Ir para conteúdo

  • Facebook

  • Este site usa cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar o site está a aceitar o uso de cookies. SABER MAIS ENTENDI

Anúncios (remover)

Foto

Mercado da fotografia em Portugal


  • Por favor inicie sessão para responder
42 respostas a este tópico

IT Partilhar Post #1 JOAOTHA

JOAOTHA

  • Membro
  • Registo: 27/01/2008
  • Posts: 52

Publicado 21 Janeiro 2014 - 05:08

Boas a todos!

 

Qual acham que é a tendência de mercado da fotografia em Portugal nos dias que correm? Ou seja, se alguém decidisse passar a ser fotografo profissional,  seria melhor apostar em que tipo de fotografia? Moda, produto, comercial, eventos, foto jornalismo, retratos ou talvez um nicho específico por exemplo fotografia de animais de estimação, etc.

 

Bem sei que o melhor seria ser o mais versátil possível, mas se apenas pudessem optar por uma ou duas modalidades, qual seria?

 

 

 




Anúncios

Partilhar Post #2 dmarquizz

dmarquizz

  • Membro
  • Registo: 10/03/2010
  • Posts: 261

Publicado 21 Janeiro 2014 - 19:07

Casamentos não, que cada vez há menos

De crianças não que cada vez há menos

Fotojornalismo não, que cada vez + o jornalista é fotógrafo, vídeografo e ainda tem de editar tudo e meter nos sites

 

Sei lá, fotos de animais (pets) talvez. Parece-me que ainda não foi muito explorado cá em Portugal




Partilhar Post #3 Bezos

Bezos

  • Membro
  • Registo: 05/07/2013
  • Posts: 1027
  • Idade: 41
    • Local: Lisboa - Portugal
    • Corrija o sábio e o fará mais sábio... Corrija o tolo e o fará seu inimigo!

Publicado 21 Janeiro 2014 - 19:15

O trabalho de fotógrafo foi muito afectado pela crise.

 

Trata-se de uma actividade que sofreu o embate em 2 frentes distintas:

 

. A primeira na perspectiva do profissional em si, que passou a contar com concorrência "desleal" (??) sob a forma de fotógrafos amadores metidos a profissionais. Estamos a falar de pessoas desempregadas que, na falta de melhores perspectivas, agarram no equipamento que tem (ou investem em algo novo), fazem um par de workshops e começam logo a apresentar-se como profissionais, cobrando valores irrisórios que acabam invariavelmente por afectar o trabalho dos verdadeiros profissionais.

 

. A segunda na perspectiva do consumidor, já que em tempos de crise as pessoas costumam cortar no supérfulo. Não é por causa da crise que as pessoas não irão se casar, mas é por causa da crise que não farão um grande álbum de casamento. Não é por causa da crise que as pessoas deixarão de nascer, mas é por causa da crise que os pais pensarão 10 ou 15 vezes antes de contratar um fotógrafo profissional para fazer umas fotos porreiras ao puto.




Partilhar Post #4 deim

deim

  • Membro
  • Registo: 19/02/2008
  • Posts: 7380
  • Idade: 34
    • Local: Londres
    • Não é o equipamento...

Publicado 21 Janeiro 2014 - 19:44

Técnico de e-commerce com especialização em fotografia de produto nas instalações do cliente. 




Partilhar Post #5 Iloper

Iloper

  • Membro
  • Registo: 09/09/2008
  • Posts: 4023

Publicado 21 Janeiro 2014 - 20:54

O trabalho de fotógrafo foi muito afectado pela crise.
 
Trata-se de uma actividade que sofreu o embate em 2 frentes distintas:
 
. A primeira na perspectiva do profissional em si, que passou a contar com concorrência "desleal" (??) sob a forma de fotógrafos amadores metidos a profissionais. Estamos a falar de pessoas desempregadas que, na falta de melhores perspectivas, agarram no equipamento que tem (ou investem em algo novo), fazem um par de workshops e começam logo a apresentar-se como profissionais, cobrando valores irrisórios que acabam invariavelmente por afectar o trabalho dos verdadeiros profissionais.
 
. A segunda na perspectiva do consumidor, já que em tempos de crise as pessoas costumam cortar no supérfulo. Não é por causa da crise que as pessoas não irão se casar, mas é por causa da crise que não farão um grande álbum de casamento. Não é por causa da crise que as pessoas deixarão de nascer, mas é por causa da crise que os pais pensarão 10 ou 15 vezes antes de contratar um fotógrafo profissional para fazer umas fotos porreiras ao puto.


Basicamente é isto


Partilhar Post #6 Bezos

Bezos

  • Membro
  • Registo: 05/07/2013
  • Posts: 1027
  • Idade: 41
    • Local: Lisboa - Portugal
    • Corrija o sábio e o fará mais sábio... Corrija o tolo e o fará seu inimigo!

Publicado 22 Janeiro 2014 - 08:25

Será que a fotografia dita profissional já não estava em crise antes?
A crise que falas é transversal a todas as profissoes em PT.


Concordo, mas a profissão de fotógrafo tem algumas particularidades. Como dizes, e bem, a crise afectou a todas as profissões, mas não vemos por aí pessoas desempregadas a pensarem em atuar como médicos, engenheiros, arquitetos, etc., pois não? :)

Hoje em dia é muito fácil para um indivíduo "comum" comprar um bom equipamento com um investimento relativamente baixo, fazer um par de cursos ou workshops e andar por aí a anunciar a prestação de um serviço profissional de fotografia.

Quantos de nós já não fomos abordados por amigos, colegas ou familiares a passar por algum momento financeiro mais complicado, a perguntarem se com a máquina XPTO podiam fazer este ou aquele "trabalhinho" de fotografia? Eu já fui, e não foi apenas uma vez. Isto tudo acaba invariavelmente por afectar o trabalho dos verdadeiros profissionais.

EDIT:

Só para exemplificar isto que estou a dizer, acontece-me com frequência de me encontrar com conhecidos na rua quando estou com o meu equipamento completo. Olham para a câmara e para as lentes todas e quase sempre lá vem a famigerada frase: "tens que ganhar dinheiro com isso!".

Tem piada! Mas é muito triste para quem estudou durante muitos anos, investiu muito dinheiro em equipamento/formação e acumulou outros tantos anos de experiência como profissional de fotografia.

Editado por Bezos, 22 Janeiro 2014 - 08:34 .



Partilhar Post #7 amando96

amando96

  • Membro
  • Registo: 30/03/2010
  • Posts: 1011
  • Idade: 25
    • Local: Düsseldorf

Publicado 22 Janeiro 2014 - 12:26

mas não vemos por aí pessoas desempregadas a pensarem em atuar como médicos, engenheiros, arquitetos, etc., pois não? :)

 

Não sei onde moras, mas por aqui vê-se e muito.




Partilhar Post #8 Bezos

Bezos

  • Membro
  • Registo: 05/07/2013
  • Posts: 1027
  • Idade: 41
    • Local: Lisboa - Portugal
    • Corrija o sábio e o fará mais sábio... Corrija o tolo e o fará seu inimigo!

Publicado 22 Janeiro 2014 - 12:27

Não sei onde moras, mas por aqui vê-se e muito.

 

:lol:




Partilhar Post #9 patacao

patacao

  • Membro
  • Registo: 06/01/2012
  • Posts: 982
    • Local: Amora

Publicado 22 Janeiro 2014 - 13:56

amando96, on 22 Jan 2014 - 12:26 PM, said:

http://www.forumfotografia.net/public/st...

Não sei onde moras, mas por aqui vê-se e muito.

 

:lol:

 

Bezos, não é nada descabido e ainda que não se veja muito, para muitas pessoas a crise e o desemprego representam uma oportunidade para investir na formação académica e/ou profissional com vista a satisfação pessoal e principalmente uma melhor qualidade de vida.


Editado por patacao, 22 Janeiro 2014 - 13:58 .



Partilhar Post #10 Bezos

Bezos

  • Membro
  • Registo: 05/07/2013
  • Posts: 1027
  • Idade: 41
    • Local: Lisboa - Portugal
    • Corrija o sábio e o fará mais sábio... Corrija o tolo e o fará seu inimigo!

Publicado 22 Janeiro 2014 - 14:02

Bezos, não é nada descabido e ainda que não se veja muito, para muitas pessoas a crise e o desemprego representam uma oportunidade para investir na formação académica e/ou profissional com vista a satisfação pessoal e/ou uma melhor qualidade de vida.

 

E não digo o contrário!!

 

Aquilo que eu referi, e se leres os meus posts com atenção irás de certeza reparar nisto, são os casos de pessoas com pouca ou nenhuma formação, que andam por aí a auto-intitularem-se profissionais de fotografia, cobrando valores que correspondem à frações daquilo que um profissional devidamente qualificado cobra.

 

Concordo contigo com relação à oportunidade que uma situação de desemprego pode representar para um indivíduo, mas repara que não é isto que estou a discutir neste tópico.




Partilhar Post #11 patacao

patacao

  • Membro
  • Registo: 06/01/2012
  • Posts: 982
    • Local: Amora

Publicado 22 Janeiro 2014 - 14:07

E não digo o contrário!!

 

Aquilo que eu referi, e se leres os meus posts com atenção irás de certeza reparar nisto, são os casos de pessoas com pouca ou nenhuma formação, que andam por aí a auto-intitularem-se profissionais de fotografia, cobrando valores que correspondem à frações daquilo que um profissional devidamente qualificado cobra.

 

Concordo contigo com relação à oportunidade que uma situação de desemprego pode representar para um indivíduo, mas repara que não é isto que estou a discutir neste tópico.

 

Correcto Bezos, mas eu não questionei o que afirmas e bem, do facto de algumas pessoas tentarem aproveitar-se do desemprego e de uma máquina xpto para "tentar" ganhar dinheiro.

 

Se reparares com atenção, comentei a tua resposta ao comentário que refere N profissões, exceptuando a de fotógrafo.




Partilhar Post #12 Bezos

Bezos

  • Membro
  • Registo: 05/07/2013
  • Posts: 1027
  • Idade: 41
    • Local: Lisboa - Portugal
    • Corrija o sábio e o fará mais sábio... Corrija o tolo e o fará seu inimigo!

Publicado 22 Janeiro 2014 - 15:10

Correcto Bezos, mas eu não questionei o que afirmas e bem, do facto de algumas pessoas tentarem aproveitar-se do desemprego e de uma máquina xpto para "tentar" ganhar dinheiro.

 

Se reparares com atenção, comentei a tua resposta ao comentário que refere N profissões, exceptuando a de fotógrafo.

 

Ok, esclarecido! :th_up:

 

Só quero frisar novamente que não sou contra a entrada de novos "profissionais" no mercado, seja em que profissão for! Mas é bom deixar claro que refiro-me a profissionais qualificados, ou seja, indivíduos que investem milhares, muitas vezes até dezenas de milhares de euros, em equipamento e formação especializada. Profissionais estes que depois acabam por ver o seu trabalho minado por individuos que, na posse de uma máquina xpto, cobram 20%, 15% ou mesmo 10% do valor justo normalmente cobrado por um profissional.

 

E pq  sou da opinião de que isto acontece mais na fotografia do que em algumas outras profissões? Na minha opinião, isto deve-se ao acesso cada vez mais facilitado a equipamentos fotográficos avançados que, mesmo em modo Manual, são capazes de produzir resultados minimamente apresentáveis.

 

Se alguém quer trabalhar como fotógrafo profissional, que o faça pelas vias corretas: investindo em formação adequada! Só assim terá uma noção mais realista de todos os custos inerentes à atividade e poderá cobrar o preço justo pelo seu trabalho.

 

Aproveito para realçar que não sou contra trabalhos mais baratos no estilo "low-cost". Há por aí no mercado opções interessantes neste estilo (casamentos low-cost, batizados low-cost, festas de aniversário low-cost, etc.), mas são serviços oferecidos e executados por profissionais que sabem exatamente quanto custa o exercício da sua atividade e que cobram o preço justo com base nesta informação.




Partilhar Post #13 Perception

Perception

  • Membro
  • Registo: 20/10/2010
  • Posts: 109

Publicado 22 Janeiro 2014 - 22:47

Caros amigos

A fotografia não está em crise!

Cada vez se faz mais fotografias. O Instagram é o rico negócio. As lojas que resistiram voltaram a vender (não os números de antigamente mas a venderem razoavelmente). Continua-se a imprimir fotografia. Lá fora fazem-se coisa magnificas!

O que está a haver é uma mudança de paradigma que vai alterar o comercio de fotografia (ou da fotografia), em breve!

Quando a fotografia passou de físico a digital, mesmo havendo muito mais investimento, julgou-se que ia ser a solução para os preços "altos". Lembro que nos finais dos anos 2000 uma fotografia para a Vaqueiro custava 20.000 euros onde se incluía fotografia, stylingfood, material, estúdio, assistentes, etc e agora custa 300 euros  :clap: . E tudo aplaudia! Esqueçam lá isso de stylingfood, todos sabemos fazer. Assistentes? Fino heen!? Estudio? Mesa do Ikea um flashinho walimex uma d7000 e chega muito bem...tb para o que pagam!! Dizem! Quais sinar P com back digital Sinar e gastar 120.000 euros? Iluminação Broncolor? Qué isso? Ter um estúdio no valor de 300.000 euros? dasssss! Não estamos na América. Pois é!

Só que nos finais dos anos 2000 era feito por profissionais a sério! stylingfood's a sério! Em estúdios a sério! e na altura a publicidade Portuguesa ganhava prémios lá fora.

Falando de publicidade convido-os a visitar sites onde se mencionam prémios de publicidade (e até no facebook é normal "ouvirem" dizer que mais um português ganhou um prémio de publicidade mas vejam em que país estão a trabalhar - Brasil, Moçambique, Inglaterra) porque cá já há muitos anos que ninguém ganha rigorosamente nada. Só se for de copy porque sempre tivemos muita labia. Regredimos mais de 20 anos em termos de imagem neste últimos 4 ou 5 anos! (Em termos gerais, claro. Ainda os há (fotógrafos) que por tb trabalharem lá fora continuam no topo. Mas poucos, muito poucos)

Recapitulando, agora (e continuo a falar de publicidade) a fotografia é feita por miúdos acabadinhos de sair da escola, escola onde os professores nunca fizeram uma fotografia profissional, alguns até mentem nos seus currículos e nem têm a experiência de a vender. E os miúdos apresentam-se ás empresas como os salvadores do negócio com preços que não pagam o uso (desgaste) de um equipamento razoável! Há dias contaram-me que haveria alguém que ia ao Porto fazer dois vídeos e duas sessões fotográficas por 390 euros, viagem e tudo  :clap: . Sair de madrugada, chegar de madrugada! Trabalho escravo, portanto!

Isto porque tb apareceu outra desculpa esfarrapada! Os meios de publicação (nomeadamente os digitais) baixaram as calças e puseram tudo de borla. Os jornais grátis, as edições na internet para todos, a ideia que pegar numa fotografia na net não era roubo...E arrastou tb a fotografia para as ruas da amargura. Sou do tempo que se pagava 150 euros por uma fotografia para ilustrar uma revista se fosse interior. Porque se fosse capa nem me quero recordar para não ter de ir buscar os xanax.

Mas o paradigma está a mudar. Chegaram agora as mentes inteligentes que afinal as ditas publicações têm de ser pagas. Temos de pagar o que consumimos...dizem! O audiovisual afinal é muito importante.
Talvez em breve tb se chegue à conclusão que alimentar a fotografia barata, sem experiência, feita por incultos, analfabéticos (fotograficamente falando) seja prejudicial e não traga afinal os objectivos pretendidos. Talvez!

Entretanto vamos mandando umas bojardas por aqui até a tempestade passar

 

Abraços

 




Partilhar Post #14 Perception

Perception

  • Membro
  • Registo: 20/10/2010
  • Posts: 109

Publicado 22 Janeiro 2014 - 22:51

No post anterior onde se lê finais dos anos 2000 deve ler-se final do século 20. Coisa pouca!  :)




Partilhar Post #15 Latas

Latas

  • Membro
  • Registo: 28/04/2011
  • Posts: 1253
  • Idade: 38
    • Local: Águeda

Publicado 23 Janeiro 2014 - 08:12

Ja me comecei a tentar deixar de preocupar com esses "fotografos". Sempre que dou um preço a alguém dizem-me que ha um fulano qualquer qua faz uma sessão por 50 euros e entraga mais de 20fotos editadas e na sei quantas impressas(Tou a falar de fotografia de estudio). No final alguns deles mesmo assim ainda acabam por fazer o trabalho comigo.
Acho que esta gente que faz estes valores não duram muito tempo no mercado, mas e uma coisa que sempre haverá e não vale a pena lutar contra.

Acho que devemos cada um avaliar o seu trabalho e vendê-lo pela sua qualidade e nao pelo seu preço.

Abraço

PS: não tenho formação académica em fotografia mas não ha mais nada que eu preferisse fazer. :)

Editado por Latas, 23 Janeiro 2014 - 08:16 .



Partilhar Post #16 Gonçalo-Rodrigues

Gonçalo-Rodrigues

  • Membro
  • Registo: 09/01/2011
  • Posts: 1140
  • Idade: 31
    • Local: Lisboa

Publicado 23 Janeiro 2014 - 12:34

Ok, esclarecido! :th_up:

 

Só quero frisar novamente que não sou contra a entrada de novos "profissionais" no mercado, seja em que profissão for! Mas é bom deixar claro que refiro-me a profissionais qualificados, ou seja, indivíduos que investem milhares, muitas vezes até dezenas de milhares de euros, em equipamento e formação especializada. Profissionais estes que depois acabam por ver o seu trabalho minado por individuos que, na posse de uma máquina xpto, cobram 20%, 15% ou mesmo 10% do valor justo normalmente cobrado por um profissional.

 

E pq  sou da opinião de que isto acontece mais na fotografia do que em algumas outras profissões? Na minha opinião, isto deve-se ao acesso cada vez mais facilitado a equipamentos fotográficos avançados que, mesmo em modo Manual, são capazes de produzir resultados minimamente apresentáveis.

 

Se alguém quer trabalhar como fotógrafo profissional, que o faça pelas vias corretas: investindo em formação adequada! Só assim terá uma noção mais realista de todos os custos inerentes à atividade e poderá cobrar o preço justo pelo seu trabalho.

 

Aproveito para realçar que não sou contra trabalhos mais baratos no estilo "low-cost". Há por aí no mercado opções interessantes neste estilo (casamentos low-cost, batizados low-cost, festas de aniversário low-cost, etc.), mas são serviços oferecidos e executados por profissionais que sabem exatamente quanto custa o exercício da sua atividade e que cobram o preço justo com base nesta informação.

 

Compreendo o que dizes, no entanto acho uma ideia demasiado generalizada.

 

A formação não requer exatamente grandes custos.

Se estamos a falar da formação académica ok, mas quantos bons fotografos não preferem aprender por eles, estudar de forma pro-activa sem para tal ter que ter um curso de milhares de euros?

Não será possivel obter uma formação tão boa ou até superior do que frequentando cursos que muitas vezes ficam àquem das exigencias dos proprios alunos?

 

É verdade que hoje em dia qualquer gato pingado com 500€ compra uma DSLR e se pode armar aos cucos enquanto fotografo profissional.

Mas casos são casos.

Existe muito boa gente que sem qualquer formação ( paga, seja cursos ou workshops) dá coça a muito "pro", seja na componente técnica como criativa.

 

Os outros, que de facto são apenas parasitas, tentando amealhar uns trocos sem para isso investirem tempo a estudar o que é fotografia, aqueles que o fazem apenas pelo dinheiro, sem preocupação em apresentar um bom trabalho, esses fazem 1 ou 2 trabalhos até que desaparecem..


Editado por Gonçalo-Rodrigues, 23 Janeiro 2014 - 12:43 .



Partilhar Post #17 ricardoA

ricardoA

  • Membro
  • Registo: 25/02/2011
  • Posts: 1654

Publicado 23 Janeiro 2014 - 13:18

Isto:

 

Compreendo o que dizes, no entanto acho uma ideia demasiado generalizada.

 

A formação não requer exatamente grandes custos.

Se estamos a falar da formação académica ok, mas quantos bons fotografos não preferem aprender por eles, estudar de forma pro-activa sem para tal ter que ter um curso de milhares de euros?

Não será possivel obter uma formação tão boa ou até superior do que frequentando cursos que muitas vezes ficam àquem das exigencias dos proprios alunos?

 

É verdade que hoje em dia qualquer gato pingado com 500€ compra uma DSLR e se pode armar aos cucos enquanto fotografo profissional.

Mas casos são casos.

Existe muito boa gente que sem qualquer formação ( paga, seja cursos ou workshops) dá coça a muito "pro", seja na componente técnica como criativa.

-----------------------------------------------

 

Os outros, que de facto são apenas parasitas, tentando amealhar uns trocos sem para isso investirem tempo a estudar o que é fotografia, aqueles que o fazem apenas pelo dinheiro, sem preocupação em apresentar um bom trabalho, esses fazem 1 ou 2 trabalhos até que desaparecem..

 

Infelizmente não é bem assim. Às vezes não sei quem é mais azeiteiro, se os fotógrafos, se os clientes. 




Partilhar Post #18 joserocha

joserocha

  • Membro
  • Registo: 11/05/2012
  • Posts: 2702
    • Local: Vila Nova de Gaia

Publicado 23 Janeiro 2014 - 13:27

No passado fim de semana fui à festa de aniversário de 1 ano de uns familiares bebés (gémeos) em que o fotógrafo contratado foi o mesmo do baptizado: um desastre na minha opinião, mas "muito bom" de acordo com os pais. A sua 5D Mark II com grip, flash e 24-105mm impressionava :)

As fotos do baptizado foram tiradas sem qualquer cuidado - o tamanho de 15x20 já deixava ver falhas claras de focagem na cara dos miúdos, não havia cuidado nenhum com a abertura utilizada, nem com o fundo, ou a própria luz (as fotos de família foram tiradas ao pé de um muro e todas em contra-luz). O flash também era sempre mandado na cara deles mesmo em interiores.

 

Na festa de aniversário deles estivemos todos à mesa ao almoço, incluindo o fotógrafo, que de vez em quando lá dava uns disparos. Mas estivemos todos a conversar. No final do almoço ele lá disse (com os seus ~50 anos) que o negócio estava difícil, que já tinha sido canalizador, estofador, jardineiro, e já não me lembro mais o quê... e que estava a pensar ir lá para fora fazer algo na construção civil.

 

E como este há muitos: gente que ao longo da vida fez tudo menos fotografia, que faz isto sem qualquer amor à arte e como apenas um negócio sasonal/temporário/até ver o que dá. Não é que seja mau em si a pessoa lutar para ter um rendimento, nem que seja só em part-time, mas os principais culpados são os que os contratam, não uma primeira vez mas principalmente uma segunda vez :s E quanto a isto não há nada a fazer, enquanto gostarem da qualidade do seu trabalho eles hão-de andar por aí. E o problema neste caso nem era a crise, apenas era mais conveniente já que era lá da "terrinha".




Partilhar Post #19 Bezos

Bezos

  • Membro
  • Registo: 05/07/2013
  • Posts: 1027
  • Idade: 41
    • Local: Lisboa - Portugal
    • Corrija o sábio e o fará mais sábio... Corrija o tolo e o fará seu inimigo!

Publicado 23 Janeiro 2014 - 13:42

No passado fim de semana fui à festa de aniversário de 1 ano de uns familiares bebés (gémeos) em que o fotógrafo contratado foi o mesmo do baptizado: um desastre na minha opinião, mas "muito bom" de acordo com os pais. A sua 5D Mark II com grip, flash e 24-105mm impressionava :)

As fotos do baptizado foram tiradas sem qualquer cuidado - o tamanho de 15x20 já deixava ver falhas claras de focagem na cara dos miúdos, não havia cuidado nenhum com a abertura utilizada, nem com o fundo, ou a própria luz (as fotos de família foram tiradas ao pé de um muro e todas em contra-luz). O flash também era sempre mandado na cara deles mesmo em interiores.

 

Na festa de aniversário deles estivemos todos à mesa ao almoço, incluindo o fotógrafo, que de vez em quando lá dava uns disparos. Mas estivemos todos a conversar. No final do almoço ele lá disse (com os seus ~50 anos) que o negócio estava difícil, que já tinha sido canalizador, estofador, jardineiro, e já não me lembro mais o quê... e que estava a pensar ir lá para fora fazer algo na construção civil.

 

E como este há muitos: gente que ao longo da vida fez tudo menos fotografia, que faz isto sem qualquer amor à arte e como apenas um negócio sasonal/temporário/até ver o que dá. Não é que seja mau em si a pessoa lutar para ter um rendimento, nem que seja só em part-time, mas os principais culpados são os que os contratam, não uma primeira vez mas principalmente uma segunda vez :s E quanto a isto não há nada a fazer, enquanto gostarem da qualidade do seu trabalho eles hão-de andar por aí. E o problema neste caso nem era a crise, apenas era mais conveniente já que era lá da "terrinha".

 

Também não tenho absolutamente nada contra as pessoas correrem atrás de novas oportunidades e/ou fontes de renda. A crise está aí e afecta a toda gente. Quando o desemprego bate à porta de uma família, tudo passa a ser uma opção viável, e a fotografia, com as facilidades de hoje em dia, surge como uma alternativa tremendamente acessível.

 

Mas é justamente este "fenômeno" que acaba invariavelmente por afectar de forma muito negativa o trabalho dos profissionais de fotografia. O senhor lá da "terrinha" não prestou um trabalho decente, como o joserocha referiu, mas lá ganhou o seu dinheirinho. E o profissional de fotografia lá da "terrinha", como fica? Pois...




Partilhar Post #20 lalmeida

lalmeida

  • Membro
  • Registo: 11/04/2010
  • Posts: 328

Publicado 23 Janeiro 2014 - 14:14

Acho que este é um fenómeno que afecta muitas profissões que se relacionam com a tecnologia. A tecnologia é acessível e o conhecimento técnico básico também. Isso lança muita gente no mercado que não tem condições para efectuar um trabalho com um mínimo de qualidade. Mas isso interessa pouco ao mercado. O que o mercado pretende são muitas pessoas que compitam entre si para prestarem um serviço mínimo ao mais baixo preço possível. Com o tempo a qualidade média perceptível do trabalho diminui e o público não exige mais. Alguém mencionou acima o caso do jornalismo. Como já todos reparamos, no nosso país há pouco espaço para o bom fotojornalismo ou para o jornalismo de investigação. Mas há muito quem escreva artigos nos jornais e online. Muitos desses artigos, contendo os mais atrozes erros ortográficos não passam de recortes retirados da web. E como esta forma de trabalho se tornou a norma, é aceite, sem pestanejar pelo consumidor, que come o que lhe colocam no prato. Haverá sempre lugar para um número reduzido de bons profissionais, mas não para todos. Constato tudo isto, também, na minha área de trabalho. Em parte é uma consequência da globalização, mas isso era um debate que nos levaria muito longe e está fora do âmbito do forum..