério, não?  :) Todos esses processos são só para impressão, não dão para fotografar na câmara. No entanto, em todos eles podem-se usar negativos digitais, impressos em acetato. Nesse caso, temos o melhor de dois mundos. E acreditem que, para aprender os fundamentos da fotografia química, não há melhor!

A parte má para quem gosta de imagens perfeitas, é que dificilmente conseguimos com esses processos, a mesma qualidade fotográfica dos processos mais industriais, mas temos muito mais gozo, e além disso, as imagens ficam mais expressivas e únicas (nunca se consegue fazer duas iguais). Eu também estou nessa! :sim:

[EDIT]
Estava a esquecer-me da chrisotipia (ouro), e da platinotipia (platina+paládio): com esses processos, podemos alcançar uma qualidade fotográfica a P&B, de fazer inveja às impressões do Ansel Adams (que aliás, costumavam ser viradas a ouro). No entanto, penso que não será necessário explicar, para esses processos em especial, é preciso investir algumas notas! :sim: :D 


Picacuca


Partilhar Post #53 jagc

jagc

  • Membro
  • Registo: 12/11/2008
  • Posts: 1343
  • Idade: 32
    • Local: Margem Sul
    • memoriar.org - Criar, fazer memórias.

Publicado 06 Junho 2012 - 10:57

Então aconselho-te a investires também em perfumes. :lol:

Isso é que vale a pena! Quanto a mim, pôr maus cheiros nas mãos e nódoas na roupa pelo 35mm, já não compensa relativamente ao digital. Mas se falamos em médio ou grande formato, isso já é outra conversa! :sim:

Mas fixe mesmo, são os processos históricos, tipo cianotipia, papel salgado, Van Dyke, etc etc... Ou então comprar frasquinhos de emulsão líquida e experimentar em várias superfícies. E se queremos a cores, também há: o processo do carvão (difícil), ou a goma bicromatada (mais fácil, mas demorada). Já que é para ser analógico, que seja mesmo analógico a sério, não?  :) Todos esses processos são só para impressão, não dão para fotografar na câmara. No entanto, em todos eles podem-se usar negativos digitais, impressos em acetato. Nesse caso, temos o melhor de dois mundos. E acreditem que, para aprender os fundamentos da fotografia química, não há melhor!

A parte má para quem gosta de imagens perfeitas, é que dificilmente conseguimos com esses processos, a mesma qualidade fotográfica dos processos mais industriais, mas temos muito mais gozo, e além disso, as imagens ficam mais expressivas e únicas (nunca se consegue fazer duas iguais). Eu também estou nessa! :sim:

[EDIT]
Estava a esquecer-me da chrisotipia (ouro), e da platinotipia (platina+paládio): com esses processos, podemos alcançar uma qualidade fotográfica a P&B, de fazer inveja às impressões do Ansel Adams (que aliás, costumavam ser viradas a ouro). No entanto, penso que não será necessário explicar, para esses processos em especial, é preciso investir algumas notas! :sim: :D   


Picacuca


Eu sou muito básico nisto ainda, do que escreveste só devo conhecer uns dois processos. Assim por alto já devo ter lido alguma coisa mas isto é um mundo á parte, são precisos anos para dominar qualquer uma dessas técnicas mas espero conseguir fazer em breve algo assim mais complexo  :)
De momento ando de olho no grande formato e quando tiver disponibilidade espero ir ao porto fazer uma formação para ter um primeiro contacto com isso. É isto que me dá prazer, a procura de novos métodos de fazer uma simples fotografia, todo o método até atingir o resultado final é delicioso  :)

PS: eu bem meto o Axe mas aquilo não resulta como no anuncio lol


Partilhar Post #54 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 06 Junho 2012 - 12:41

Eu sou muito básico nisto ainda, do que escreveste só devo conhecer uns dois processos. Assim por alto já devo ter lido alguma coisa mas isto é um mundo á parte, são precisos anos para dominar qualquer uma dessas técnicas mas espero conseguir fazer em breve algo assim mais complexo  :)


Eu também não domino muito bem esses processos, e principalmente com o carvão, é bem difícil obter bons resultados por meios caseiros. Esse processo ainda é usado hoje em dia para impressões P&B de altíssima qualidade e durabilidade, (também me esqueci de referir este processo como um dos que proporciona altíssima qualidade de imagem). Os museus costumam encomendar provas nesse processo, mas há poucas pessoas no mundo a fazerem-no bem, e essas não devem ter mãos a medir.
Mas se queres vir a experimentar esses processos, aconselho-te a começares pela cianotipia, é o mais fácil de todos. E nem te aconselho a experimentares todos, vê primeiro resultados e métodos de processamento (o youtube foi uma grande ideia), vê também preços de químicos e materiais necessários e depois decide-te por um ou dois. Se quiseres ter alguma formação nessa área, a melhor que conheço é a que é dada no curso de fotografia do IPT (onde eu estou a estudar).

De momento ando de olho no grande formato e quando tiver disponibilidade espero ir ao porto fazer uma formação para ter um primeiro contacto com isso. É isto que me dá prazer, a procura de novos métodos de fazer uma simples fotografia, todo o método até atingir o resultado final é delicioso  :)


De grande formato por acaso também pouco sei, mas em breve vou já começar a "brincar" com um "bicho" desses. Por enquanto vou só fazer meia dúzia de exercícios técnicos, para dominar as questões dos basculamentos, mas talvez me vicie. :sim:

PS: eu bem meto o Axe mas aquilo não resulta como no anuncio lol


Deixa lá, não é só contigo. :lol:


Picacuca



Partilhar Post #55 Artman

Artman

  • Membro
  • Registo: 30/08/2010
  • Posts: 77
  • Idade: 41

Publicado 06 Junho 2012 - 13:02

No meu caso, que não tive qualquer contacto útil com o analógico, e por estar ainda a dar os primeiros passos, acho que até agora a formação foi o que me fez avançar mais. Fiz um curso que, apesar de nível médio, me conseguiu fazer entranhar muita coisa em que pensar, estudar, analisar...muito para além da exposição, abertura, velocidade, etc... Depois disso, a quantidade de informação na internet tem sido a ferramenta que uso, e acho que com bons resultados. Sem esta informação, e a possibilidade de experimentação pelo digital, seria muito mais complicado.
Relativamente à discussão analógico/digital gostaria de partilhar que um dos exercícios que nos fizeram fazer no curso foi precisamente disparar uma série de 24 fotografias como se tratasse de uma captura de filme. Ou seja, não existe visualização, delete's, para obrigar a pensar bem antes de disparar.
Cpts.


Partilhar Post #56 ric4rdo

ric4rdo

  • Membro
  • Registo: 02/04/2009
  • Posts: 51
  • Idade: 41

Publicado 14 Junho 2012 - 08:22

a ferramenta que mais me fez progredir... a prática e alguns conselhos/criticas  :mestre:


Partilhar Post #57 PauloOliveira

PauloOliveira

  • Membro
  • Registo: 28/01/2008
  • Posts: 625
  • Idade: 51
    • Local: Lisboa

Publicado 15 Junho 2012 - 11:49

Ás vezes para progredirmos temos que fazer "batota" connosco e com a máquina...

Por exemplo, sair e usar só uma lente 50mm (ou uma zoom mas que esteja fixa nos 50mm durante toda a sessão) tapar com cartolina o LCD da máquina para não cairmos na tentação de ver as fotos que tiramos (isso é para fazer á posteriori em casa), usar a máquina o mais manual possivel - focagem, medição, etc.
Com um pouco de imaginação é possivel replicar alguns conceitos que vinham do filme  :happy: E eu comecei com uma Praktica MTL 3 em que era mesmo tudo manual.

Penso que todos estes "truques" fazem com que nos preocupemos mais com cada foto porque não temos aquela rede por baixo de nós em que tiramos a foto, visualizamos no LCD, corrigimos enquandramentos e exposição, tiramos de novo, and so on...

Claro que isto pode funcionar para uns enquanto que, para outros, nem por isso...  :P


Partilhar Post #58 pauloallex24

pauloallex24

  • Membro
  • Registo: 19/01/2009
  • Posts: 229
  • Idade: 28
    • Local: Anadia - Aveiro

Publicado 15 Junho 2012 - 16:13

Ás vezes para progredirmos temos que fazer "batota" connosco e com a máquina...

Por exemplo, sair e usar só uma lente 50mm (ou uma zoom mas que esteja fixa nos 50mm durante toda a sessão) tapar com cartolina o LCD da máquina para não cairmos na tentação de ver as fotos que tiramos (isso é para fazer á posteriori em casa), usar a máquina o mais manual possivel - focagem, medição, etc.
Com um pouco de imaginação é possivel replicar alguns conceitos que vinham do filme  :happy: E eu comecei com uma Praktica MTL 3 em que era mesmo tudo manual.

Penso que todos estes "truques" fazem com que nos preocupemos mais com cada foto porque não temos aquela rede por baixo de nós em que tiramos a foto, visualizamos no LCD, corrigimos enquandramentos e exposição, tiramos de novo, and so on...

Claro que isto pode funcionar para uns enquanto que, para outros, nem por isso...  :P

Boas dicas. Vou ter que experimentar :D
Tenho lá um praktica com encaixe PB (não sei o modelo) em casa com uma 50mm 1.8 que era de um tio. Um dia ainda me dou ao trabalho de a tirar da prateleira. Mas por enquanto não consigo suportar os custos de revelação que acabam por ser um pouco caros :s


Partilhar Post #59 M.I.B.

M.I.B.

  • Membro
  • Registo: 13/08/2010
  • Posts: 3856
    • Local: Porto

Publicado 15 Junho 2012 - 17:30



Claro que isto pode funcionar para uns enquanto que, para outros, nem por isso...  :P


Para mim o problema não será o "funcionar", mas mais no âmbito do "suportar"...são muitos anos a fazer "chimping", e ver-me privado do LCD de repente é capaz de dar em sindrome de abstinência.  :lol:
Mas fiquei curioso, acho que vou sacudir o pó à 50mm e desligar o preview do LCD da minha máquina para fazer a experiência  :paperbag1:


Partilhar Post #60 PauloOliveira

PauloOliveira

  • Membro
  • Registo: 28/01/2008
  • Posts: 625
  • Idade: 51
    • Local: Lisboa

Publicado 15 Junho 2012 - 19:20

Em todas as minhas DSLR que tive até agora o preview do LCD anda sempre desligado porque em desporto em modo burst acaba por ser um gasto extra de bateria desnecessário  ;)