Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Foto

Fotografia experimental, sem câmara (abstracta)


  • Por favor inicie sessão para responder
27 respostas a este tópico

IT Partilhar Post #1 Estrangeiro

Estrangeiro

  • Novo Membro
  • Registo: 15/10/2010
  • Posts: 4

Publicado 15 Outubro 2010 - 15:39

Olá pessoal, sou novo aqui no fórum e parece-me que não há muitos a interessar-se pela fotografia experimental feita sem câmara(se houver, por favor indiquem-me), por isso resolvi iniciar este assunto. Esta fotografia é a fotografia feita em câmara escura, com recurso às emulsões (que dão para produzir imagens sobre qualquer material), blueprint (cianotipia), pinholes, ou através de provas de contacto sobre papel fotossensível. Uma forma mais clássica de fazer fotografia...

Eu não queria  ter que ir para a as misturas químicas(não tenho condições), mas sei que há empresas no estrangeiro que vendem esses produtos já preparados, por exemplo este:
http://www.rockaloid.com/products.html
Mas são dos Estados Unidos!
Também se vende no Reino Unido: http://www.firstcall...print-kit-500ml
Mas custa 107,00£!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Não haverá um importador português?
Também estou interessado nas emulsões sensíveis à luz e papel fotográfico para cor (processo C4, ou algo do género). Onde se pode comprar? Onde é mais barato? Alguém me pode ajudar?
Obrigado
R


Anúncios

Partilhar Post #2 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 30 Novembro 2010 - 21:31

Por acaso tenho estado a estudar os processos históricos, mas por enquanto, ainda sou muito "maçarico" nessas questões. :P Mas se quiseres bibliografia, tenho alguma (muita :D) coisa. É questão de me enviares PM com mail, que posso ir-te enviando o que aqui tenho.
Quanto a importadores em Portugal, não conheço, mas podes procurar emulsão líquida na Colorfoto, penso que eles têm.

E também te arranjo mais uns links para comparares: Uma firma: Bostick & Sulliman e uma página no facebook (aqui terás que investigar, talvez algum dos participantes tenha colocado aquilo que procuras).

Ou então, se moras em Lisboa ou perto, aconselho-te a te deslocares ao Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa (vê aqui o mapa). Podes perguntar por José Luís Neto, um fotógrafo que está a desenvolver um projecto com imagens abstractas em emulsões. Eu sei que ele trabalha também lá no arquivo, pode ser que te dê algumas dicas sobre isso. E além do mais, mesmo não sendo ele, tens também o Luís Pavão, que penso que ainda trabalha lá também, e tem uma empresa de restauro de imagem, a LUPA.

O luís Pavão conheço pessoalmente (é meu professor) e acredito que te saberá aconselhar da melhor forma.

Boa sorte. :th_up:


Picacuca


 


Partilhar Post #3 Carlos Alberto

Carlos Alberto

  • Membro
  • Registo: 28/01/2008
  • Posts: 279

Publicado 17 Janeiro 2011 - 01:20

Boas,

Eu ainda não percebi realmente o que tu querias. Há várias técnicas de fazer fotografia sem uma máquina. Sem uma máquina é muito relativo. Quando se cria uma pinhole, é uma máquina. A fotografia terá de ter sempre uma pelicula foto-sensivel. Agora, no que te posso ajudar é relativamente a uma emulsão de sais de prata que se dá em qualquer tipo de superficie para depois no ampliador se proceder à ampliação, depois passando pelo revelador etc etc. Eu já fiz esse processo e até tenho um trabalho que iniciei com essa técnica (inclusive fiz um workshop). Bem, esse liquido de emulsão será sempre caro, tens da FOMA, da rockaloid, rollei e possivelmente mais alguns.
Comprei aqui: http://macodirect.de...ad9f962beb1f62. Se fores de lisboa posso emprestar-te umas fotocopias (são muitas e por acaso não estão muito bem fotocopiadas, numa das paginas estarem um pouco trocadas) para fotocopiares.

Relativamente às cinatopias não sei nada sobre elas :P apenas que são em cian. Nas belas-artes de lisboa há a possibilidade de se fazer e tu pagando podes fazer e se pedires ajuda ao técnico assim ele ajudará. acho...! :P

ps: também andei à procura num site da peninsula escandinava, mas não rendia.
pss: qualquer coisa apita
psss: Picacuca, esse trabalho que meteste do Jose Luis Neto não foi feito com essa emulsão liquida, mesmo esse trabalho não é recente.


Partilhar Post #4 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 17 Janeiro 2011 - 11:29

(...) Sem uma máquina é muito relativo. Quando se cria uma pinhole, é uma máquina. A fotografia terá de ter sempre uma pelicula foto-sensivel. (...)



Bem, só isto daria um debate engraçado. A pinhole é uma câmara. Se quisermos, uma caixa escura, não uma máquina. Uma máquina implica mecanismos (mecânica), coisa que a pinhole normalmente não tem (embora também possa ter). E também se pode fazer imagens fotográficas por contacto, recorrendo simplesmente à luz do sol ou outra fonte não proveniente de nenhum mecanismo ou aparelho dedicado à fotografia. Portanto, sim, pode-se fazer fotografia sem máquina.
Já quanto à superfície sensível, aí de acordo.

Mas pronto, isto foi só um aparte de pouca importância para este tópico: o que eu quero mesmo mostrar aqui, é um documento que ensina a preparar uma emulsão de escurecimento directo (não precisa de revelação).

Essa emulsão tem que ser colocada no papel assim que é preparada. Após essa sensibilização do papel a emulsão dura uma semana, por isso este produto não tem venda comercial.
Para a produção da imagem, convém usar um negativo bem contrastado. Para quem tem acesso a um densitómetro: com diferença de densidades entre a máxima e mínima, de 2,5(+-). Para quem não tem, aconselho mesmo o "olhómetro" e o processo experimental, que é o mesmo que dizer: fazer e fazer até acertar. :D

Uma boa forma de fazer um negativo desses, é através do processo digital. Há folhas de acetato próprias para o efeito e que podem ser impressas em qualquer impressora, de preferência de jacto de tinta (embora também dê com outras). Podem-se comprar aqui.
Ou então, soube recentemente que a firma JValles também costuma importar essas folhas, além de outros produtos para estes processos. É uma questão de contactá-los para saber preços e prazos de entrega.

Ainda quanto aos negativos digitais: há uma curva de photoshop própria para isso. Pode-se colocá-la directamente na pasta de pressets, mas não basta isso. Embora todos os outros procedimentos sejam simples de realizar, são difíceis de explicar sem imagens.
No entanto, aviso que nesse aspecto, ainda sou muito inexperiente. Mas já fiz uma vez, e posso dar umas dicas de onde ir buscar informação dada por especialistas na matéria. Quem estiver interessado numas dicas, mande PM.  

Quanto ao papel a usar, convém que seja usado um bom papel de aguarela (poderei dar algumas dicas sobre isso a quem me pedir) mas sei que também funciona bem em lençol (branco de preferência :D) e poderá funcionar em inúmeras outras superfícies, é uma questão de experimentar com os restos que sobram das aplicações.  

Por acaso em breve vou ter que preparar uma para mim, mas já ando a fazer experiências com uma preparação que me fizeram, assim que tiver mais conhecimentos da matéria, poderei dar umas dicas a quem estiver interessado.

E agora, muita atenção: desde já, advirto a que haja muito cuidado ao lidar com estes químicos! O nitrato de prata queima a pele, e nos olhos, cega! Portanto, o uso de luvas, bata, óculos de protecção, recipientes de vidro (para não acumularem restos após lavagens) e local seguro e longe de crianças, são condições essenciais.



Picacuca



Partilhar Post #5 Carlos Alberto

Carlos Alberto

  • Membro
  • Registo: 28/01/2008
  • Posts: 279

Publicado 17 Janeiro 2011 - 11:40

Tens razão, eu é que devia ter tido cuidado com o valor semântico das palavras lol.  Mas acho que me percebeste quando disse que a pinhole era uma máquina (mesmo numa caixa de sapatos). Corrijo, não é uma máquina pois não tem mecanismos. E, esqueci-me do contacto directo através do sol. Retiro o que disse lol =) Não conhecia esse processo mas parece-me para o complicado :P mas tem um lado de efemeridade interessante.




Partilhar Post #6 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 17 Janeiro 2011 - 12:04

(...) Não conhecia esse processo mas parece-me para o complicado :P mas tem um lado de efemeridade interessante.


Para quem consegue ter condições e os equipamentos necessários, não se torna mais complicado que os outros processos alternativos (que são sempre complicados). E depois, com a prática, pode-se lá ir. E quem estiver mesmo interessado nisso, também pode fazer como eu, matricular-se no curso de IPT, que é dos poucos locais em Portugal (e talvez o melhor) onde se ensinam esses e outros processos, além de outros ligados à fotografia mais actual.

Uma coisa que me esqueci de focar: também se pode fazer negativos digitais para impressão em papel foto-sensível comercial, como por exemplo, o papel Ilford ou de outra marca qualquer. E há muitas coisas que se podem explorar a partir dessa mistura de técnicas. Por exemplo, para quem gosta de montagens, há muito por onde explorar nesse aliar do melhor de dois mundos. :sim:


Picacuca


Partilhar Post #7 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 17 Janeiro 2011 - 13:15

curso de IPT, que é dos poucos locais em Portugal (e talvez o melhor) onde se ensinam esses e outros processos, além de outros ligados à fotografia mais actual.

Picacuca


E Daguerreótipos?


Partilhar Post #8 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 17 Janeiro 2011 - 20:50

E Daguerreótipos?


É uma boa pergunta, mas não te sei responder muito bem... Acho que não. Ainda vou só no primeiro semestre dessa disciplina (o que, na prática, corresponde a três meses), ou seja, muito pouco tempo.

Neste semestre, aprendemos a fazer negativos em vidro com colódio húmido (processo posterior ao daguerreotipo) e andámos pelas viragens (mudanças de tom) a enchofre, selénio, etc. Fizemos também impressões em papel salgado (o primeiro processo de impressão inventado), em papel de albumina (com clara de ovo) e inter-negativos (cópias de outros negativos, ou de diapositivos) em película.
No segundo semestre, sei que vamos entrar pelos processos que não usam a prata, como por exemplo cianotipia, goma bicromatada (a cores) e mais não sei o quê. :P

No 3º ano, é que vamos começar a mexer à séria em emulsões, incluindo essa de que falei, mas eu adiantei-me um pouco à matéria e estou a desenvolver um projecto que envolve esse tipo de materiais.

E pronto, isto é o que te sei responder por agora, mas nada como fazer essa pergunta à pessoa certa (à prof) e dentro em breve já te poderei dizer algo mais sobre isso.

[urlhttp://abllau.blogspot.com/]
Picacuca[/url]


Partilhar Post #9 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 17 Janeiro 2011 - 21:30


Se houvesse, se calhar seria agradável,  :) de todo o modo tem aí muito processo com que se entreter.  :)

Deixo-lhe aqui um link, de um dos poucos resistentes: http://jerryspagnoli...troduction.html


Partilhar Post #10 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 18 Janeiro 2011 - 16:50

Deixo-lhe aqui um link, de um dos poucos resistentes: http://jerryspagnoli...troduction.html



Epá, tentei aceder a esse link mas apareceu-ma este aviso: "Web Page Blocked - Pagina Web Bloqueada". Pode ser desta rede (estou no IPT), é normal, ela costuma bloquear coisas interessantes sobre fotografia, vá-se lá saber porquê. Coisas de informáticos... :confused:

Mas assim que puder vejo isso. Há muitos "malucos" desses, ainda há pouco tempo, vimos por cá um documentário sobre um tipo que vive numa cabana no meio do mato, e que fotografa com uma câmara feita por ele, e colocada numa carroça. Ele faz colódio húmido em chapas de vidro grandes. E isto na América!  :blink:

Mas há mais, esse "mundo" não é assim tão pequeno quanto isso, e está a crescer! :sim:


Picacuca 






Partilhar Post #11 diogon

diogon

  • Membro
  • Registo: 09/10/2008
  • Posts: 3920
  • Idade: 46

Publicado 18 Janeiro 2011 - 17:00

Deve ser aí do IPT, pois aqui no trabalho acedo, e a malha é fina...

É bom ainda ir havendo esses "malucos", prá coisa não se perder, mas também para novas perspectivas.  :)


Partilhar Post #12 salprata

salprata

  • Membro
  • Registo: 18/07/2010
  • Posts: 364
    • Local: Lisboa

Publicado 18 Janeiro 2011 - 17:05

Quem nunca fez o melhor é começar pela cianotipia, é barato e resulta sempre bem

;)



Partilhar Post #13 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 18 Janeiro 2011 - 18:49

Quem nunca fez o melhor é começar pela cianotipia, é barato e resulta sempre bem

;)


No que a mim me diz respeito, vai ser já a seguir! :lol:

Isso é verdade, a cianotipia é o mais fácil destes processos, tanto devido ao preço, quanto aos resultados. Mas cuidado, aquelas químicas não servem para matar a sede! :lol: Que eu saiba (não tenho bem a certeza) é feita à base de ferricianeto, um produto altamente tóxico.


Picacuca


Partilhar Post #14 salprata

salprata

  • Membro
  • Registo: 18/07/2010
  • Posts: 364
    • Local: Lisboa

Publicado 18 Janeiro 2011 - 20:15

No que a mim me diz respeito, vai ser já a seguir! :lol:

Isso é verdade, a cianotipia é o mais fácil destes processos, tanto devido ao preço, quanto aos resultados. Mas cuidado, aquelas químicas não servem para matar a sede! :lol: Que eu saiba (não tenho bem a certeza) é feita à base de ferricianeto, um produto altamente tóxico.


Picacuca


ou papel salgado, tb é facil e muita lindo!!!

é so preciso nitato de prata e sal de cozinha

numa agua salgada molha-se a folha se papel, deixa-se secar,

numa solução agua destilada 500ml com 50g de nitrato de prata, guardada num frasco escuro, numa tina com esta solução coloca-se a folha salgada a flutuar 3 minutos, sobre a luz vermelha, deixa-se secar ás escuras,  de seguida,pode ser no outro dia, a folha de papel em contacto com um negativo ou objecto vai ao sol directo, se tiver a chover ou a sombra, náo resulta, +/-  5 minutos, de seguida lava-se, depois fixador fraquinho (já não me lembro desta parte, tenho que ir ver, não sei se é com o oxalato de potassio?) lavar durante meia hora e jã está, o processo que Fox Talbol inventou em 1870?, por ai

podem voltar a guardar num frasco a solução de nitrato de prata, dá para varias vezes, 100g de nitrato de prata,deve custar uns 100€, o resto da quimica vai fora.

depois existe uma variantes com gelatina... a gelatina é barata

se cair uma gota de nitrato de prata nas vossas mãos, vão andar com uma tatuagem durante alguns dias, logo usar luvas, SEMPRE e atenção com a limpeza depois do processo etc...




Partilhar Post #15 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 18 Janeiro 2011 - 23:13

a folha de papel em contacto com um negativo ou objecto vai ao sol directo, se tiver a chover ou a sombra, náo resulta


Resulta sim, mas tem que ser com negativos suaves. A regra é: negativos contrastados serão expostos ao sol directo e suaves à sombra.

Quanto ao processamento:

1- Lavagem com água corrente (+- 10 Min).
2- Fixador (tiossulfato de sódio a 15%) entre 8 a 10 minutos. (Aconselha-se dois banhos. 4+4 minutos).
3- Lavagem durante alguns minutos (entre 10 a 15).
4 - Solução de sulfito de sódio a 2% (só para remover restos dos outros químicos) durante 3 minutos.
5 - Lavagem durante 20 minutos com mudanças frequentes de água (de 5 em 5 minutos).
6- secagem ao ar, ou entre mata-borrões.

PS: fui consultar os meus apontamentos. ;)


Picacuca



Partilhar Post #16 salprata

salprata

  • Membro
  • Registo: 18/07/2010
  • Posts: 364
    • Local: Lisboa

Publicado 20 Janeiro 2011 - 21:05

Resulta sim, mas tem que ser com negativos suaves. A regra é: negativos contrastados serão expostos ao sol directo e suaves à sombra.

Quanto ao processamento:

1- Lavagem com água corrente (+- 10 Min).
2- Fixador (tiossulfato de sódio a 15%) entre 8 a 10 minutos. (Aconselha-se dois banhos. 4+4 minutos).
3- Lavagem durante alguns minutos (entre 10 a 15).
4 - Solução de sulfito de sódio a 2% (só para remover restos dos outros químicos) durante 3 minutos.
5 - Lavagem durante 20 minutos com mudanças frequentes de água (de 5 em 5 minutos).
6- secagem ao ar, ou entre mata-borrões.

PS: fui consultar os meus apontamentos. ;)


Picacuca


Boas,

Parece-me interessante

à Sombra num dia bonito de Sol?

Com o céu encoberto, num dia de chuva, fica sempre qualquer coisa, é preciso estar meia hora, ou mais, mas o resultado fica com muito pouco contraste, muito deslavado.
 


Partilhar Post #17 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 21 Janeiro 2011 - 11:14

Boas,

Parece-me interessante

à Sombra num dia bonito de Sol?

Com o céu encoberto, num dia de chuva, fica sempre qualquer coisa, é preciso estar meia hora, ou mais, mas o resultado fica com muito pouco contraste, muito deslavado.


Sim, quando expões à sombra, convém que seja num dia de sol. Se for um dia nublado, esperar meia hora até que é uma sorte. :D

Esses processos são mais sensíveis aos raios ultra-violeta que os filmes actuais. Por isso, negativos menos contrastados devem ser expostos à sombra (onde há mais UV).
Com céu nublado, os UV são um pouco filtrados pelas nuvens, daí os resultados insatisfatórios.  

Mas por outro lado, quem quiser mesmo investir, pode sempre comprar umas  "lâmpadas fluorescentes de luz negra" (ultra-violeta) e montá-las numa caixa onde colocará a prensa. Estas prensas ficam mais baratas se forem feitas por um marceneiro a partir de uma moldura de madeira forte, sendo a parte de trás dividida em duas ou três portinholas que se podem abrir em separado (para assim se poder conferir a densidade da prova impressa sem correr o risco de deslocar o negativo do lugar) ou podem constituir simplesmente em dois vidros onde se ensanduicha o papel e o negativo.

No entanto, em caixa de luz, os tempos de exposição trepam exponencialmente. Para termos uma ideia, estou a proceder neste momento a uma experiência dessas, e o tempo que encontrei para as provas que estou a imprimir foi de 1 hora. A vantagem é que, faça sol ou chuva, de noite ou de dia, pode-se sempre trabalhar. E encontrado o tempo ideal para uma prova, podemos colocar um relógio na tomada de corrente que fornece energia à dita caixa e ir à nossa vida, que aquele "sol" desliga-se quando acabar o tempo. Mas atenção que este "ir à nossa vida" é algo relativo, já que não convém demorar muito tempo entre a exposição e o processamento.


Picacuca



IT Partilhar Post #18 Estrangeiro

Estrangeiro

  • Novo Membro
  • Registo: 15/10/2010
  • Posts: 4

Publicado 25 Julho 2011 - 14:22

Obrigado pessoal
Desculpem só estar a responder agora, não tenho vindo muito ao fórum, pensei que ninguém fosse ligar muito a este tipo de fotografia, só agora vi que realmente vocês são muito atenciosos.
Em relação à emulsão já encontrei na ColorFoto (Lisboa); a emulsão blueprint tive que mandar vir de Inglaterra; de resto, estes produtos foram para a escola onde dou aulas e agora durante as férias estou a investir na fotografia tradicional, com máquinas e tudo (!)-
Tenho uma exposição na Sala do Veado (Museu de História Natural), para quem estiver interessado...chama-se "Poisson d'Avril".
Obrigado pela atenção
Rodrigo


Partilhar Post #19 Picacuca

Picacuca

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 4056
  • Idade: 56
    • Local: Torres Vedras
    • Novo projeto: "Walking Camera Project". Já anda na estrada (e na auto-estrada virtual).

Publicado 25 Julho 2011 - 20:37

Obrigado pessoal
Desculpem só estar a responder agora, não tenho vindo muito ao fórum, pensei que ninguém fosse ligar muito a este tipo de fotografia, só agora vi que realmente vocês são muito atenciosos.
Em relação à emulsão já encontrei na ColorFoto (Lisboa); a emulsão blueprint tive que mandar vir de Inglaterra; de resto, estes produtos foram para a escola onde dou aulas e agora durante as férias estou a investir na fotografia tradicional, com máquinas e tudo (!)-
Tenho uma exposição na Sala do Veado (Museu de História Natural), para quem estiver interessado...chama-se "Poisson d'Avril".
Obrigado pela atenção
Rodrigo


Boa sorte para essas experiências e para a exposição.


Picacuca


Partilhar Post #20 salprata

salprata

  • Membro
  • Registo: 18/07/2010
  • Posts: 364
    • Local: Lisboa

Publicado 26 Julho 2011 - 08:33

Boas

Para os cianotipios/bulprint é muito facil de fazer, eu costumava comprar os produtos quimicos na vaz pereira LDA

http://www.nossoport...ereira-lda.html

e como fazer:
http://lab.planetacl...a/cia_index.htm

é sempre preferível fazer a exposição por contacto ao sol directo, com luz ultravioleta o contraste não fica tão bonito...

è muito complicado fazer daguerriotipos, é à base de vapor de mercúrio, mas força quero ver esses resoltados

:)