Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Anúncios (remover)

Foto

INTERNATIONAL WEDDING PHOTOGRAPHER OF THE YEAR


  • Por favor inicie sessão para responder
14 respostas a este tópico

IT Partilhar Post #1 _jn_

_jn_

  • Membro
  • Registo: 12/02/2010
  • Posts: 2574
    • Local: Estoril

Publicado 06 Março 2018 - 09:27

As fotos vencedoras são muito boas mas eu gostei mesmo foi do álbum:

 

https://iwpoty.com/p...-album-gallery/




Anúncios

Partilhar Post #2 ruicarv79

ruicarv79

  • Membro
  • Registo: 04/02/2011
  • Posts: 4280
    • Local: Porto

Publicado 06 Março 2018 - 10:48

Curiosamente, dos três álbuns no top 3, o que mais gosto, de longe, é do que ficou em terceiro lugar.   :)




Partilhar Post #3 FotoKhan

FotoKhan

  • Membro
  • Registo: 30/01/2013
  • Posts: 1079

Publicado 06 Março 2018 - 12:58

Nos álbuns, os Italianos "dão-lhe forte" :)

 

...mas, do que mais gosto, é da "runner-up" para melhor fotografia individual, a do filho da noiva a chorar...foto incrível...

 

(...a legenda escrita fotografo também vale apena ler...)

 

FK




IT Partilhar Post #4 _jn_

_jn_

  • Membro
  • Registo: 12/02/2010
  • Posts: 2574
    • Local: Estoril

Publicado 06 Março 2018 - 13:27

Os álbuns estão os tres muito bons mas se tivesse que escolher era o que ganhou.

 

Sim. também acho a foto do puto a chorar muito boa, mas nas fotos a escolha ainda é mais complicada.




Partilhar Post #5 kib1maf

kib1maf

  • Membro
  • Registo: 13/01/2014
  • Posts: 3576
  • Idade: 41
    • Local: Portimão
    • Amador curioso

Publicado 12 Março 2018 - 13:45

A única coisa eu posso dizer é que maravilha a esta evolução que a fotografia teve, que bom ver que bom gosto é cada vez mais uma característica e não uma invenção de elites. 

Quem cresceu nos anos 80/90 e viu o que se fazia de fotografia de casamento nessa altura (em Portugal) e começa a ver esta generalização de novos fotógrafos que rompem com a parolice campónia que ainda está bem presente em Portugal. 

Quem belos álbuns. Infelizmente, no meu casamento, a resposta que dei a tudo o que de mau via à minha volta, foi uma não cobertura fotografica, deixando na mão de cada convidado uma descartavel. Isso e o facto de ter um tio "fotografo" na família que não queria...convidar para fotografar nem embaraçar convidando outro e... enfim, arrependimentos. 


Editado por kib1maf, 12 Março 2018 - 13:46 .



Partilhar Post #6 PedroA

PedroA

  • Membro
  • Registo: 09/01/2018
  • Posts: 93

Publicado 12 Março 2018 - 15:36

A única coisa eu posso dizer é que maravilha a esta evolução que a fotografia teve, que bom ver que bom gosto é cada vez mais uma característica e não uma invenção de elites. 

Quem cresceu nos anos 80/90 e viu o que se fazia de fotografia de casamento nessa altura (em Portugal) e começa a ver esta generalização de novos fotógrafos que rompem com a parolice campónia que ainda está bem presente em Portugal. 

Quem belos álbuns. Infelizmente, no meu casamento, a resposta que dei a tudo o que de mau via à minha volta, foi uma não cobertura fotografica, deixando na mão de cada convidado uma descartavel. Isso e o facto de ter um tio "fotografo" na família que não queria...convidar para fotografar nem embaraçar convidando outro e... enfim, arrependimentos. 

 

Há uma coisa que me intriga neste momento. Será que as pessoas querem realmente o tradicional ou são alguns fotógrafos que não querem sair do seu método antigo de trabalho?

Estive o ano passado num casamento como 2ª fotografo a trabalhar para um fotógrafo com mais de 20 anos de mercado. Falámos bastante de fotografia e de conceitos e percebi logo cedo que o método dele era esse que indicas "parolice campónia", ou mais simpático, "fotografia tradicional de casamento". Apesar de tudo, abracei a oportunidade, não se pode desperdiçar.

Resumindo, cheguei a casa ás tanta da manhã desse casamento frustrado com o dia de trabalho, dado o estilo de fotografia desse fotografo, e claramente não é o tipo de trabalho que eu queria fazer para o futuro.

Compreendo que haja pessoas/fotógrafos que não gostam de sair da sua zona de conforto, mas...presumo que tenham muitas resistências em abraçar os estilos do novo mercado de fotografia de casamento.

Eu vejo dezenas de fotógrafos da nova geração (portugueses e estrangeiros) a fazer coisas realmente interessantes e muito boas, e ver um fotógrafo dizer "não é isso que as pessoas querem com a boca cheia" é sinal de algum ego recalcado. Escusado será dizer que este fotógrafo tinha duas lojas abertas e agora só tem uma, também é um sinal de "red alert"!

Eu não tenho nada contra o senhor, só espero que ele mude alguma coisa no seu método, caso contrário não o estou a ver no mercado daqui a 5/10 anos.


Editado por PedroA, 12 Março 2018 - 15:38 .



IT Partilhar Post #7 _jn_

_jn_

  • Membro
  • Registo: 12/02/2010
  • Posts: 2574
    • Local: Estoril

Publicado 12 Março 2018 - 20:32

Há uma coisa que me intriga neste momento. Será que as pessoas querem realmente o tradicional ou são alguns fotógrafos que não querem sair do seu método antigo de trabalho?

 

 São as duas coisas. Geralmente são avessos a mudanças tanto os fotógrafos como os clientes. 

Eu penso que os fotógrafos que devem ser criativos e abertos ou então estão na profissão errada mas por outro lado não podem/devem contrariar o cliente. Saber gerir esse processo é a chave do sucesso.

Repara no tipo de clientes que estão nas fotos vencedoras de prémios. Quem escolhe clientes são so grandes nomes da fotografia, os pequenos e os que estão a começar têm de saber andar na corda bamba ou seja jogar para os dois lados. Afinal é como em todas as profissões, ou não?




Partilhar Post #8 Fatalit1-4

Fatalit1-4

  • Membro
  • Registo: 14/04/2008
  • Posts: 2043
    • Local: Porto

Publicado 12 Março 2018 - 22:14

Os clientes escolhem o fotografo que tem o tipo de fotografia que gostam.

 

Dificilmente algum fotografo que siga as novas tendências será contratado por noivos que gostem das fotografias do século passado.




Partilhar Post #9 kib1maf

kib1maf

  • Membro
  • Registo: 13/01/2014
  • Posts: 3576
  • Idade: 41
    • Local: Portimão
    • Amador curioso

Publicado 12 Março 2018 - 22:36

Os clientes escolhem o fotografo que tem o tipo de fotografia que gostam.

 

Dificilmente algum fotografo que siga as novas tendências será contratado por noivos que gostem das fotografias do século passado.

Mas alguém tem de nascer primeiro Miguel. ^_^




Partilhar Post #10 nbplopes

nbplopes

  • Membro
  • Registo: 12/07/2012
  • Posts: 5880

Publicado 13 Março 2018 - 02:22

Grande nível.




IT Partilhar Post #11 _jn_

_jn_

  • Membro
  • Registo: 12/02/2010
  • Posts: 2574
    • Local: Estoril

Publicado 13 Março 2018 - 11:38

Os clientes escolhem o fotografo que tem o tipo de fotografia que gostam.

 

Dificilmente algum fotografo que siga as novas tendências será contratado por noivos que gostem das fotografias do século passado.

 

Sim, dificilmente o cliente atento e informado escolhe o fotógrafo errado. Mas há muitos que escolhem por parametros errados e depois arrependem-se.

 

Mas penso que a conversa era sobre, quem insiste no modo tradicional de fotografar casamentos, se são os fotógrafos ou os clientes.

 

Pela minha experiencia (ainda pouca) a resistência ou o medo de fazer algo de radicalmente diferente está nos dois lados ou talvez mesmo mais no cliente.

 

A situação de um casamento é irrepetível e há sempre algum receio em arriscar e depois não se gostar dos resultados. Compete ao fotógrafo propor ideias novas e não o contrário. No entanto eu acho que a fotografia de casamentos tem evoluído muito (mesmo em Portugal) e os casos de que o PedroA refere são cada vez mais isolados.




Partilhar Post #12 ruicarv79

ruicarv79

  • Membro
  • Registo: 04/02/2011
  • Posts: 4280
    • Local: Porto

Publicado 13 Março 2018 - 11:47

Parece-me lógico que será o fotógrafo a fazer o "push" de uma nova tedência e não o cliente. A partir daí, o circuito fica alimentado e aparecerão clientes a pedir novas abordagens porque viram isso nalgum lado. 

Num mundo onde é tão difícil a diferenciação, e onde tantos fotógrafos se queixam que há muita gente a fazer o mesmo, parece-me que faz todo o sentido enveredar por um caminho diferente, não vos parece?  :th_up:




Partilhar Post #13 kib1maf

kib1maf

  • Membro
  • Registo: 13/01/2014
  • Posts: 3576
  • Idade: 41
    • Local: Portimão
    • Amador curioso

Publicado 13 Março 2018 - 11:47

Sim, dificilmente o cliente atento e informado escolhe o fotógrafo errado. Mas há muitos que escolhem por parametros errados e depois arrependem-se.

 

Mas penso que a conversa era sobre, quem insiste no modo tradicional de fotografar casamentos, se são os fotógrafos ou os clientes.

 

Pela minha experiencia (ainda pouca) a resistência ou o medo de fazer algo de radicalmente diferente está nos dois lados ou talvez mesmo mais no cliente.

 

A situação de um casamento é irrepetível e há sempre algum receio em arriscar e depois não se gostar dos resultados. Compete ao fotógrafo propor ideias novas e não o contrário. No entanto eu acho que a fotografia de casamentos tem evoluído muito (mesmo em Portugal) e os casos de que o PedroA refere são cada vez mais isolados.

JN, existem esses casos, nos grandes centros, onde as ideias ainda não são claras, onde os gostos ainda são moldáveis e onde o fotografo e a sua "reputação" tem muita importância. Mas na esmagadora maioria do território, fora dos grandes centros, a parolice é enorme, os católicos então... querem aquelas fotos parolas em casa no hall de entrada ao pé do santo padre que lá foi encher a barriga antes da cerimonia, e depois com o papá a mamã e o canito, ao lado do altarzito de casa ou da santinha, epá, este Portugal é o real é a esmagadora maioria, e ainda há milhares de fotógrafos que trabalham para isto e querem manter o seu método como o clássico, não sabem mais e não querem mudar ou aprender. Criticam as FF avermelhadas porque fotografam sempre com flash, etc, tecnicamente também são muito conservadores, eu até aceito que o flash foi demasiadamente abandonado na actualidade e é uma ferramenta fantástica em reportagens de casamento mas não em todas a situações como se fazia antes. Era flashada e siga. 

Aqui em baixo, casamento sem a porra da foto dos noivos na rebentação das ondas e e porra do ovo estrelado atrás, não era casamento, isso e as ancoras do barril, claro. 

Enfim...


Editado por kib1maf, 13 Março 2018 - 11:49 .



IT Partilhar Post #14 _jn_

_jn_

  • Membro
  • Registo: 12/02/2010
  • Posts: 2574
    • Local: Estoril

Publicado 13 Março 2018 - 12:07

Parece-me lógico que será o fotógrafo a fazer o "push" de uma nova tedência e não o cliente. A partir daí, o circuito fica alimentado e aparecerão clientes a pedir novas abordagens porque viram isso nalgum lado. 

Num mundo onde é tão difícil a diferenciação, e onde tantos fotógrafos se queixam que há muita gente a fazer o mesmo, parece-me que faz todo o sentido enveredar por um caminho diferente, não vos parece?  :th_up:

 

Concordo. O fotógrafo tem o dever de ser inovador e levar o cliente a não ter medo de arriscar na inovação mas por outro lado também tem de compreender que o casamento não é seu nem é só fotografia.

 

Mas o que me acontece muito é ter clientes dispostos a arriscar e dando-me liberdade total na sessão de engagement mas depois no casamento estão mais preocupados em fazer a foto cliché porque está ali a família toda e a vozinha e a mamazinha também gostam e muitas vezes são elas que entram com i guito :)




Partilhar Post #15 PedroA

PedroA

  • Membro
  • Registo: 09/01/2018
  • Posts: 93

Publicado 13 Março 2018 - 12:59

JN, existem esses casos, nos grandes centros, onde as ideias ainda não são claras, onde os gostos ainda são moldáveis e onde o fotografo e a sua "reputação" tem muita importância. Mas na esmagadora maioria do território, fora dos grandes centros, a parolice é enorme, os católicos então... querem aquelas fotos parolas em casa no hall de entrada ao pé do santo padre que lá foi encher a barriga antes da cerimonia, e depois com o papá a mamã e o canito, ao lado do altarzito de casa ou da santinha, epá, este Portugal é o real é a esmagadora maioria, e ainda há milhares de fotógrafos que trabalham para isto e querem manter o seu método como o clássico, não sabem mais e não querem mudar ou aprender. Criticam as FF avermelhadas porque fotografam sempre com flash, etc, tecnicamente também são muito conservadores, eu até aceito que o flash foi demasiadamente abandonado na actualidade e é uma ferramenta fantástica em reportagens de casamento mas não em todas a situações como se fazia antes. Era flashada e siga. 

Aqui em baixo, casamento sem a porra da foto dos noivos na rebentação das ondas e e porra do ovo estrelado atrás, não era casamento, isso e as ancoras do barril, claro. 

Enfim...

 

Esta é a realidade que eu também tenho presente. Há casais "modernos" (Lisboa,Porto e pouco mais) e estrangeiros a virem casar cá em diversos pontos do país, e depois há o resto, que ainda é uma grande fatia de mercado. Em relação às flashadas, até doí a alma ver flashadas em plena luz natural que tão boa que é....depois parece que os noivos têm pó de talco na cara. Mas pronto quem sou eu para criticar, se o cliente gosta.

 

Parece-me lógico que será o fotógrafo a fazer o "push" de uma nova tedência e não o cliente. A partir daí, o circuito fica alimentado e aparecerão clientes a pedir novas abordagens porque viram isso nalgum lado. 

Num mundo onde é tão difícil a diferenciação, e onde tantos fotógrafos se queixam que há muita gente a fazer o mesmo, parece-me que faz todo o sentido enveredar por um caminho diferente, não vos parece?  :th_up:

 

Concordo. Por isso quando me pedem um orçamento, numa primeira abordagem, falo logo das minhas expectativas e estilo, do que faço e não faço. Deixando algum espaço para a "negociação" do que é essencial fotografar. Nisto a "culpa" está inteiramente do nosso lado, tem de ser o fotógrafo a reeducar e não esperar que o cliente adivinhe sozinho.